Será que já podemos cobrar desempenho de Rubens Barrichello na Stock Car em 2013?
Será que já podemos cobrar desempenho de Rubens Barrichello na Stock Car em 2013?

Como já foi amplamente publicado, Rubens Barrichello deve anunciar em breve que vai disputar a Stock Car em 2013, pela equipe Medley-Full Time, deixando a carreira internacional para trás. Acho que essa é uma boa decisão do piloto brasileiro, que volta a ter uma posição de destaque, principalmente na transmissão televisiva, algo que ocupou durante boa parte dos últimos 20 anos.

Com isso, não é exagero dizer que Barrichello está voltando a ter uma lua de mel com sua torcida. Nas três etapas em que disputou da Stock em 2012, o brasileiro voltou a receber de perto o carinho dos fãs, muitos deles presentes nos autódromos apenas para vê-lo. Além disso, o piloto ainda fez sucesso na transmissão do GP do Brasil de F1, quando atuou como repórter da TV Globo.

No entanto, mesmo vivendo um bom momento, o veterano terá um grande desafio em 2013: mostrar que ainda pode ser competitivo.

A situação do piloto, no momento, se assemelha a de uma criança. Todo mundo acha bonito o que um garotinho faz pela primeira vez, independente do que seja: as primeiras palavras, os primeiros passos, os primeiros puns..

Ou seja, ver o piloto largar em sétimo na Corrida do Milhão e terminar em 22º é divertido uma vez. O problema é isso se repetir etapa após etapa, semana após semana.

Por onde o brasileiro passou, arrastou multidões na Stock Car
Por onde o brasileiro passou, arrastou multidões na Stock Car

Mas é bem verdade que Barrichello  encantou com o que mostrou até agora. O piloto conseguiu resultados positivos na Stock Car, quando alcançou duas vezes o Q2 no treino classificatório e destruiu o companheiro de equipe. Além disso, o desempenho como repórter de TV agradou.

O problema é que ele viveu uma situação parecida na Indy, que evidentemente não deu certo. Há quase um ano, o piloto havia liderado os treinos coletivos e por isso passava a imagem de que poderia brigar por vitórias e até mesmo pelo título em 2012. Mas a realidade foi bastante diferente. O piloto não só demorou a se adaptar à categoria, como também sofreu com as mazelas estratégicas da KV.

Só que seria terrível se isso se repetisse na Stock Car. A categoria brasileira deve ganhar um novo fôlego com a chegada do brasileiro, o problema é ela se tornar cansativa e previsível com o piloto do carro número 17 andando constantemente fora do ritmo. Do mesmo jeito, todos querem ver um Barrichello solto nas transmissões da F1, sabendo improvisar e usar a notória carisma na hora das entrevistas.

Nesse contexto, talvez a grande resposta que o piloto possa dar aos fãs é mostrar alguma evolução ao longo do campeonato. Sébastien Loeb, por exemplo, já afirmou que planeja competir no WTCC em 2014, mas pediu um ano de aprendizado antes de começar a brigar por vitórias.

Ou seja, se o eneacampeão do WRC merece esse tempo de adaptação, por que cobraríamos resultados de Barrichello nesse primeiro ano de Stock Car? É claro que não faz sentido. Por isso, o ideal é que o piloto evolua pouco a pouco e possa entreter os fãs com o passar das etapas.