O desempenho de Felipe Nasr na Itália não foi tão ruim, mas o retrospecto negativo nas últimas etapas pesa contra ele
O desempenho de Felipe Nasr na Itália não foi tão ruim, mas o retrospecto negativo nas últimas etapas pesa contra ele

Felipe Nasr não poderia ter conquistado um resultado pior na etapa da Itália da GP2, disputada no último fim de semana. Lutando pelo título de 2013, o brasileiro abandonou a primeira prova devido a um problema mecânico e não conseguiu se recuperar na segunda bateria, ficando longe da zona de pontos.

Com isso, o piloto da Carlin caiu da segunda para a quarta posição no campeonato e agora está 29 pontos atrás do líder, Fabio Leimer.

Entretanto, a recepção desse resultado aqui no Brasil foi muito maior do que a realidade. É verdade que Nasr não foi bem durante todo o fim de semana. Foi apenas o 15º no treino livre, se classificou em 12º no grid de largada(o pior resultado do ano) e estava em um ritmo de prova para chegar entre a sexta e a oitava posição.

Só que mesmo esse rendimento ruim não coloca necessariamente o brasileiro fora da briga pelo título. Embora a diferença para Leimer seja bastante grande, ainda há 96 pontos em jogo nas duas últimas etapas de 2013. É difícil tirar? É, mas é possível.

Portanto, talvez a grande desconfiança com relação a Nasr neste momento não é exatamente quanto ao desempenho na Itália ou a diferença para Leimer, mas a falta de resultados desde que ele se colocou na luta pelo título de 2013. Nas últimas cinco etapas, o brasileiro teve problemas em corridas principais em quatro oportunidades, o que certamente minou quase todas as chances de ficar com a taça.

Apesar disso, vale lembrar que apenas na Bélgica o piloto de fato cometeu um erro, ao se chocar com o companheiro de equipe, Jolyon Palmer, ainda no começo da prova. É verdade que dava para evitar o acidente com Marcus Ericsson, em Silverstone, mas aí precisa de bom senso. Se era para Nasr ser cauteloso na Inglaterra, então não adianta criticar a falta de combatividade nas últimas provas.

De resto, não havia nada o que ele pudesse fazer com os problemas nos pneus na Alemanha e com a quebra na Itália.

Caso o título não venha em 2013, o piloto poderia ficar na GP2 em 2014 para recuperar a imagem
Caso o título não venha em 2013, o piloto poderia ficar na GP2 em 2014 para recuperar a imagem

Contudo, seja culpa do piloto ou não, essa queda de rendimento pode comprometer a chegada à F1. Se nas primeiras corridas, o brasileiro era o piloto com melhor desempenho na GP2, agora ele está atrás de boa parte dos adversários, incluindo aí António Félix da Costa, que compete na World Series by Renault e rival na luta por uma vaga na Toro Rosso. Além disso, o fato de ainda não ter vencido no certame pesa contra ele.

Mesmo assim, Nasr ainda tem alguns motivos para ficar otimista para as etapas finais. Nada impede que Leimer e Sam Bird também tenham problemas, daí vai depender do brasileiro conseguir dar a volta por cima e, quem sabe, conseguir a tão almejada vitória para tentar ficar com o título.

O que pesa a favor dele é não estar mais tão pressionado. Neste momento, o piloto da Carlin é o azarão da disputa. A pressão, portanto, está nos outros competidores. Se Nasr não conseguir tirar a diferença nas corridas finais, já será algo esperado levando em conta o retrospecto até aqui. Do contrário, caso fique com a taça, Felipe fará um favor a si mesmo com relação às chances de chegar à F1.

Por fim, também já é uma boa ideia o piloto seguir o mantra do planejamento: “se prepare para o pior, mas torça pelo melhor”. Isto é, já cogitar fazer mais uma temporada da GP2 em 2014, caso a queda de desempenho se confirme em Cingapura e em Abu Dhabi.

Aliás, nesta segunda-feira, dia 9, surgiu um boato de que Nasr pode competir pela Lotus no próximo ano como piloto reserva. Além de poder pilotar nos treinos de terça e quarta-feira, não seria ruim para o brasileiro também continuar na GP2, agora ainda mais experiente. Para isso, por que não tentar uma equipe de ponta em 2014? Pode ser a solução para não ficar sem correr e melhorar a imagem na categoria principal.