Beitske Visser vai defender as cores da Red Bull em 2013
Beitske Visser vai defender as cores da Red Bull em 2013

A Red Bull sempre foi mestra do marketing e da autopromoção na hora de contar suas novidades. Todos os anos, a escuderia juntava seus jovens pilotos para apresentar as novas gerações do Red Bull Junior Team, o programa da empresa de descobrir novos talentos no esporte a motor.

Em 2013 nada disso aconteceu. Após o fracasso dos pilotos rubro-taurinos no ano passado, salvo António Félix da Costa, a empresa decidiu mudar de postura e, na surdina, anunciou a contratação de Beitske Visser, a primeira mulher a fazer parte do programa.

A holandesa de apenas 18 anos de idade já foi assunto aqui do World of Motorsport em diversas oportunidades. Ela começou a correr no ano passado pela Lotus, na Adac Masters, da Alemanha, quando conquistou duas vitórias, mas perdeu cinco corridas devido a duas graves lesões que sofrera.

Ainda assim, conseguiu impressionar. Tanto é que a Lotus queria levá-la para a F3 Alemã. O acordo já estava pronto, mas aí surgiu a Red Bull. E que piloto no mundo iria negar a oportunidade de participar do programa rubro-taurino, não é verdade?

Assim, o acerto rapidamente foi costurado e Beitske será companheira de equipe de Callan O’Keeffe na Adac Masters, onde, obviamente, já é apontada como uma das favoritas para a temporada de 2013.

Ela é sem dúvida favorita ao título de 2013
Ela é sem dúvida favorita ao título de 2013

O ponto positivo desta história é que a holandesa não foi contratada pela Red Bull como uma decisão demagoga da empresa de que precisava de uma mulher em seus carros. Ainda que ser garota tenha pesado na decisão – não acredito que um menino com desempenho similar ao dela tivesse chances no Junior Team –, Beitske já mostrou diversas vezes que dever ser, sim, respeitada por aquilo que consegue fazer na pista.

Eu sempre tive para mim a ideia de que para uma mulher conseguir chegar à F1 e ter sucesso ela precisaria vencer o pensamento machista de que “ela dirige bem para uma mulher” e ser avaliada de igual para igual contra qualquer outro piloto. Beitske já provou isso ao longo de toda a carreira. Ela foi campeã europeia de kart e venceu duas corridas na temporada em que estreou na Adac Masters.

Por fim, vale ressaltar a mudança de postura da Red Bull com o programa de jovens pilotos. Se antes eles contratavam nomes questionáveis e com pouca história no esporte, como Jaime Alguersuari, Daniil Kvyat, Lewis Williamson e Stefan Wackerbauer, agora eles estão indo direto em pilotos que já mostraram potencial.

Uma escalação com Félix da Costa, Beitske, Tom Blomqvist, além de Carlos Sainz Jr., Daniil Kvyat e O’Keeffe é bastante respeitável.