F1 Red Bull 2014 RB10
A Red Bull apresentou o novo carro da F1 2014

Após conquistar quatro títulos mundiais consecutivos, a Red Bull era a equipe cujo lançamento do carro de 2014 era o mais aguardado. Afinal, todo mundo queria ver quais as soluções encontradas pelo projetista Adrian Newey para criar uma máquina vencedora a partir do novo regulamento da categoria.

No entanto, quem esperava algo surpreendente saiu frustrado nesta terça-feira, dia 28, em Jerez. O RB10, carro do time austríaco para o próximo campeonato, é bastante conservador e não traz, em uma primeira vista, grandes inovações.

A justificativa para isso pode ser o pouco tempo que Newey e os demais engenheiros tiveram para trabalhar no carro. No ano passado, o projetista já tinha afirmado que talvez tivesse passado tempo demais no desenvolvimento do RB9, o que pode ter atrasado a máquina deste ano. O chefe da escuderia, Christian Horner, confirmou a história nesta terça e afirmou que o bólido só passou nos crash-tests da FIA há dez dias. Ou seja, se fossem reprovados, talvez não desse tempo de andar em Jerez.

A começar pelo bico, a Red Bull não teve nada exatamente surpreendente. Para chegar à altura de 18,5 cm determinada pelas regras, a equipe optou pela dianteira do carro ser um meio termo entre a apresentada pela McLaren (decrescente desde o monocoque) e a tromba da Ferrari.

O bico em si também é contido. Enquanto Williams e Toro Rosso, entre outras, escolheram um dedo na frente para respeitar o regulamento, Newey projetou o que chamou de bico em forma de quilha. Isto é, uma pequena estrutura em forma de ‘U’, posicionada no meio da asa dianteira para chegar aos 18,5 cm.

F1 Red Bull 2014 RB10
Detalhe do bico em forma de quilha da Red Bull

Por causa da peça, a Red Bull pôde manter um bico mais ou menos elevado e minimizar o prejuízo da quilha na passagem do ar. Para compensar, o time não só alargou os suportes da asa dianteira, mas também fez dois buraquinhos na peça preta que, oficialmente, servem para refrescar o piloto. Porém, ela também é um meio de diminuir a obstrução do ar na parte central do carro.

Só que essa também é uma estratégia adotada pela maior parte das equipes. O verdadeiro segredo da Red Bull, se é que podemos chamar assim, foi a manutenção do Duto em S, uma peça colocada no bico, próximo do monocoque, que serve para levar o ar da parte de baixo do carro para a parte de cima. Esse artifício já estava presente no RB9.

Mas nem tudo que deu certo no carro do ano passado pôde ser aproveitado. Uma das soluções da Red Bull no bólido anterior foi separar as baterias do Kers e colocá-las próximo à caixa de câmbio, o que favorecia na distribuição de peso. Como neste ano as regras determinam mudanças no tanque de combustível e apenas uma bateria, maior que a de 2013, o time não pôde repetir a tática.

F1 Red Bull 2014 RB10
Os sidepods são bastante curtos

No entanto, para continuar trabalhando na distribuição de peso, Newey deu a entender que o time fez mudanças no sidepods, alocando ali algumas das peças. O que não deixa de ser surpreendente, já que a lateral rubro-taurina é bastante curta e termina muito antes do eixo traseiro, o que aumenta o espaço que o ar tem para chegar ao difusor.

Assim, também não é impossível dizer que os segredos do novo carro da Red Bull estão onde não conseguimos ver, por baixo da carenagem. De qualquer forma, a abordagem conservador do RB10 não deve ser desprezada. Pelo contrário, com tantas mudanças no regulamento, ter um carro confiável para as primeiras corridas do ano é uma estratégia prudente.

Você pode clicar aqui para ver a minha análise do novo carro da McLaren, o MP4-29. A nova Ferrari F14 T está aqui. Já a Sauber C33 está neste post, clicando aqui. E você pode ver a Toro Rosso STR9 aqui. O novo carro da Mercedes, o W05, está aqui. Para ver os novos carros de Force India, Williams e Caterham basta clicar aqui. Por fim, o novo carro da Marussia está aqui.