Victor Franzoni segue na Koiranen em 2013
Victor Franzoni segue na Koiranen em 2013

Victor Franzoni e Guilherme Silva vão disputar a temporada de 2013 da F-Renault Europeia. A confirmação aconteceu no início da semana, com o anúncio oficial de que os dois pilotos oriundos da F-Futuro fecharam contrato com a gigante equipe Koiranen para este ano. Assim, eles também serão companheiros de Nyck De Vries, da McLaren.

Para falar a verdade, a notícia foi de certa forma surpreendente. Os dois já estavam negociando com o time, mas essas eram vagas cobiçadas por cinco a cada quatro pilotos no grid da categoria.

Essa disputa pelos lugares na Koiranen não era para menos. Desde que estreou na F-Renault Europeia, há três anos, a equipe finlandesa conquistou um título – com Kevin Korjus em 2010 – dois vices e um terceiro lugar. Nesse período, ainda foram 20 vitórias e 15 poles, o que colocou o time norte-europeu como um dos principais do mundo nas categorias de base.

A boa fase fez com que a Koiranen garantisse o apoio da Red Bull nos dois últimos anos. Mas o desempenho abaixo do esperado de Carlos Sainz Jr, Daniil Kvyat – que terminaram com o vice campeonato – e principalmente Stefan Wackerbauer fizeram com que a empresa austríaca não renovasse o contrato e se mudasse para a Adac Masters.

Para compensar a saída dos austríacos, a Koiranen acertou com Nyck De Vries, piloto em desenvolvimento da McLaren – nos mesmos moldes que Lewis Hamilton –, além dos dois brasileiros.

É curioso que com isso a equipe abriu mão do jovem francês Esteban Ocon, do programa de pilotos da Lotus/Renault/Gravity/iRace, e também de atletas nascidos nos países nórdicos. Afinal, sempre foi uma tradição do time abrir espaço para que finlandeses, suecos, dinamarqueses e até mesmo estonianos pudessem se destacar nos principais centros da Europa.

De qualquer forma, essa escolha é mais do que justificada. De Vries é favorito absoluto ao título de 2013 e não deixa de ser uma surpresa muito grande vê-lo na Koiranen. O piloto era mais do que especulado na bicampeã Josef Kaufmann, mas acabou migrando para o time finlandês.

Franzoni, por sua vez, já estava na Koiranen em 2012, quando disputou a F-Renault Alps. No último ano, ele sofreu um forte acidente na etapa de Spa-Francorchamps, que o deixou afastado das pistas por mais de um mês. Logo no retorno, o paulista conquistou a pole para a etapa do Red Bull Ring e viu o desempenho mudar da água para o vinho. Se nas seis corridas antes do acidente, o brasileiro não somou pontos, nas seis após a volta terminou todas no top-10.

Guilherme Silva tem boas chances de adicionar um novo título ao currículo
Guilherme Silva tem boas chances de adicionar um novo título ao currículo

O último brasileiro no time é Guilherme Silva, campeão da F-Futuro, em 2011. Conhecido pelo desempenho constante, o piloto mineiro teve problemas nos treinos classificatórios no último ano, quando competiu pela Interwetten, mas conseguiu mostrar bom ritmo de prova, fazendo sempre muitas e muitas ultrapassagens.

O problema é que o desempenho ruim em treino classificatório o impediu de marcar mais pontos. Mesmo tendo terminado nove vezes no top-10 na Alps, Guilherme fechou o ano apenas em oitavo, com 59 pontos e um pódio. Na Eurocup, foi pior. Pontuou em seis oportunidades – sendo cinco nas primeiras sete provas – e fechou o ano em 17º, também com um pódio.

Ainda assim, o desempenho dos dois brasileiros foi bom dentro do que se espera para dois estreantes no automobilismo europeu.

Dito isso, a única coisa que me incomoda nessa negociação é que provavelmente os dois brasileiros não devam disputar as etapas da F-Renault Alps, focando apenas na Eurocup. Até o ano passado, era comum que os atletas da F-Renault participassem de mais de um certame. No entanto, a categoria mudou o regulamento para 2013 e decidiu que caso as equipes decidam inscrever um atleta em mais de um campeonato, então ela terá restrições na pré-temporada.

Eu sempre defendi que quilometragem em corrida é essencial para um jovem piloto. Como a F-Renault Eurocup terá apenas 14 corridas em 2013, acho que é um exagero muito grande exigir que um garoto consiga aprender tudo o que precisa em sete fins de semana. Por isso, acho interessante que além de disputar o certame europeu eles também participem da Alps.

Por outro lado, é inegável que as equipes que optarem por fazer a pré-temporada completa – e tomar parte de apenas uma F-Renault – devem começar o ano mais forte. É uma vantagem para quem planeja de fato brigar pelo título. Por isso a escolha da Koiranen e dos brasileiros faz sentido.

Outros pilotos do país que também devem aparecer na F-Renault Eurocup são Felipe Fraga, que treinou pela Tech 1, e Bruno Bonifácio, possivelmente com a Prema. Gabriel Casagrande e Gustavo Lima disputaram etapas em 2012 e podem surgir.