Não existe disputa. Kimi Raikkonen é candidato único à vaga de Mark Webber em 2014
Não existe disputa. Kimi Raikkonen é candidato único à vaga de Mark Webber em 2014

Não há nenhuma dúvida de que o assunto mais importante deste fim de semana de F1 até agora é a saída de Mark Webber da Red Bull. Entretanto, apesar de estarmos falando de uma das vagas mais cobiçadas da categoria, não há muito espaço para especulação sobre o futuro. Nesta sexta-feira, dia 28, quem tratou de diminuir ainda os boatos foi o chefe da escuderia austríaca, Christian Horner.

Em uma entrevista à emissora inglesa Sky Sports, o dirigente revelou que a lista de possíveis substitutos para Webber não é lá muito extensa. Como já é praticamente de domínio público, ela conta com três nomes: Kimi Raikkonen, Daniel Ricciardo e Jean-Éric Vergne. Os dois últimos, a atual dupla da Toro Rosso.

Como há um buraco muito grande entre Raikkonen e os dois garotos da Toro Rosso, sem a presença de qualquer nome intermediário, fica mais do que claro que a lista, na verdade, só tem um único nome, o do finlandês. Os outros dois pilotos só vão ser contatados se as negociações com o nórdico não derem certo.

Para tirar Kimi da Lotus, a Red Bull tem algumas barreiras. A primeira delas é que o finlandês é um dos acionistas da escuderia inglesa, por isso seria um conflito de interesses ter participação em um time, mas correr para outro. O segundo obstáculo é a própria negociação em si. Raikkonen pode querer continuar na Lotus, por toda a liberdade que tem na equipe, ou então fazer uma pedida salarial muito acima do que os taurinos estão esperando.

Por fim, sempre existe a possibilidade de Sebastian Vettel vetá-lo, o que não é muito provável. A Red Bull já confirmou que o alemão será consultado sobre a contratação do companheiro de equipe, mas como ele e Raikkonen são amigos de longa data – desde a época do germânico na Toro Rosso – então esse talvez não seja um problema.

Enquanto as negociações com o finlandês se desenrolam é interessante ver o que acontece na Toro Rosso. Nesta sexta, a dupla de jovens pilotos esteve incendiada. Daniel Ricciardo, por exemplo, foi o mais rápido no esvaziado primeiro treino livre, marcado pela chuva, e voltou a ter um bom desempenho na segunda sessão, quando todos os carros estiveram na pista. Jean-Éric Vergne ficou um pouco mais atrás, mas ainda assim em uma boa sétima posição.

Quanto a Kimi, o ainda piloto da Lotus perdeu dos dois concorrentes. Tendo sido o único dos 22 pilotos do grid a não ter usado o pneu macio, o finlandês fechou apenas com a 13ª colocação, 1s8 atrás de Nico Rosberg e 0s9 depois de Ricciardo.