O dia em que Bubba Watson quase correu na Nascar

Bubba Watson
Bubba Watson ganhou notoriedade mundial ao vencer um importante torneio de golfe, mas o que interessa é que ele é fã da Nascar

Como as três corridas da rodada de Oulton Park da F3 Inglesa aconteceram no sábado, o grande nome do noticiário esportivo deste domingo, dia 8, é o de Bubba Watson. Caso você não conheça o cidadão, Gerry ‘Bubba’ Watson é um golfinho golfista de 33 anos de idade, que acabou de vencer o Masters de Augusta, a principal competição mundial de golfe.

A menos que você seja uma das três pessoas no mundo a assistir ao Golf Channel, não há muito o que você precise saber sobre nosso amigo. Ele joga golfe, tem 33 anos, é fã da Nascar, e é considerado um dos golfistas mais fortes, fisicamente falando, do circuito profissional.

Ok, acho que você já entendeu aonde quero chegar. A grande relevância que Bubba Watson tem para ganhar um post aqui no World of Motorsport é a relação com a Nascar.

O que talvez você não saiba é que o americano é um grande fã da categoria, do tipo que está presente em várias corridas, visita os pilotos, vai no trailer, sai para jantar e etc. E ele não é só amigo dos atletas da Sprint Cup, embora seja conhecido por ser brother de Denny Hamlin. Sempre que a agenda permite, Watson é visto também nas provas da Nationwide e da Truck Series.

Aliás, tem uma história curiosa sobre o nosso campeão – que é o motivo do post de hoje. No início do ano, o golfista comprou um antigo Dodge Charger e tentou participar da prova de Phoenix da Nascar.

Os gatoes The Dukes of Hazzard
O Dodge 'General Lee' era o protagonista da série 'Os Gatões'

Mas não foi um Dodge Charger qualquer. Bubba comprou o lendário General Lee, carro usado na série ‘The Dukes of Hazzard’, conhecida aqui no Brasil como ‘Os Gatões’. Eu não conhecia o programa, mas o Dodge é clássico. A imagem do carro laranja com o número 01 na porta foi usada à exaustão por fabricantes de brinquedos ao longo das última décadas, então provavelmente você tenha pelo menos uma vaga lembrança do veículo.

A série, para quem não conhece, foi exibida entre os anos de 1979 e 1985 nos Estados Unidos e alcançou ótimos índices de audiência para a época. O programa, aliás, conta um pouco a história do automobilismo nos Estados Unidos, já que no roteiro, os protagonistas da série – os irmãos Duke – são vendedores de uísque clandestino e usam o tal do General Lee para transportar a bebida.

A Nascar surgiu nesse contexto. Embora a categoria seja mais antiga que o programa, ela começou quando esses transportadores de bebidas disputavam corridas, um contra os outros, em carros preparados para fugir da polícia. Um dos locais que ficou mais famoso por ter esse tipo de competição é a praia de Daytona, onde hoje está construído o Daytona International Speedway.

Na história da Nascar, Bill France Sr juntaria todo esse pessoal que corria em Daytona, se reuniria em um hotel local para determinar as regras de um futuro campeonato, que tinha o objetivo de ser disputado em pistas de todos os Estados Unidos. Assim surgiu a Nascar. A categoria, aliás, era um tema recorrente em ‘Os Gatões’. Pilotos como Terry Labonte e Cale Yarborough fizeram participações especiais, enquanto, na história, os irmão Duke se tornaram pilotos profissionais da categoria.

Voltando a Bubba Watson, o golfista comprou o General Lee e negociou com os donos da pista de Phoenix para participar das voltas de apresentação da etapa da Sprint Cup, realizada no início do mês de março.

Bubba Watson General Lee
Bubba Watson ao lado do General Lee. Eles quaaaaaase participaram de uma etapa da Nascar

A Nascar ficou satisfeita com a proposta, afinal a corrida logo seguinte à de Daytona, que costuma ter um público baixo, teria dois grandes atrativos: um golfista famoso pilotando um ícone que faz parte da teledramaturgia norte-americana.

Só que dois dias antes da corrida, a Nascar ligou para o empresário de Bubba Watson e resolveu cancelar a exibição. O motivo? O General Lee tem uma enorme bandeira dos Estados Confederados (que perderam na Guerra Civil Americana) estampada no teto do carro. A direção da categoria julgou que não seria uma boa ideia se vincular a um símbolo separatista, principalmente porque a maior parte do público da Nascar é formada por moradores do Sul dos Estados Unidos (os tais estados confederados).

Watson, obviamente, ficou chateado com a decisão, e até houve um pequeno debate entre os fãs da categoria – e da série – se a decisão da Nascar tinha sido a mais acertada. Nada que mudasse o fim da história.

Um comentário sobre “O dia em que Bubba Watson quase correu na Nascar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s