Os cinco novatos da F1 em 2013 passam por um jejum de pontos inédito na categoria
Os cinco novatos da F1 em 2013 passam por um jejum de pontos inédito na categoria

Valtteri Bottas, Esteban Gutiérrez, Jules Bianchi, Max Chilton e Giedo van der Garde. Os cinco novatos da temporada 2013 da F1 acumularam no GP da Espanha uma marca incômoda na carreira. Dos últimos 200 pilotos que estrearam na categoria – de 1980 até agora – este é o primeiro ano em que os estreantes levaram mais que cinco corridas para somar os primeiros pontos na F1 (ou então chegar entre os dez primeiros).

De 1980 até hoje, em 26 temporadas algum novato pontuou nas cinco primeiras provas do campeonato. Alain Prost, por exemplo, marcou pontos logo na estreia. O mesmo aconteceu com nomes como Johnny Herbert, Jacques Villeneuve, Pedro de la Rosa, Kimi Raikkonen, Mark Webber, Nico Rosberg, Lewis Hamilton, Sébastien Bourdais, Sébastian Buemi e Paul Di Resta.

Já gente como Gilles Villeneuve, Danny Sullivan, Cristiano da Matta, Michael Andretti e Ralph Firman demoraram um pouco mais. Eles levaram cinco corridas, mas conseguiram chegar ao seleto grupo de pontuadores.

Entretanto, em sete temporadas a situação não foi tão simples. A mais recente aconteceu em 2004, quando Gianmaria Bruni, Giorgio Pantano, Christian Klien e Timo Glock estrearam na categoria. Dos quatro, apenas o alemão conseguiu marcar pontos naquele ano, e foi justamente na estreia, no GP do Canadá. Entretanto, a prova de Montreal foi apenas a oitava do campeonato. Um pouco antes, na segunda prova do ano, na Malásia, Klien chegou em décimo, mas na época apenas os oito primeiros pontuavam. De qualquer modo, um resultado que lhe daria pontos nos dias de hoje.

Voltando um pouco mais no tempo, o ano de 1998 teve apenas Esteban Tuero e Tora Takagi como novatos. Os dois, claro, terminaram a temporada sem pontuar, mas o argentino teve um desempenho parecido com o de Klien e foi o oitavo colocado no GP de San Marino, quarta etapa daquele campeonato.

Alex Wurz marcou pontos em 1998 e salvou a alegria da galera daquele ano
Alex Wurz marcou pontos em 1998 e salvou a alegria da galera daquele ano

Além disso, Alex Wurz marcou pontos logo na segunda corrida de 1998. Só que o austríaco havia feito três corridas na F1 no ano anterior. Vamos falar a verdade, ele não deixa de ser um novato nesse caso, como se a experiência de ter feito três provas tivesse mudado muita coisa na situação dele. Por isso, considero que neste caso um novato tenha pontuado nas cinco primeiras provas daquele ano.

Em 1995, a situação foi mais simples. Em uma geração que contava com Pedro Paulo Diniz, Giovanni Lavaggi, Max Papis e Jean-Cristophe Boullion, ninguém pontuou nas primeiras corridas do ano, mas o brasileiro terminou duas vezes no décimo lugar nas cinco etapas de abertura do campeonato.

Três anos antes, a história se repetiu. Foi Ukyo Katayama, com um nono lugar na terceira corrida, que salvou a honra de um grupo de novatos que também tinha Christian Fittipaldi, Damon Hill, Paul Belmondo, Emanuele Naspetti, Gioavana Amati e Andrea Chiesa.

Se Alex Wurz foi o único novato a pontuar em 1998, dez anos antes a F1 viveu um momento parecido. Naquela época, Aguri Suzuki, Mauricio Gugelmin, Julian Bailey, Bernd Schneider, Pierre-Henri Raphael, Luiz-Perez Sala e Pierre Larrauri falharam na tarefa de terminar as primeiras corridas na zona de pontos. Coube, assim, a Nicola Larini e Gabriele Tarquini fecharem no top-10. Enquanto o primeiro terminou o GP de Mônaco em nono, o segundo foi o oitavo no Canadá.

Só que ambos já haviam corrido na F1 em 1987. Naquele ano, Tarquini disputou apenas o GP de San Marino, tendo abandonado a prova, enquanto Larini não conseguiu se classificar na Itália e abandonou na Espanha. Assim como Wurz, eles não eram realmente estreantes em 1988, mas não deixavam de ser novatos.

Raul Boesel foi o único a terminar no top-10 em 1982
Raul Boesel foi o único a terminar no top-10 em 1982

Também em 1982 nenhum piloto marcou pontos nas primeiras cinco corridas, mas o brasileiro Raul Boesel fechou em nono e em oitavo e teria pontuado se o regulamento fosse o mesmo dos dias de hoje.

A única vez na história da F1, desde 1980, que nenhum piloto estreante marcou ponto nas cinco primeiras corridas do ano nem mesmo com as exceções já citadas aqui foi em 1985, quando Christian Danner e Ivan Capelli estrearam na categoria. E isso aconteceu porque não tinha nenhum novato nas primeiras provas.

O alemão, por exemplo, só foi participar da primeira corrida no certame na 13ª etapa, na Bélgica, onde abandonou. Depois, ele ainda correu em Brands Hatch e mais uma vez não conseguiu completar. Capelli, por sua vez, estreou justamente na mesma etapa britânica e foi mais um a não chegar ao fim da corrida. O italiano, porém, conseguiu um heroico quarto lugar no GP da Austrália, na segunda prova que fazia na categoria, mas já no encerramento do campeonato.