Anthoine Hubert puxando a fila da F4. Algo comum neste ano
Anthoine Hubert puxando a fila da F4. Algo comum neste ano

Um tempo atrás escrevi aqui no World of Motorsport que a disputa pelo título da temporada 2013 da F4 Francesa ficaria entre Neal Van Vaerebergh – sucessor de Stoffel Vandoorne no programa da pilotos da federação belga – e Tristan Viidas, estoniano que foi vice-campeão da BMW Talent Cup no ano passado.

Ao que tudo indica até agora, errei feio a minha previsão. É que faltou combinar com Anthoine Hubert.

O piloto de 16 anos de idade e nascido na cidade de Lyon, na França, vem sendo o grande nome do certame até aqui. Em nove corridas disputadas, ele largou na pole-position em cinco (de seis possíveis, já que outras três tiveram o grid invertido), marcou a volta mais rápida em quatro e venceu em sete oportunidades, incluindo as três em Spa-Francorchamps no último fim de semana.

Como resultado, Hubert disparou na classificação, com 199 pontos, contra 73,5 do segundo colocado, o finlandês Simo Muhonen. Os dois em que eu havia apostado vêm um pouco mais atrás Viidas é o terceiro, com 70 pontos (tendo marcado 40 deles em Spa), enquanto Vaerenbergh é apenas o sétimo, com 50.

O domínio de Hubert fica ainda mais evidente avaliando os tempos dele com relação aos adversários. No difícil circuito de rua de Pau, ele foi 1s mais veloz que o segundo colocado no treino livre. Na classificação, o restante do grid chegou mais perto e a diferença caiu para apenas 0s4.

Em Spa, a pole veio com uma vantagem de 0s6, enquanto o piloto venceu uma das corridas com 9s de vantagem para o segundo colocado. O resultado é mais significativo ao se levar em conta que houve apenas oito voltas na disputa.

O bom momento do garoto, no entanto, não é garantia de sucesso na carreira. Embora nomes como Franck Montagny, Loïc Duval e Jean-Éric Vergne foram campeões do certame e tiveram sucesso por onde passaram, outros nomes não tiveram a mesma sorte. Aliás, desde o título de Vandoorne, em 2010, os outros vitoriosos ainda encontram percalços na carreira.

Em 2011, Matthieu Vaxivière foi o campeão da F4, mas o francês teve problemas de adaptação à F-Renault. No ano passado, ele marcou um único ponto no certame continental, enquanto na atual temporada ele vem de altos e baixos, tendo vencido as duas corridas em Aragón, mas somado um único ponto em Spa.

Vida ainda mais dura tem Alex Baron, o campeão de 2012. Depois de triunfar na França com nove vitórias em 14 corridas, o garoto passou a ser empresariado por Nicolas Todt – o mesmo de Felipe Massa, Pastor Maldonado e Jules Bianchi –, mas também enfrenta problemas no certame continental. Em quatro corridas até agora na F-Renault, nenhum ponto marcado e a 15ª posição apenas como melhor resultado.

Com isso, é bom Hubert abrir o olho. O título da F4 pode valer, em um primeiro momento, menos do que parece.