Shane Van Gisbergen era um dos poucos pilotos da Ford que conseguia agradar também aos torcedores da Holden

O automobilismo australiano está chocado. Um dos pilotos mais populares da V8 Supercars Shane Van Gisbergen decidiu abandonar a categoria ao final da temporada 2012, que será concluída neste fim de semana.

A pergunta que fica é por que o jovem neozelandês, apontado como o futuro da categoria, decidiu parar de correr – ainda que momentaneamente apenas – aos 23 anos de idade? Talvez a resposta seja uma briga contratual com a antiga equipe, a Stone Brother Racing.

No início do ano, Gisbergen assinou a renovação de contrato com o time, valendo até o ano de 2015. Essa era uma decisão esperada, afinal o jovem piloto havia terminado os dois últimos campeonatos entre os primeiros e está na quinta colocação na atual temporada.

A aposentadoria de Gisbergen equivaleria a James Hinchcliffe ou Ryan Hunter-Reay deixando a Indy. Ou Augusto Farfus saindo do DTM

O problema é que quatro meses após o acordo, a equipe SBR fechou uma parceria com um bilionário time vindo dos GT – Erebus Motorsport – valendo a partir da próxima temporada. O acerto dizia que a SBR receberia um investimento maciço nos próximos anos, desde que construísse, desenvolvesse e alinhasse carros da Mercedes.

Como a parceria foi firmada de última hora e os sequer estão homologados, o ano de 2013 pode ser perdido pela equipe, que passará a se arrastar nas últimas posições do grid enquanto desenvolve o carro alemão.

Gisbergen, por sua vez, teria sido sondado pela equipe de fabrica da ford, interessada em contar com um dos pilotos mais popular do certame. A partir daí, o neozelandês teria se reunido com o time, pedindo a liberação do contrato. Só que esse era um golpe que o pessoal da Erebus não esperava, afinal, contar com “Giz” fazia parte do marketing deles.

Depois de muita negociação, SVG acabou liberado pela equipe desde que não participasse de nenhum grande campeonato em 2013. Por isso, o piloto teria tomado a decisão de abandonar o automobilismo australiano no próximo ano.

No entanto, tanto a equipe SBR quanto Gisbergen negam os problemas contratuais. O piloto jura que só quer um tempo para voltar à Nova Zelândia, arejar a cabeça e fazer o que gosta, sem se preocupar com o esporte a motor.

Se for esse o motivo real, o piloto será o quarto atleta da Oceania a abrir mão de uma carreira promissora e vencedora para se dedicar ao ócio. Antes dele, o tenista Lleyton Hewitt, o nadador Ian Thorpe e o piloto da MotoGP Casey Stoner também decidiram fazer uma pausa em suas carreiras.

Nenhum conseguiu retomar a carreira em alto nível, embora não tenhamos como saber como Stoner vai se sair. Por isso, o alerta para Gisbergen. Caso ele resolva mesmo tirar um ano sabático, talvez seja tarde demais a hora de voltar às competições.

Nesse ano sabático (que pode se prolongar) SVG é especulado em provas de drift e de rali ou até mesmo em categorias européia ou na Nascar, onde poderia seguir os passo de Marcos Ambrose, outro revelado pela equipe SBR.