Angry Birds Heikki é tão ruim quanto o carro da Marussia

Uma das parcerias mais legais da temporada 2012 da F1 foi formada entre a Rovio – produtora do jogo Angry Birds – e os competidores finlandeses, em especial Heikki Kovalainen. O piloto da Caterham surpreendeu ao aparecer para disputar o GP da Austrália, com um capacete todo vermelho, imitando o passarinho do jogo.

A ação promocional não só servia para divulgar a parceria, mas para anunciar o lançamento de Angry Birds Heikki, uma versão do jogo tendo o ex-piloto de Renault e McLaren como temática.

Durante muito tempo, a empresa manteve em segredo  o que seria o jogo, enquanto se concentrava no desenvolvimento de Angry Birds Space, a versão mais nova da série. No entanto, esse mistério acabou nessa segunda-feira, dia 25, com Heikki finalmente lançado.

Só que para a tristeza dos fãs da F1, o game é péssimo. Para começar, o único jeito de jogar é acessando a página dele – clicando aqui. Ou seja, é um jogo para navegador, em que você precisa estar na frente do computador para usar. Isso vai contra um dos principais elementos da série, que era a possibilidade de brincar no celular.

Aliás, a série Angry Birds foi desenvolvida, em 2009, para iPhone/iPod e depois ganhou os demais smartphones, conforme a touchscreen foi se popularizando. Ironicamente, Angry Brids Heikki não pode ser jogado nesses dispositivos da Apple, pois é feito em flash.

Mas há uma explicação para o modelo escolhido pela Rovio. A empresa não podia fazer um aplicativo devido ao formato do game. Isto é, Angry Birds Heikki funciona da seguinte forma: são 12 fases, simbolizando as 12 etapas que faltam para terminar a temporada da F1. Na semana de cada corrida, o jogo libera a fase da respectiva corrida. Ou seja, por enquanto é possível jogar apenas em Silverstone.

A Alemanha, por exemplo, só estará disponível em 11 de julho. Quem quiser brincar em Interlagos terá que esperar até 21 de novembro (!!). Tá vendo porque não dava para ter um aplicativo de Angry Birds Heikki? Quem iria comprar um negócio para jogar apenas uma fase? E, sinceramente, quem vai esperar todo esse tempo? Daqui duas ou três fases/corridas ninguém mais vai se lembrar do jogo.

Quanto à jogabilidade em si, também é decepcionante. Angry Birds Heikki segue o modelo tradicional da série original, então não é nenhuma novidade para os players mais experientes. Além disso, elementos das versões Space e Season ficaram de fora. A única inovação é o capacete do Kovalainen. Se você se registrar na página do piloto no Facebook, na hora de jogar, é possível colocar o passarinho vermelho com o capacete.

Evidentemente, o bicho é um roubo só e destrói qualquer tipo de construção. Quem já jogou Angry Birds, sabe que um dos maiores desafios é usar o passarinho certo na parte certa da fase: apenas uma ave consegue passar pela madeira, outra pelo ferro e uma última pelo gelo. O capacete do Kova passa por tudo.

E isso deixa o jogo um pouco entediante. Afinal, não houve mais nenhuma criação aproveitando a temática das corridas. Não há um passarinho novo, um porco, um obstáculo na fase, nada. Tudo o que você pode fazer para lembrar a F1 é se registrar no Facebook do Kovalainen para poder usar um capacete apelão.

Por outro lado, os gráficos estão bonitos. Se você ignorar a bizarra digitalização do Kovalainen na tela de abertura, verá que a temática de F1 foi bem aproveitada na fase, com pneus, faróis e bandeira quadriculada. Ao fundo, o novo paddock de Silverstone aparece imponente, mostrando que a Rovio se preocupou em deixar as fases caracterizadas com os respectivos circuitos.

Portant,o minha avaliação final do jogo é: pior que corrida no Bahrein sem asa móvel, Kers e o drama de pneus Pirelli.