Michael Phelps

O nome no macacão não deixa dúvidas. Este é Michael Phelps

Deve ser difícil ser Michael Phelps. Em um dia você acorda, liga o computador e vê um monte de gente te chamando de amarelão e ex-atleta em atividade. No dia seguinte, você nada um pouquinho e consegue sua 20ª medalha – sendo 16 de ouro – na história das Olimpíadas.

É verdade que o americano não está mais no auge. Mas 20 medalhas olímpicas é uma marca extremamente significativa e dificilmente será alcançada em breve. De qualquer forma, a chamada ‘Era Phelps’ teve seu auge em 2008, em Pequim, quando o nadador obteve a medalha de ouro nas oito provas em que competiu.

Voltando ao início do texto, mais difícil que ser Michael Phelps é ser Michael Phelps. Mas não falo do nadador. Em 2008, enquanto o atleta de Maryland nadava no Cubo D’água chinês, um americano de apenas 18 anos, homônimo do olimpiano, começava a carreira nas pistas da Arca.

Até 2007, Phelps, o piloto, era um jovem com algum destaque nas categorias de acesso dos Estados Unidos. O bom desempenho chamou a atenção da Dodge, que o contratou para o programa de jovens pilotos. Assim, Michael fechou com a Cunningham para disputar a temporada completa da Arca em 2008.

Naquele ano, a categoria teve o grid mais forte da sua história recente. O campeão foi Justin Allgaier, mas nomes como Ricky Stenhouse Jr, Scott Speed, Matt Carter, John Wes Townley, Tayler Malsam e Justin Lofton também foram revelados. Isso além da presença constante de jovens talentos como James Buescher, Jeremy Clements e Brian Scott. Todos com passagem pela Nationwide em algum momento desde então.

Phelps foi companheiro de Tayler Malsam, na Cunningham, em 2008

Phelps foi até que bem, levando em conta que se tratava de um novato. O piloto começou 2008 não conseguindo se classificar para a etapa de Daytona, por causa de um acidente no quali, mas conseguiu três TOP 10, além do segundo lugar no grid no Kentucky, nas 19 etapas restantes para fechar o ano em 16º.

O problema é que a Arca tem um sistema de pontos que pune um competidor que não dispute todas as etapas. Como o piloto da Cunningham ficou fora de duas, ele perdeu ao menos duas posições na classificação final.

Para 2009, a Cunningham fechou uma parceria com a Penske e contratou os promissores Parker Kligerman e Dakoda Armstrong. Consequentemente, Phelps ficou sem ter onde correr e disputou apenas a etapa de Daytona por outro time. Depois, ainda participou de algumas corridas de categorias menores antes de pendurar as luvas.

O mais interessante é que enquanto disputava a Arca, em 2008, o americano ingressou na Universidade de Auburn para estudar engenharia civil.  Com o fim da carreira nas pistas, Phelps pôde se dedicar apenas aos estudos.

É muito difícil encontrar qualquer tipo de informação sobre o ex-piloto nesses últimos dias. Onde já se viu procurar no Google por Michael Phelps e não querer saber do nadador? Pelo pouco que pude ver, parece que ele se formou em engenharia e trabalha na área, mas não pude confirmar a informação. A única certeza é que Phelps foi obrigado a voltar a conviver com as piadinhas envolvendo seu nome nesses últimos dias.

Anúncios

3 comentários sobre “Michael Phelps

  1. “O campeão foi Justin Allgaier, mas nomes como Ricky Stenhouse Jr, Scott Speed, Matt Carter, John Wes Townley, Tayler Malsam e Justin Lofton também foram revelados. ”

    John Wes Townley consegue sozinho fazer a ARCA não ter valido a pena.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s