A Renault já esteve no WTCC, quando o campeonato foi disputado na década de 1990
A Renault já esteve no WTCC, quando o campeonato foi disputado na década de 1990

Um dos campeonatos mais chatos dos últimos anos, o WTCC está passando por uma profunda reformulação ao longo dos próximos dois anos. Enquanto 2013 será uma temporada de transição, o campeonato terá uma nova série de regras a partir de 2014, quando espera de fato honrar o fato de ser um mundial de carros de turismo.

Embora ainda precisemos esperar um pouco para ver qual o futuro do campeonato, a próxima temporada já terá algumas novidades. A principal é a saída da Chevrolet, de forma oficial, ao mesmo tempo em que Lada e Honda se juntam ao certame.

Com isso, é possível que ao menos seis montadoras diferentes estejam na pista em 2013: além das três já citadas, BMW, Seat e provavelmente a Ford.

Mas outras empresas também já demonstraram interesse de se juntarem ao certame, principalmente com as novas regras. A primeira delas é a Citroën, que pode entrar no campeonato liderada por Sébastien Loeb.

E a chegada do megacampeão do WRC pode de fato agitar o mercado automobilístico francês. Com medo de um eventual boom na popularidade da marca concorrente, quem também estuda entrar no WTCC é a Renault.

De acordo com o site Touring Car Times, a montadora francesa está preparando uma superequipe para deixar Loeb e a Citroën para trás. A ideia da fabricante é aproveitar o espólio da Chevrolet, que dominou o WTCC nos últimos anos. Com isso, a Renault passaria a ser inscrita pela equipe RML – a mesma que preparava os Cruze – e teria Yvan Muller (bicampeão do certame) como principal piloto.

Nessas horas, sou adepto de quanto mais melhor. Seria muito interessante ver o WTCC – e qualquer outro campeonato – com quase dez montadoras. Isso dá qualidade ao grid, já que as empresas podem bancar o desenvolvimento de novos pilotos. Consequentemente, ainda há a renovação do grid, algo que praticamente inexiste no mundial.

Além disso, há espaço para o crescimento do WTCC. Praticamente, apenas hoje só há o DTM como campeonato de turismo, além de certames locais, por isso existem muitos pilotos bons e jovens que não têm onde correr. Essa, portanto, seria uma boa oportunidade deles retomarem as carreiras.

P.S.: obviamente, tudo até agora não passa de especulação, mas veja que curioso. Quem pilotava o Renault na foto deste post era o suíço Alain Menu, em 1995. Adivinha quem está sem emprego agora que a Chevrolet saiu do WTCC..?