O mais novo capítulo na longa carreira de Michel Jourdain Jr

Michel Jourdain Jr passou tanto tempo na Indy que até é uma surpresa dizer que ele parou com apenas 28 anos. A propósito, repare no patrocinador na asa traseira..

A grande notícia desta terça-feira, dia 24, no mundo do automobilismo foi a confirmação de Michel Jourdain Jr para a disputa da Indy 500 de 2012 pela equipe Rahal. O mexicano, cuja carreira nos Estados Unidos havia se encerrado a quase uma década, descolou um dinheiro do Office Depot latino e estará presente na tradicional prova americana.

Apesar de esse ser um fato curioso – afinal, quem esperava o retorno do cara depois de tanto tempo? –, Jourdain não é um piloto desconhecido aqui no Brasil. Ele fez história usando a camisa 23 do Chicago Bulls. Ele competiu na Indy justamente na época em que Gil de Ferran, Helio Castroneves, Tony Kanaan, Maurício Gugelmin, Bruno Junqueira e muitos e muitos outros brasileiros estavam por lá, então era nome certo nas transmissões.

Mesmo assim, a carreira do mexicano terminou muito cedo. É verdade que Jourdain competiu durante nove temporadas, mas tinha apenas 28 anos quando deixou a categoria, em 2004.

Nesse tempo todo, o grande destaque que o piloto teve foi em 2003, quando terminou na terceira colocação, ficando atrás apenas do campeão Paul Tracy e de Bruno Junqueira, e deixando gente como Sébastien Bourdais, Patrick Carpentier, Oriol Servià, Jimmy Vasser e Adrian Fernandez para trás.

Joudain não teve muita sorte correndo no WTCC

Depois disso, Jourdain perdeu os patrocinadores mexicanos em uma época que o país latino começou a dar mais destaque aos campeonatos de turismo do que aos monopostos. Não por coincidência, a Nascar passou a disputar uma corrida da Nationwide no Autódromo Hermano Rodríguez, enquanto a ChampCar respirava por aparelhos desde a debandada das principais equipes para a IRL.

Como não é bobo nem nada, Jourdain até tentou seguir carreira na Nascar. Com 29 anos apenas, o piloto assinou contrato com a Roush-Fenway para competir na Nationwide e na Truck Series, mas falta de patrocínio e resultados de quem ainda estava se adaptando à transição de categorias significaram dispensa ainda no meio da temporada.

Com mais essa decepção, você pode até pensar que nosso amigo mexicano resolveu voltar para a casa e assistir ao automobilismo pela televisão, certo? Errado! A parte divertida da carreira de Jourdain começa agora. Com Indy e Nascar se tornando sonhos distantes, o caa resolveu correr de tudo. Basicamente, se alguém oferecesse um carro, ele aceitava.

Em 2007, o piloto competiu no WTCC pela equipe oficial da SEAT. Entretanto, em 20 corridas disputadas, Michel somou apenas três pontos graças ao sexto lugar em Valência. No entanto, o mexicano não teve à disposição as atualizações que a montadora espanhola tinha desenvolvido para a categoria.

E o nosso amigo mexicano já inscrevia carros independentes no WRC muito antes de Kimi Raikkonen pensar em fazer isso. Um visionário!

Se a aventura no WTCC não foi o bastante, em 2010, o piloto participou de sete etapas do WRC. O que muita gente não sabe é que Jourdain sempre foi um exímio piloto de off-road, tendo ganhado alguns campeonatos enquanto corrida na Indy e na ChampCar. Entretanto, com uma equipe independente, no Mundial de Rali ele não teve chance e conseguiu a 19ª colocação no Rali do México como melhor resultado. Michel voltou ao certame na temporada passada, quando terminou em 14º em Guanajuato.

Depois de tudo isso e aos 36 anos, Jourdain voltou a bater às portas dos antigos investidores mexicanos. Com o país em alta no automobilismo mundial pelo sucesso de Sergio Pérez e do programa de desenvolvimento criado por Carlos Slim e pela Telmex, outras empresas resolveram voltar a dar alguma atenção aos monopostos.

Assim, Michel se reuniu com os antigos amigos da Office Depot e posteriormente com a equipe de Bobby Rahal, costurando um acordo para correr na Indy 500, em uma vaga que praticamente tinha o eterno Luca Filippi garantido.

No final, o retorno de Jourdain é positivo para a Indy, mesmo essa sendo apenas uma participação única na categoria. O México foi um dos principais mercados, que ajudou a manter a Indy antiga e a Champ Car durante muito tempo. Retomar a atenção de pilotos e investidores do país vizinho pode ser um caminho bastante interessante para o campeonato de Randy Bernard, principalmente em uma época em que arrumar patrocínio para equipes menores está tão difícil. Além disso, se até Jean Alesi está de volta, por que Michel Jourdain Jr. não poderia correr?

Um comentário sobre “O mais novo capítulo na longa carreira de Michel Jourdain Jr

  1. Quem merece um post no estilo desse é o Jaques Villeneuve, afinal, onde o pequeno Villeneuve ainda não correu?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s