Aos 78 anos, James Hylton vai se aposentar
Aos 78 anos, James Hylton vai se aposentar

Um dos pilotos mais velhos em atividade no automobilismo mundial resolveu se aposentar. Aos 78 anos de idade (!), James Hylton anunciou nesta semana que a temporada de 2013 da Arca vai marcar a sua despedida do automobilismo.

Para quem começou acompanhar a Nascar nos últimos anos, Hylton ganhou destaque quando tentou se classificar para a edição de 2007 da Daytona 500, aos 72 anos, podendo se tornar o piloto mais velho a participar de uma etapa da categoria. O veterano bem que tentou, mas acabou não conseguindo entrar na prova via Gatorade Duels e foi obrigado a voltar para casa.

Apesar disso, ele seguiu correndo na Arca, em que desde 2008 tem participado da temporada completa, mas sempre se arrastando pelas últimas colocações. Em resumo, podia ser apenas mais um veterano que não havia conseguido largar o osso e saber a hora de parar.

Mas essa é apenas uma mísera parte da história de Hylton. O americano, na verdade, foi um dos principais pilotos da Nascar na década de 1960. Ele estreou na categoria em 1966, quando conquistou o título de novato do ano e o vice-campeonato na classificação geral ao somar 20 top-5 em 41 corridas. O campeão foi David Pearson, enquanto Richard Petty terminou apenas em terceiro.

O americano estreou na Nascar em 1966 e logo de cara ficou com o vice-campeonato
O americano estreou na Nascar em 1966 e logo de cara ficou com o vice-campeonato

Nos primeiros dez anos de carreira, Hylton só terminou fora dos dez primeiros colocados em 1974. Nesse tempo, ele foi vice novamente em 1967 e em 1971, além de terminar em terceiro em 1969, 1970, 1972 e 1975. Uma carreira bastante digna, portanto. Em 27 anos na Nascar, o americano disputou 602 corridas, venceu apenas duas, mas conseguiu uma importante marca de 301 top-10 (exatos 50% de aproveitamento).

O mais incrível de tudo isso é que Hylton tem, sim, um título na Nascar. É que ele foi o mêcanico-chefe (crew chief) de Ned Jarrett na conquista de 1965, antes de virar piloto. Ele também foi um dos mecânicos de Rex White na campanha vitoriosa de 1960.

Com a aposentadoria de Hylton, a Nascar e o automobilismo americano veem se esvair o que pode ser considerado o elo-perdido entre a época do esporte amador, no sentido de quem competia por amor ao esporte, e a Era Moderna, iniciada em 1972.

Apesar de deixar as pistas, o americano já afirmou que não está disposto a abandonar o automobilismo. Ele já afirmou que planeja continuar como chefe de equipe em 2014, quando deverá inscrever o seu carro de número 48 para um jovem piloto. Bom, teoricamente para Hylton, Mark Martin pode ser considerado um jovem piloto. Aguardemos.