O futuro da Audi em Le Mans

Aos 48 anos, Dindo Capello decidiu deixar Le Mans para trás

As 24 Horas de Le Mans terminaram no início do domingo, mas a tradicional corrida de longa duração ainda segue rendendo assuntos. Principalmente por causa da Audi, que após o 1-2-3 na França será obrigada a reestruturar a sua principal parceria formada por Allan McNish, Tom Kristensen e Dindo Capello.

Embora McNish tenha sido criticado por causar o acidenta na 21ª hora de competição, que resultou no fim de qualquer chance de vitória para o Audi de número 2, não o escocês que será trocado. Quem cai fora do trio é Dindo Capello, que completou 48 anos justamente no domingo da corrida.

O italiano, que está com a montadora desde 1999 e venceu a tradicional corrida em três oportunidades, resolveu que está na hora de parar. Assim, o trio com McNish e Kristensen se separa após seis anos, um triunfo em Le Mans e três nas 12 Horas de Sebring.

Com a saída de Capello, evidentemente, todo mundo quer saber quem será o novo piloto da Audi no endurance. Afinal, a partir de agora, a montadora tem duas grandes opções. A primeira é a contratação direta de algum atleta para formar o trio com os outros dois veteranos. A outra, mudar os times internos e puxar algum dos demais competidores que estiveram em Le Mans.

Não se assuste se a Audi considerar Marc Gené para a vaga

O mais provável, no momento, é a segunda opção. Eu não acharia absurdo arriscar que Marc Gené será o substituto de Capello. O espanhol foi contratado pela Audi no início desse ano para a função de piloto reserva – geralmente ocupada por algum novato – após a Peugeot ter desistido do endurance de última hora.

Talvez, a Audi já soubesse do desejo de Capello em parar e resolveu trazer alguém experiente ao perceber a oportunidade com o fim da rival francesa. Enquanto isso, Gené acabou tendo o debute na montadora alemã acelerado para esse ano, já que Timo Bernhard sofreu um grave acidente durante os treinos para Le Mans e se lesionou.

Assim, ainda é puro palpite, mas eu não ficaria surpreso caso os germânicos confirmem Tom Kristensen, Allan McNish e Marc Gené como o principal trio do time a partir do próximo ano.

Ainda sobre Le Mans, um detalhe curioso sobre Anthony Davidson. Após decolar na corrida, ao ser fechado por uma Ferrari retardatária, o inglês segue internado, com fraturas em duas vértebras. Nessa segunda-feira, ele recebeu a visita de alguns mecânicos, que lhe deram de presente o espelho retrovisor do carro de número 8, assinado por toda a equipe.

Quando viu o presente, ainda deitado na maca, o piloto perguntou: “Isso é tudo que sobrou do carro?”

3 comentários sobre “O futuro da Audi em Le Mans

  1. Li em algum lugar que o Marco Bonanoni foi contratado no ano passado já com a missão de substituir o Capello a partir das 24 Horas desse ano.
    Mesmo sem o grisalho italiano e os 2 emprestados da Porsche, (aliás, o Dumas estourou a cota de erros esse ano) a Audi ainda tá muito bem de pilotos, principalmente com o carro nº1, muito forte como o rápido e infalível Andre Lotterer no comando.
    Acho que o Oliver Jarvis também vai ter papel importante no futuro, afinal, a Audi não o cortaria do DTM por nada.
    Falando no alemão de turismo, lá temos Felipe Albuquerque, Edoardo Mortara, Miguel Molina e Timo Scheider, dá ou não dá pra engrossar ainda mais o caldo?

    Curtir

  2. Bom Felipe, acho que a dança das cadeiras na Audi ainda é mais complicada por causa dos seguintes motivos:

    -Esse ano a Audi levou 4 carros para Le Mans, e imagino que isso não se repita ano que vem. Então, caso a Audi apareça com 3 carros em 2013, ao invés de estar abrindo uma vaga, fecham 3.

    -Bernhard e Dumas são pilotos da Porsche, que estará na LMP1 em 2014. Talvez seja mais interessante para a Audi estar com a equipe de 2014 pronta já em 2013 e para a Porsche estar com os pilotos disponíveis para o desenvolvimento do novo protótipo.

    -Então, não duvido que os pilotos que estiveram no carro #4 e o reserva (Gené) sejam os mais fortes postulantes às vagas que podem abrir, e a sua tese sobre trazer Gené visando substituir C. Eu apostaria nesses trios para Le Mans ano que vem:

    #1: Fassler/Lotterer/Treluyer
    #2: Kristensen/McNish/Gené
    #3: Duval/Jarvis/Rockenfeller
    Reserva: Bonanomi

    Aproveitando o tema pilotos de fábrica em Le Mans, eu acho uma ótima idéia fazer um texto sobre os pilotos que estavam na Peugeot. Incluindo aqueles que já estavam dispensados, como o Lamy e o Minassian, e aqueles que poderiam pegar essas vagas, caso do JK Vernay, do Di Grassi e acho que do Baguette também.

    Curtir

  3. O que vc acha do Davidson? Agora tá quebrado, mas me parece um cara diferenciado. Ganhou Imola e Spa ano passado, por mim roubariam o cara da Toyota e fariam um super time com o Kristensen e o McNish. Eu não boto muita fé no M Gené, mesmo já tendo vencido Le Mans…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s