O erro de Nelsinho Piquet em Rockinhgam

Nelsinho Piquet Nascar Rockingham
Durante boa parte da prova, Nelsinho Piquet só via os rivais em Rockingham pelo retrovisor

Que corrida Nelsinho Piquet fez em Rockingham! Neste domingo, dia 15, a Truck Series retornou ao tradicional oval do estado americana da Carolina da Norte, que havia sido abandonado pela Nascar, nos últimos anos, e desde o primeiro treino o brasileiro foi o piloto dominante.

Nelsinho não só foi o mais rápido em um dos treinos livres, como também cravou a pole-position e liderou 107 voltas durante a prova – sendo 85 na primeira metade de corrida.

No entanto, toda essa vantagem passou a não valer mais nada quando o brasileiro cometeu um erro na saída dos boxes, faltando menos de 20 voltas para o final, e foi flagrado pelo radar de velocidade, quando se preparava para desafiar Kasey Kahne na batalha pela primeira colocação.

Sobre esse episódio, vale alguns comentários. Em primeiro lugar, não há a menor hipótese de cogitar algum tipo de mutreta da Nascar para tirar a vitória do brasileiro. Não tem nenhum motivo para que isso acontecesse, até porque Piquet ocupava a segunda colocação e teria que ‘apenas’ ultrapassar um piloto da Sprint Cup se quisesse vencer.

Outra coisa que também não é possível questionar é o local da instalação do radar de velocidade. Como Nelsinho Piquet foi o pole-position, ele escolheu o último pit-stall, onde só precisaria acelerar para sair do pit-lane, assim como qualquer piloto que larga na primeira colocação faz.

Na maioria das pistas, o último sensor de velocidade é colocado logo na linha divisória do pit-stall, exigindo que apenas o piloto acelere sem se preocupar com o limite. Em Rockingham, no entanto, o radar estava alguns metros distantes do ponto em que Nelsinho parava para fazer a troca de pneus e o reabastecimento.

Assim, por causa dessa diferença, é absurdo que alguém questione a localização. Qual seria o argumento utilizado? “A Nascar não deveria instalar o radar em um lugar que realmente flagre quem ultrapassar o limite de velocidade, assim é impossível enganar a medição!” Mas espere, não é justamente essa a função do medidor? Talvez seja uma medida a ser pensada para as demais pistas.

A verdade é que Nelsinho perdeu a chance de vencer em Rockingham por um erro que ele mesmo cometeu – e reconheceu após a prova. Um detalhe bobo, mas que custou um triunfo bem encaminhado.

Traçando um paralelo, em 2011, James Buescher não conseguiu se classificar para a etapa de Phoenix da Truck Series. Apesar disso, o americano entrou na briga pelo título e chegou até mesmo a liderar a tabela de pontos. No entanto, na penúltima prova do campeonato, a equipe Turner errou o cálculo, e o piloto ficou sem combustível faltando apenas duas voltas para o final.  Obviamente a não classificação em Phoenix comprometeu o resultado final de Buescher, mas o erro da equipe impediu que qualquer reclamação desse tipo fosse feita, afinal eles não fizeram a parte deles.

O mesmo se aplica a Piquet. O brasileiro teve um desempenho incrível ao longo de toda a corrida. Chegou até mesmo a abrir mais de 10s – equivalente a meio circuito – para o segundo colocado em determinado momento, mas na hora que era para valer, foi o próprio Piquet que sabotou o resultado. Paciência.

Por outro lado, a etapa de Rockingham mostrou – mais uma vez – que o brasileiro está pronto para lutar de igual para igual com os principais pilotos da categoria. O domínio nas voltas iniciais foi digno de Kyle Busch nos dias em que está mais inspirado. E outra, Nelsinho tem se destacado nas corridas em pistas intermediárias, com 1,5 milha de distância. Se em Rockingham ele já liderou boa parte da prova, imagine o que poderá fazer quando chegar a hora de correr nesse tipo de circuito?

No final, é óbvio que fica a frustração por Nelsinho ter deixado escapar uma grande chance de vencer pela primeira vez na Truck Series, mas os pontos positivos da corrida são muito maiores que qualquer erro do brasileiro nos boxes.

2 comentários sobre “O erro de Nelsinho Piquet em Rockinhgam

  1. Ele estava no segundo pit, o primeiro estava vazio. O medidor de velocidade estava no lugar de sempre, o pit do pole é que estava mais atras. Com isso tinha espaço mais q suficiente para ultrapassar a velocidade.

    Piquet precisa ter mais calma no fim das corridas, no final ele quase sempre erra.

    Curtir

  2. O que deixou todos espantados (inclusive os locutores americanos) é de apenas na ultima troca ter sido flagrado o estouro do radar, o Nelson fez 5 paradas, e em todas saiu acelerando pois estava na luta pela liderança durante toda a prova.
    E dizer que ele precisaria somente passar um piloto da Sprint, é só ver a diferença de rendimento dele em relação a qualquer outro piloto na pista após a ultima parada, pois ele tinha deixado o jogo novo (liberado pela nascar durante a prova) justamente pro trecho final.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s