A nova casa de Felipe Massa
A nova casa de Felipe Massa

Naquele segredo menos bem guardado do ano, a Williams confirmou nesta segunda-feira, dia 11, a contratação de Felipe Massa. O brasileiro assinou contrato de vários anos e, ao menos até o fim de 2015, está garantido na F1.

Em Grove, Massa vai encontrar uma situação praticamente inédita na F1, a de primeiro piloto. Ele já havia ocupado essa função durante alguns poucos momentos da temporada 2008 – quando lutou pelo título –, embora a Ferrari, naquela época, não tinha uma preferência clara entre ele e o então companheiro Kimi Räikkönen.

A oportunidade de liderar o time, no entanto, também significa pressão extra para o brasileiro. Basta lembrar que o outro piloto da escuderia, Valtteri Bottas, sequer pontuou na F1 em 19 provas já disputada.

Por isso, Massa precisa responder de alguma forma. No mínimo, o que se espera dele é um desempenho parecido com esta fase final de temporada 2013. Basta lembrar que das últimas seis corridas, ele largou à frente de Fernando Alonso em cinco, chegou a liderar o GP da Índia e, em Abu Dhabi, poderia ter sonhado com uma posição melhor que o oitavo lugar se não fosse a estratégia de Ferrari de colocar pneus médios.

Como o cartão de visitas é sempre importante, Massa ainda tem mais duas chances de impressionar a Williams neste ano. A primeira é neste fim de semana, em Austin, onde o brasileiro havia superado Alonso no treino classificatório do ano passado, mas acabou tomando uma punição premeditada para que o espanhol largasse do lado limpo da pista. Mesmo assim, ele terminou aquela corrida em quarto, 7s atrás do companheiro de equipe.

A última chance, como não poderia deixar de ser, será em Interlagos. No Brasil, Felipe sempre teve um bom desempenho e, em 2012, ele precisou deixar o companheiro de equipe passar, uma vez que o espanhol ainda lutava pelo título.

O problema, porém, é que não adianta chegar com moral na Williams se o carro do ano que vem não ajudar. E levando em conta como a equipe inglesa estava frustrada com o feedback técnico de Pastor Maldonado, as perspectivas, ao menos por enquanto, não são das melhores.