Ver Egor Orudzhev na frente foi algo comum em Teretonga
Ver Egor Orudzhev na frente foi algo comum em Teretonga

Finalmente podemos falar que estamos oficialmente em 2014. Depois de tediosas semanas sem movimentação, a nova temporada do automobilismo começou no último fim de semana, com a disputa da etapa de Teretonga da Toyota Racing Series, campeonato realizado na Nova Zelândia.

Só que nem tudo foi sombra e água fresca para os competidores. Quer dizer, foi. É que apesar de eles terem ido ao pequeno país da Oceania para fugir do rigoroso inverno europeu, a chuva esteve presente constantemente em Teretonga, obrigando aos jovens mostrar talento nas mais variadas condições.

Por causa do aguaceiro, o primeiro treino classificatório foi encerrado com quase cinco minutos restando no cronômetro, o que garantiu um grid bastante embaralhado. Favorito desde o começo da pré-temporada, Steijn Schothorst garantiu a primeira colocação, seguido pelos locais Damon Leitch e Michael Scott.

Mais rápido nos treinos livres, Egor Orudzhev foi apenas o sexto. No entanto, o russo deu o troco na segunda sessão (essa sem qualquer problema), garantindo a posição de honra com Leitch e Schothorst vindo logo atrás. Pedro Piquet foi um dos destaques da atividade ao ficar com a décima colocação entre 23 carros no primeiro treino classificatório completo que participou na carreira.

Orudzhev venceu a primeira corrida após problema dos líderes
Orudzhev venceu a primeira corrida após problema dos líderes

A primeira corrida viu Schothorst manter a ponta na largada, com Leitch vindo na sequência. Quem tracionou bem foi Orudzhev, que assumiu a terceira colocação e partiu para o ataque em cima do neozelandês. O russo, no entanto, nem precisou se arriscar, já que o adversário acabou abandonando com um problema na asa traseira.

Com isso, Schothorst conseguiu abrir na liderança, mas viu a diferença ser dizimada com a entrada do safety-car. No recomeço, o carro do holandês deu uma engasgada, permitindo que Orudzhev assumisse a primeira colocação. A partir daí, o russo só precisou administrar a vantagem e vencer a primeira corrida da carreira na Nova Zelândia. Martin Rump foi o segundo, seguido pelo experiente australiano Jordan Oon. Gustavo Lima foi o 12º e Pedro Piquet, o 15º.

Se na primeira corrida assumir a liderança foi uma maldição, o mesmo aconteceu na segunda prova. Largando na pole após uma punição aplicada a Levin Amweg, Matevos Isaakyan não tracionou bem, deixando que Andrew Tang assumisse a ponta. O cingapuriano, no entanto, não foi capaz de se defender dos ataques de Orudzhev, que havia largado em oitavo, mas já ocupava a segunda posição.

Só que dessa vez o russo não deu sorte. Ele também sofreu com um problema no carro e foi obrigado a abandonar. Melhor para Tang, que fez suco dos adversários e cruzou a linha de chegada na frente. Revelado no videogame, Jann Mardenborough foi o segundo, com Rump novamente indo ao pódio. Pedro Piquet encerrou em 13º e Gustavo Lima, em 17º.

Andrew Tang viu Orudzhev abandonar e venceu a corrida 2
Andrew Tang viu Orudzhev abandonar e venceu a corrida 2

A normalidade voltou na última corrida do fim de semana. Chamada de Espírito das Nações, a terceira bateria foi aquela que não teve a classificação afetada pela chuva. Mais uma vez, melhor para Orudzhev. O russo largou na frente e dominou de ponta a ponta as 20 voltas da competição para vencer pela segunda vez.

Leitch foi o segundo, enquanto Schothorst foi o terceiro. Apesar dos dois pódios nas primeiras corridas, Martin Rump não conseguiu ir além da oitava posição. Entre os brasileiros, Pedro Piquet fechou em 13º após largar em décimo, com Gustavo Lima sendo o 16º.

Após as três corridas, Rump lidera o campeonato com 166 pontos, contra 150 de Orudhev. Jann Mardenborough, com 140 é o terceiro. Você pode ver a classificação completa clicando aqui.

Pedro Piquet teve uma estreia bem cheia
Pedro Piquet teve uma estreia bem cheia

Ainda falando na tabela de pontos, a Toyota Racing Series é uma daquelas categorias que ainda precisa alterar o regulamento por causa da regra do grid invertido. O problema é que a segunda bateria – cujo grid é definido pela inversão dos melhores classificados da primeira prova – tem o mesmo peso das demais.

Ou seja, em uma situação de treino classificatório e/ou corrida conturbados, como aconteceu neste fim de semana por causa da chuva, um piloto já sai duplamente prejudicado, pois terá que fazer duas provas de recuperação, valendo o mesmo número de pontos. É mais ou menos o que aconteceu com Egor Orudzhev. O russo foi o grande destaque em Teretonga, mas por ter abandonado a segunda bateria está atrás de Rump na tabela.

Quem também teve algum brilho foi Piquet. Apesar de o garoto ter enfrentado problemas nas largadas e relargadas, o que é normal para quem está começando, ele conseguiu andar no ritmo de pilotos mais experientes. No duelo com Martin Kodric, outro que também acabou de deixar o kart, o croata ficou para trás nesta etapa.

A Toyota Racing Series volta à pista já neste fim de semana em Timaru.