O nada empolgante calendário do GT Series

O poster da etapa de Nogaro do GT Series. Pena que mesmo com Loeb, Barthez e Cacá Bueno o campeonato corra em circuitos do segundo escalão
O poster de Nogaro do GT Series. Pena que mesmo com Loeb, Barthez e Cacá Bueno o campeonato corra em circuitos do segundo escalão

O antigo Mundial de GT1 da FIA, agora renomeado como GT Series, se prepara para o início da temporada 2013. Após o fracasso do campeonato passado, que via os organizadores literalmente pagarem para os times menores correr e cumprir o grid mínimo estabelecido por contrato, o novo certame parece ter alguns atrativos a mais.

Além de nomes conhecidos do automobilismo mundial, como Álvaro Parente, Adam Carroll e Markus Winkelhock, o certame terá a presença de Sébastien Loeb, megacampeão do WRC, que vai disputá-lo de forma integral. Outro nome conhecido é o de Fabien Barthez, goleiro careca campeão do mundo pela França, na Copa de 1998, ao vencer o Brasil na decisão.

Aliás, os brasileiros terão uma boa oportunidade de se vingar do arqueiro. Isso porque ao menos oito pilotos do país devem disputar o campeonato. A BMW deverá ter Cacá Bueno e Allam Khodair em um carro, enquanto Sérgio Jimenez e Ricardo Zonta vão dividir o outro.

Já o time Rodrive, de Portugel, resolveu apostar nos pilotos daqui. Assim eles terão Matheus Stumpf, Claudio Ricci, Felipe Tozzo e Raijan Mascarello a bordo dos Ford GT.

Por causa da presença maciça dos pilotos do país – principalmente de certo pentacampeão da Stock Car –, o SporTV vai transmitir o campeonato em 2013. Assim, aqui do Brasil será possível acompanhar às corridas da GT Series e conferir o duelo entre os pilotos citados acima.

O único problema é o calendário da categoria. Depois de o GT1 ter sido reformulado, cortado a apenas cinco corridas na Europa e ter conseguido atrair nomes importantes do automobilismo de várias partes do mundo, nada mais natural que correr em algumas das pistas mais icônicas do esporte, certo?

Pois é, os organizadores não pensam assim. A rodada de Abertura acontece em Nogaro, na França, uma pista apenas do segundo escalão do país, atrás de Magny-Cours, Paul Ricard e Pau, por exemplo. Depois, os carros correm em Zolder e Zandvoort, onde há algum valor histórico, por já terem recebido a F1.

Na sequência, no dia 18 de agosto, o GT Sprint corre na Eslováquia, um país que está longe de ter alguma importância para o automobilismo mundial. A última etapa europeia acontece em Navarra, na Espanha, outro país que tem pelo menos meia dúzia de circuitos melhores em condição de receber a categoria.

A principal razão para esse calendário pífio é o custo. Afinal, alugar esses circuitos pouco relevantes é muito mais barato que montar etapas em Spa-Francorchamps, Monza, Hockenheim, Silverstone, entre outros. Mas aí essa escolha acaba diminuindo o valor do próprio campeonato. Lamentavelmente.

9 comentários sobre “O nada empolgante calendário do GT Series

  1. Os autódromos visitados pelo GT Series realmente são “meia-boca”, para se ter uma ideia o Slovakiaring tinha uma chicane de pneus bem porca por causa de uma parte do circuito onde os carros literalmente decolavam. Os circuitos tradicionais estão presentes no Blancpain Endurance Series, que é o certame mais interessante desses da SRO e é paralelo ao GT Series, afinal os dois são organizados possibilitando às equipes participarem dos dois, Seria interessante se eles juntassem os campeonatos de vez, um campeonato de GT “metade sprint metade endurance” com um “Endurance Trophy”, um “Sprint Trophy” e um título principal para o melhor nos dois somados. Eu já cheguei a ler que a SRO tinha a intenção de possibilitar às equipes que estivessem no GT Series e no BES pontuarem para um título “geral”, mas parece que a ideia não foi para frente.

    Curtir

  2. Queria saber se o Grande Premio não cobre mais a Grand-AM. Nada foi dito sobre a corrida de sábado 02 de Março em Austin Texas. A FOX Sports não transmitiu e simplesmente se esqueceu de dizer qualquer coisa aos seus Assinantes. Já fiz o mesmo comentáeio há mais de 5 horas no blog do Victor Martins e ainda não foi moderado. Voces esqueceram, erraram ou desistiram de cobrir ? Afinal o maior site de automobilismo do país deve falar de categoria que tem 3 brasileiros disputando, e 2 que já venceram sua maior corrida,as 24 H Daytona

    Curtir

    1. Grande Mefistófeles, fazia tempo que você não comentava por aqui!

      Bom, em primeiro lugar acho que voce está reclamando no local errado. Se é uma crítica ao Grande Prêmio, então seria melhor reclamar no Grande Prêmio. Não no meu blog. Temos uma área na empresa que recebe todas as reclamações dos leitores e nos repassa. Posso te garantir que muitas coisas implementadas no site vieram a partir dos leitores.

      Quanto à Grand-Am, não sou a pessoa mais indicada para te responder. Eu estava na cobertura da Stock Car neste fim de semana e não tomei conta da categoria. Mas vendo aqui o trabalho que meus colegas fizeram, acho que voce se equivocou. Tem uma notícia aqui do dia: http://www.grandepremio.com.br/endurance/noticias/fogarty-e-gurney-vencem-na-grand-am-em-austin-fittipaldi-e-pizzonia-vao-ao-top-10-negri-abandona

      Curtir

      1. Olá Felipe, obrigado, me desculpe. Procurei pela notícia antes e não achei. Sei que aqui não é o local adequado, mas como sei que voce sempre responde e também não achei na página inicial do site algum canal ou e-mail para mandar a pergunta, resolvi colocar aqui, e aproveito para registrar a minha reclamação contra a FOX Sports, que não transmitiu e nen disse nada aos seus assinantes. Abraço!

        Curtir

        1. Achei no final da página inicial, lá embaixo em letras pequenas o canal de contato, mas ao clicar abre para mandar e-mail via outlook express, programa que não uso, fica dificil falar então.

          Curtir

  3. Vou discordar em partes. A prova em Nogaro é o grande evento do automobilismo francês no final de semana. Cai no dia de Páscoa e possui um bom calendário de eventos suporte. A pista é fraca, mas aproveitaram uma boa data.
    As provas na Bélgica e Holanda são meia boca, mesmo. Poderiam ser trocadas por etapas na Itália, Inglaterra ou Alemanha. A prova da Eslováquia é rentável para a categoria, pois os promotores locais bancam a etapa e eles correm em um circuito de boa estrutura.
    Já a etapa em Navarra entra exatamente na sua descrição. É um Tilkódromo, mas de segundo escalão.

    Um adendo: já li boatos de que a etapa em aberto possa vir para o Brasil, pois as datas previstas coincidem com a etapa de Interlagos do GT Brasil. O que esbarra é a grana.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s