Timo Glock vai disputar o DTM em 2013 pelo DTM
Timo Glock vai disputar o DTM em 2013 pelo DTM

O mercado de pilotos da F1 para a temporada de 2013 parecia estar praticamente definido, com vagas abertas apenas na Force India e na Caterham. Entretanto, nesta semana, a Marussia surpreendeu ao rescindir o contrato de Timo Glock, o melhor piloto do time, para dar lugar a um novato endinheirado.

A matemática da equipe russa é simples. Como Glock recebia cerca de £ 2 milhões por temporada de salário, a escuderia acredita que consegue fechar o orçamento deste ano com a chegada de um piloto pagante, que traga por volta de £ 6 milhões. Com £ 8 milhões a mais no caixa, a equipe segue existindo sem maiores problemas, mesmo que para isso precise comprometer o desempenho na pista.

Glock, por sua vez, não foi bobo. Em menos de uma semana, se acertou com a BMW para completar o plantel da montadora no DTM. Assim, o alemão agora se torna parceiro de Augusto Farfus, Andy Priaulx, Bruno Spengler, Martin Tomczyk, Joey Hand, Dirk Werner e do estreante Marco Wittmann.

Mesmo sendo o único piloto da fabricante a ter experiência na F1, Glock não terá vida fácil em 2013. Isso porque os últimos atletas que fizeram a transição entre essas duas categorias demoraram pegar o jeito dos carros de turismo.

Inspirado na mudança de categoria de Glock, o World of Motorsport fez um levantamento do desempenho dos pilotos da F1 que também disputaram o DTM. E o resultado não é muito animador para o ex-funcionário da Marussia. Até hoje, apenas Mika Hakkinen e Jean Alesi venceram no certame alemão.

Bicampeão da F1, Mika Hakkinen teve relativo sucesso no campeonato alemão
Bicampeão da F1, Mika Hakkinen teve relativo sucesso no campeonato alemão

Antes de ir aos números, explico três critérios. O primeiro é que só considerei pilotos que tiveram alguma relevância na F1. Por isso, nomes como Bernd Schneider – megacampeão do DTM, mas que deixou de se classificar em 25 provas da F1 – e Markus Winkelhock não entraram.

Também ignorei quem disputou o DTM antes de chegar à F1, como Paul Di Resta. Além disso, nesse critério também há uma exceção, Christijan Albers. O holandês chegou a vencer cinco corridas e ser vice-campeão do certame germânico antes de competir pela Spyker. Depois, quando retornou, não conseguiu mais marcar pontos.

Por fim, os números a seguir só valem a partir do ano de 2000, quando o DTM foi recriado. Vamos a eles:

DTM tabela

Como se pode ver, embora os ex-pilotos de F1 não tenham conseguido repetir os bons resultados no DTM, o desempenho não foi tão ruim. Levando em conta os nomes da lista, em ambas as categorias, Hakkinen, Alesi e Heinz-Harald Frentzen foram os que tiveram mais sucesso.

Talvez a grande exceção tenha sido David Coulthard. Depois de ser vice-campeão da F1, o escocês falhou nas três temporadas do DTM, conseguindo como melhor resultado apenas o quinto lugar em Norisring, em 2012. No entanto, além de pilotar no certame alemão, o ex-piloto de McLaren e Red Bull também era comentarista da BBC na F1 e ocupava algum cargo dentro da empresa de energéticos. Talvez o foco dele não estivesse mais nas corridas.

Para encerrar, embora Ralf Schumacher não tenha conquistado uma vitória oficial, ele foi o vencedor do evento de exibição em Munique – nas mesmas regras da Corrida dos Campeões – do ano passado, ao lado de Jamie Green. Os demais nomes, com maior ou menor frequência, somaram diversos top-5 ao longo da carreira, mas não chegaram ao pódio, tampouco venceram.