Red Bull
Automobilismo em Brasília? Só se for nas tesourinhas…

Durante cinco anos, morei em Brasília e posso dizer que os habitantes da capital são fanáticos pelo automobilismo. Sempre que alguma categoria brasileira corre por aqueles lados, eles lotam as arquibancadas, mesmo que no restante do ano não deem a mínima para os campeonatos.

Talvez por causa disso, todos os anos se ouve do governo local a promessa de uma reforma no autódromo do DF para atrair algumas das categorias tops do automobilismo mundial. Evidentemente, as obras nunca acontecem, e o esporte a motor por lá está às traças, principalmente quando não há corridas nacionais.

Essa história de reforma em Brasília já é bem antiga, mas esses dias encontrei por curiosidade uma notícia sobre algumas obras no circuito. No início de 2004, o então ministro dos esportes, Agnelo Queiroz (hoje, veja você, governador do DF) levou Kevin Kalkhoven e Emerson Fittipaldi para uma visita ao circuito para que Brasília recebesse uma etapa da Champ Car no ano seguinte.

Segundo a reportagem, a realização da etapa estava “praticamente certa” no ano seguinte, porque Emerson tinha ficado “satisfeito com o estado de conservação da pista que dispensará obras de recuperação”.

Hoover Orsi na Stock Car em Brasília
Brasília sempre teve bom público nas corridas

Para quem conhece o autódromo de Brasília é de se estranhar alguém falar no estado de conservação da pista. Desde que foi construído, na década de 1970, ele praticamente só passou por reformas de emergência, sendo que, por exemplo, jamais foi recapeado. Se de um lado ele está localizado próximo ao Eixo Monumental e ao Estádio Nacional, do outro, o acesso é feito por uma rua de terra, com mato alto e lixo a céu aberto.

Por isso, não é nenhuma surpresa que a corrida da categoria americana em Brasília jamais tenha acontecido. Em 2005, a Champ Car de fato tinha pretensões de se internacionalizar, mas ao invés do Brasil, a categoria acertou para correr na Coreia do Sul. No entanto, a etapa asiática também acabou não acontecendo porque o circuito de Ansan não ficou pronto a tempo de receber a categoria.

Vale lembrar que entre 1996 e 2006 o circuito de Brasília foi arrendado por Nelson Piquet, que promoveu algumas melhorias na pista. Não por acaso a categoria americana negociou para correr por lá. O ex-piloto de F1, no entanto, acabou ejetado politicamente do comando da pista quando o Tribunal de Contas do DF questionou a prestação de contas da bilheteria e reformas na infraestrutura.

Com a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de futebol nos próximos anos, obviamente o circuito brasiliense não vai receber qualquer tipo de reforma. No entanto, tenho certeza que essa história da categoria americana não foi a primeira nem será a última vez que veremos a promessa de atrair uma categoria grande feita no Distrito Federal.