Nelsinho Piquet e Lucas Di Grassi querem mostrar que podem fazer história no automobilismo mesmo longe da F1

Nelsinho Piquet e Lucas Di Grassi são velhos conhecidos no automobilismo, já que disputaram as categorias de base na mesma época. Embora seja um ano mais novo, o filho de Nelsão sempre esteve uma fase à frente do compatriota, mas ambos se encontraram na disputa da F3 Inglesa, em 2004, e da GP2, dois anos mais tarde.

A dupla também fez parte do programa de jovens pilotos da Renault. Enquanto Nelsinho era titular da escuderia, em 2008, Di Grassi ocupava a função de reserva, mas sempre de olho em uma das duas vagas principais. As semelhanças não param por aí. Os dois não tiveram muito sucesso na F1, mesmo assim começam a mostrar que automobilismo não é só a categoria de Bernie Ecclestone.

Como todo mundo sabe, a passagem de Piquet pela F1 ficou marcada pelo Cingapuragate, em que bateu de propósito para garantir a vitória do então companheiro Fernando Alonso.

Cinco anos depois, Nelsinho já cansou de mostrar que esse episódio é passado. O piloto resolveu se mudar para a Nascar com um plano ambicioso: ser o primeiro brasileiro a ser campeão da Sprint Cup. Obviamente, essa é uma tarefa muito difícil, mas não impossível. E até agora ele tem se saído bem, se tornando o primeiro piloto do país a ganhar na Nascar East, na Truck Series (em oval) e na Nationwide.

Di Grassi tem a chance de impressionar os chefões da Audi e garantir uma vaga para 2013

Di Grassi, por sua vez, ainda não desistiu 100% da F1. Depois de ter disputado a temporada de 2010 pela Virgin, o paulista se tornou piloto de testes da Pirelli. Mas, apesar de certas negociações, ainda não conseguiu transformar essa experiência em titularidade em alguma equipe.

Agora, o brasileiro já começa a pensar na vida fora da categoria. Na última semana, ele foi anunciado pela Audi para a disputa das 6 Horas de Interlagos, etapa do Mundial de Endurance, marcada para meados do mês de setembro na capital paulista.

Aliás, desde que deixou a F1, Di Grassi nunca escondeu que pretende seguir carreira no endurance. O brasileiro esteve prestes a ser anunciado pela Peugeot para 2012, mas acabou de fora, já que a montadora desistiu das competições de longa duração. Após alguns meses apenas testando pela Pirelli, o piloto garantiu a vaga do agora aposentado Dindo Capello e será companheiro de Tom Kristensen e Allan McNish na montadora alemã.

O acordo vale apenas para a etapa brasileira, mas Di Grassi está de olho em continuar com a equipe nos próximos anos. O objetivo? Se tornar o primeiro piloto nascido no Brasil a vencer as 24 Horas de Le Mans.

E é justamente nisso em que Di Grassi e Piquet também se parecem. Sem chances na F1, os dois se deram conta de que são jovens pilotos promissores e ainda sequer alcançaram o auge da carreira no automobilismo. Assim, cada um traçou uma ambiciosa meta pessoal. Enquanto Nelsinho quer triunfar na Nascar, Lucas colocou a vitória inédita em Le Mans como objetivo. Se eles tiverem sucesso, sem dúvida nenhuma entrarão – ainda mais – para a história do automobilismo brasileiro.

Talvez a principal diferença entre eles é como estão lidando com essa mudança de categoria. Nelsinho nunca negou que quer ser uma espécie de Emerson Fittipaldi e abrir as portas da Nascar para os brasileiros. Já Di Grassi está mais preocupado em vencer em Le Mans ao invés de se tornar uma espécie de guru do endurance, até porque, mesmo que discreto, o Brasil tem um histórico de participação nessas provas de resistência.

Entre os dois, quem tem mais chances de sucesso nesse momento é Nelsinho. O brasileiro já está adaptado à vida nos Estados Unidos e agora é só seguir o desenvolvimento natural da carreira. Di Grassi ainda não tem um acordo para a disputa de Le Mans, então por isso é muito difícil falar em vitória. No entanto, o brasileiro terá um trunfo importantíssimo na briga pela terceira vaga no Audi: ele será o único piloto a já ter disputado uma prova como parceiro McNish e Kristensen. Ou seja, em caso de um bom desempenho, os veteranos podem concluir que o brasileiro é o substituto ideal de Capello.