Bruno Bonifácio, Luca Ghiotto e Nicolas Costa são os três pilotos na briga pelo título da F-Abarth

O campeão da temporada 2012 da F-Abarth será conhecido neste fim de semana, em Monza. Ao contrário do último ano, quando Sergey Sirotkin e Patric Niederhauser garantiram os títulos com antecipação, dessa vez três pilotos chegam à etapa final com chances de levantar a taça: o italiano Luca Ghiotto e os brasileiros Nicolas Costa e Bruno Bonifácio.

Após sete etapas e 21 corridas, quem lidera a tabela é Costa, com 244 pontos. Ghiotto aparece em segundo, com 227, e Bonifácio, com 215, é o terceiro. Lembrando que 58 pontos estarão em jogo nessa etapa final.

Obviamente, pela vantagem que tem, Nicolas é o favorito a sair da Itália com mais um título de campeão. No entanto, essa não será uma tarefa fácil. Nos últimos anos, tem sido bastante comum que campeonatos decididos em Monza tenham reviravolta no último momento.

Em 2010, Jack Harvey era o líder da temporada da F-BMW Europeia, mas sabia que dificilmente conseguiria segurar Robin Frijns na etapa decisiva. Porém, o carro do britânico teve um surpreendente bom desempenho, culminando com a pole-position para ambas as corridas. Na primeira prova da rodada dupla, Harvey perdeu algumas posições, mas quando estava próximo de reassumir a liderança foi tocado por Javier Tarancón, abandonando em seguida. Frijns venceu a prova e só precisou administrar na segunda corrida para terminar com o título.

No ano passado, foi a vez de a taça da F3 Italiana mudar de mãos. Na última corrida do campeonato, o então líder Michael Lewis teve um final de semana dominante e parecia que ia conseguir ficar com o título. No entanto, o americano cometeu um erro nas voltas finais da corrida decisiva em Monza, deixando a disputa. Melhor para Sergio Campana, que se tornou campeão.

Nicolas Costa já sabe em qual posição quer terminar o campeonato

Com esse histórico em mente, é claro que o campeonato está aberto. Entretanto, há uma diferença entre Harvey e Lewis para Nicolas Costa. Nenhum tinha uma vantagem tão grande quanto o piloto carioca. No entanto, os outros dois precisaram enfrentar apenas uma rodada dupla. Já o brasileiro terá três corridas pela frente. Em caso de abandono na primeira prova, com vitória de algum dos rivais, já imaginou a pressão que ele terá que lidar? E olha que Monza não é uma pista que costuma perdoar erros.

Mesmo assim, o primeiro campeão da F-Futuro tem algumas vantagens nessa decisão do título. Uma delas é o bom momento que vive. Nas primeiras cinco etapas, o carioca conquistou quatro vitórias, mas foi muito inconstante, abandonando uma prova e terminando quatro vezes fora do top-5. No entanto, nas duas últimas rodadas, em Imola e em Vallelunga, Nicolas completou todas as corridas no pódio.

Esse desempenho é exatamente o contrário do que vive Bruno Bonifácio. O paulista foi o piloto dominante ao longo de toda temporada, com as mesmas quatro vitórias do compatriota. Apesar disso, teve a vantagem de ter subido ao pódio em 13 das primeiras 17 corridas. O problema foram as últimas quatro. O brasileiro conquistou um quinto lugar em Vallelunga como melhor resultado. Depois, somou um nono, um décimo e um péssimo-segundo 12º.

Ser o azarão pode ser uma vantagem para Bruno Bonifácio neste final de semana

Assim, de líder e favorito ao título, Bonifácio passou a perseguidor. Para Monza, a primeira coisa que o paulista precisa fazer é deixar o baque da queda de rendimento para trás e saber que não tem nada a perder. Assim, dos três que disputam a taça, ele é o que pode arriscar mais.

O ideal seria vencer a primeira corrida e a partir daí ver como estão as chances de título. Não é impossível que os adversários abandonem ou tenham corridas ruins. Lembra a F1 em 2010? Comparando apenas a situação, Sebastian Vettel chegou a Abu Dhabi como azarão em um duelo entre Fernando Alonso e Mark Webber. Só que o piloto da Ferrari ficou tão preocupado em marcar o australiano que acabou se esquecendo do alemão.

Por fim, seria um erro descartar Luca Ghiotto. Em primeiro lugar, ele é um italiano correndo em casa, então conhece a pista muito melhor que os dois brasileiros. Aí, vamos supor que Nicolas Costa não esteja em um final de semana bom, como já aconteceu tantas vezes ao longo do ano. Dessa forma, Luca terá uma vantagem considerável sobre Bonifácio.

Antes de encerrar, um detalhe curioso. Ano passado, os três pilotos disputaram a etapa de Monza da F-Abarth. Quem levou a melhor foi Nicolas Costa, que conquistou um quinto e um quarto lugar. Ghitto teve um sétimo – com direito a volta mais rápida da prova – e um abandono e Bonifácio conquistou um nono lugar e abandonou a outra corrida.