Axcil Jefferies será obrigado a ver o automobilismo pela televisão em 2013
Axcil Jefferies será obrigado a ver o automobilismo pela televisão em 2013

Uma das notícias mais tristes do automobilismo nesta semana foi o anúncio de que Axcil Jefferies não vai disputar nada este ano por falta de dinheiro. É verdade que todos os anos muitos e muitos pilotos abandonam a carreira sem um patrocinador, mas o que torna este garoto especial é o fato de ele ser o único piloto do Zimbábue no automobilismo mundial.

Essa, na verdade, não é a primeira vez que o garoto de apenas 18 anos de idade para de correr. Depois de ter ganhado uma bolsa da BMW para disputar o campeonato asiático da categoria, em 2009, Jefferies só disputou algumas corridas no ano seguinte. Desde então, ele ficou longe do esporte e só voltou a correr em 2012, quando arrumou um patrocinador do próprio Zimbábue para participar das últimas seis rodadas da F2.

Para quem ficou tanto tempo longe das pistas, o desempenho não foi ruim. Ele marcou pontos em oito das últimas nove provas e terminou o campeonato na 12ª posição, com 17 pontos.

Para 2013, ele havia fechado um acordo com a equipe Double R, que planejava inscrever dois carros na F2. Só que a presença do time de Anthony Hieatt no certame ainda não estava garantida. Até o ano passado, a F2 não era aberta às equipes, com todos os carros sendo preparados pela organização do campeonato. Para tentar expandir a categoria, uma das soluções propostas era atrair diversas escuderias, motivadas pelo baixo custo do torneio.

Essa ideia, no entanto, acabou sendo voto vencido, e a F2 encerrou as atividades no fim do ano passado. Consequentemente, a Double R, que já havia anunciado a intenção de alinhar carros para Jefferies e para o britânico Daniel McKenzie, foi obrigada a ficar de fora do certame, deixando os dois garotos a pé.

Sem ter onde correr, a Double R cogitou participar da F3 Sibéria. Ok, esse campeonato não existe
Sem ter onde correr, a Double R cogitou participar da F3 Sibéria. Ok, esse campeonato não existe

De qualquer modo, vida que segue, e a Double R passou a focar as operações apenas na F3 Inglesa. O time, aliás, foi o primeiro a anunciar os pilotos para o campeonato de 2013, ao assinar com os promissores Antonio Giovinazzi e Sean Gelael, que haviam feito carreira na Ásia.

Só que o futuro não foi tão brilhante. Como apenas a Double R e a peque Eagle haviam confirmado participação, a organização da F3 Inglesa decidiu cortar o calendário da categoria de dez para quatro etapas como uma forma de sobrevivência – você pode clicar aqui e entender os motivos desta decisão.

Alguém pode dizer que é apenas coincidência o fato de a Double R ter sido a única equipe a anunciar participação nesses dois campeonatos, e eles terem fechado em sequência. Besteira, está cada vez mais claro que é tudo culpa da equipe de Anthony Hieatt.

Para não ficar sem correr e com medo de fechar mais algum certame, a Double R acabou acertando com a reformulada F3 Europeia – que deve ter cerca de 30 carros em 2013 – e ao que tudo indica vai conseguir colocar os carros na pista. Além de Giovinazzi e Gelael, o time ainda trouxe Tatiana Calderón para o terceiro carro.

Ao que tudo indica, eles vão conseguir competir em 2013. No entanto, se algo acontecer na F3 Europeia até o fim deste ano, você já sabe de quem é a culpa.