Oliver Rowland é um dos 12 pilotos no grid da F-Renault
Oliver Rowland é um dos 12 pilotos no grid da F-Renault

GP da Espanha, GP de Mônaco e GP do Brasil. Basta falar em GP que a primeira coisa que lembramos é uma corrida da F1. Apesar disso, algumas provas em todo o mundo resistem bravamente com a denominação Grand Prix, mesmo sem atrair a principal categoria do automobilismo.

Uma dessas provas é o GP de Pau, que acontece na França e, em 2013, está na 72ª edição. Nos últimos anos, a principal categoria do evento era a F3, já que a competição fazia parte tanto do calendário Inglês quanto do Europeu. Entretanto, com a diminuição da F3 Inglesa de dez para quatro etapas neste ano, o GP acabou sobrando.

Como a F3 Europeia está em Brands Hatch, os organizadores do evento francês precisaram correr para fechar com alguma categoria para que o GP de Pau também fosse disputado por monopostos em 2013. A escolhida foi a F-Renault. Só que embora este campeonato seja dividido em diversas versões pelo mundo – como Eurocup, Alps e NEC – a etapa na França se tornou um evento fora de qualquer certame, quase como uma competição entre os melhores pilotos de cada um deles.

O problema é que como houve pressa para que a F-Renault fechasse o contrato, o evento acabou encavalado no meio do calendário. A F-Renault Alps, por exemplo, esteve em Ímola na semana passa. Em duas semanas, será a vez da Eurocup correr em Spa-Francorchamps, enquanto a Norte-Europeia (NEC) também estará no traçado belga em três semanas.

Ou seja, as equipes que resolverem participar da prova em Pau podem ter uma dor de cabeça e tanto caso um carro seja avariado durante a corrida – lembrando que ela é disputada em um circuito de rua – e pode não haver tempo para deixar tudo pronto para alguma das corridas seguintes. Isso sem falar no custo extra de tomar parte de mais uma corrida.

Nesta foto você consegue ver metade do grid do GP de Pau. Ou quase isso...
Na foto você consegue ver metade do grid do GP de Pau. Ou quase isso…

O resultado é que o GP de Pau teve uma lista de inscritos curtíssima. Apenas 12 pilotos andaram nos treinos, sendo que dois são gentleman franceses convidados para participar do evento e quase não são competitivos. Um número decepcionante para uma prova com tradição quase centenária.

Por outro lado, quem tiver coragem de assistir às corridas de 12 carros na França não vai ter muita coisa para reclamar do grid, afinal, os principais pilotos da modalidade estão por lá. O destaque, claro, são Matthieu Vaxivière, líder da tabela de pontos na F-Renault Eurocup, e Matt Parry, o primeiro colocado na NEC.

Da Alps, Antonio Fuoco não está correndo, mas Pierre Gasly, o brasileiro Bruno Bonifácio e Luca Ghiotto (segundo, terceiro e quarto, respectivamente) estão presentes. Os outros cinco pilotos são Jake Dennis, Oliver Rowland, Egor Orudzhev, Alfonso Celis Jr e Tristan Papavoine. A eles ainda se juntam os franceses convidados Nicolas Pironneau e Marc Cattaneo.

É claro que ver um evento com apenas 12 carros significa que a competitividade vai ser menor. Entretanto, para os dez pilotos que estão participando praticamente da primeira corrida em circuito de rua da vida, a quilometragem acumulada pode ser inestimável para os próximos passos que derem na carreira.

Nos treinos deste sábado, Bonifácio não foi bem e terminou com a nona colocação nas duas atividades. Assim, ele fica um pouco mais distante de repetir Roberto Pupo Moreno, Gil de Ferran e Augusto Farfus como pilotos brasileiros que já venceram em Pau.