Preview da F3 Inglesa 2012

F3 Inglesa 2012
A F3 Inglesa começa a temporada 2012 com um grid enxuto, mas ainda sem um favorito definido

A temporada 2011 da F3 Inglesa foi um sucesso para os pilotos brasileiros. Felipe Nasr conquistou o título da categoria, enquanto Lucas Foresti e Pietro Fantin também venceram corridas no certame. Além do trio, Yann Cunha e Pipo Derani foram os outros representantes do país no campeonato.

Seguindo o caminho natural das carreiras, Nasr foi o primeiro a se despedir da F3 e escolheu competir na GP2, sempre de acordo com o objetivo de chegar à F1. Lucas Foresti e Yann Cunha – de forma curiosa, os três nascidos em Brasília – também deixaram o campeonato e vão se dedicar à World Series em 2012.

Assim, a F3 Inglesa inicia a nova temporada sem a volumosa delegação brasileira do ano anterior. Na realidade, o campeonato conta com o menor número de pilotos do país desde 2008 – quando Adriano Buzaid e Clemente de Faria Jr. participaram de poucas etapas – já que apenas Fantin e Derani estão confirmados.

No entanto, não foi apenas o número de pilotos brasileiros que encolheu para 2012. O grid, como um todo, diminui. A F3 Inglesa resolveu adotar o novo Dallara F312 para a nova temporada, o que aumentou os custos da categoria, que já não era barata. Dessa maneira, a previsão é que apenas 14 carros estejam presentes em Oulton Park na abertura do novo campeonato neste final de semana da Páscoa.

Essa diminuição no grid não é uma crise devastadora. Praticamente todos os campeonatos que resolveram adotar o F312 estão sofrendo. A F3 Euro, por exemplo, deve ter apenas dez carros, enquanto a Italiana, que ainda manteve o modelo antigo, contou com apenas 11 na rodada de abertura.

No caso da Inglaterra em específico, a nova regra de motores, que só entra em vigor no próximo ano, acabou afugentando algumas equipes, que já declararam interesse de se juntar à competição, mas preferiram esperar esse ano para não ter que comprar os propulsores duas vezes. Assim, é natural que o grid da F3 consiga se expandir ao longo de 2012, embora a tendência é que os pilotos que entrem utilizem o campeonato apenas para se adaptarem.

Mas chega de falar do futuro da F3 Inglesa. O que interessa é essa nova temporada que começa agora. Afinal, será que Pietro Fantin e Pipo Derani têm condições de seguir os passos de Felipe Nasr e garantir o 13º triunfo do Brasil no campeonato?

Carlos Sainz Jr F3 Inglesa
Pelo histórico e pelo rendimento na pré-temporada, Carlos Sainz Jr será o piloto a ser batido em 2012

Infelizmente, ao que tudo indica, não. É verdade que os testes de pré-temporada foram bastante inconclusivos, com praticamente todos os pilotos terminando na frente em algum momento. Entretanto, os brasileiros não foram bem. Fantin geralmente ocupou a quinta colocação entre os cinco atletas da Carlin, enquanto Derani teve problemas para se manter n top-10 na classificação geral.

Nem mesmo em Rockingham, onde Fantin conhece como a própria mão, o paranaense foi bem. E por causa desse tipo de resultado não dá para falar que os brasileiros são favoritos. No entanto, vale lembrar que treino é treino e corrida é corrida. Apesar de parecer batido, em 2011, ninguém apostava em um bom desempenho de Lucas Foresti desde o começo, mas o brasiliense chegou a ser o principal rival de Nasr nas primeiras etapas. Por outro lado, Kevin Magnussen teve um início de ano complicado – o que acabaria custando o título – e, de acordo com os resultados da pré-temporada – Jack Harvey seria o favorito ao campeonato.

É por essa razão que não dá para colocar Fantin e Derani fora da briga, mas os dois terão muito trabalho em 2012 se quiserem conquistar o título da F3 Inglesa.

Até porque, favorito mesmo o campeonato já tem um: Carlos Sainz Jr. O espanhol, protegido pela Red Bull, chega à Inglaterra com a responsabilidade de seguir os passos de Jaime Alguersuari, Daniel Ricciardo e Jean-Éric Vergne, que foram campeões da F3 antes de alcançarem a F1.

Como os outros três foram campeões, o espanhol é mais do que favorito, mas isso não quer dizer que ele vai ter vida fácil. Sainz chega à F3 bastante pressionado pela falta de títulos na carreira. Quando estreou na F-BMW, em 2010, o piloto teve a responsabilidade de substituir Felipe Nasr na equipe Eurointernational, mas, mesmo contando com o suporte da Red Bull, o garoto passou longe da briga pelo título.

Jack Harvey F3 Inglesa
Apoiado pela Racing Steps Foundation, Jack Harvey está de volta à F3 em 2012

No último ano, o espanhol correu tanto na F-Renault Eurocup quanto na NEC, onde conquistou o título. No entanto, no campeonato principal, acabou perdendo a taça para Robin Frijns (que já havia sido o campeão da F-BMW em 2010), o que colocou dúvidas quanto ao seu talento. Só que vale lembrar que o último campeão da Red Bull em uma F-Renault foi Brendon Hartley. E, em termos de pressão, Vergne havia chegado ao campeonato inglês com a corda muito mais no pescoço que o colega de Junior Team, então a situação de Sainz não é uma novidade em terras rubro-taurinas.

Mas é difícil apontar quem pode vencer Carlos Sainz. Entre os próprios pilotos da Carlin, nenhum inspira confiança em relação ao título. Jazeman Jaafar, que inicia o terceiro ano no campeonato, em tese deveria ser o principal rival, mas o malaio jamais venceu uma corrida na categoria e sempre foi um piloto bastante veloz na pré-temporada, mas que deixou a desejar ao longo das corridas.

Jack Harvey é outro que pode ameaçar. O inglês conhece Sainz da época em que dividiram a F-BMW, quando saiu-se vencedor. A situação é bastante parecida em 2012. Harvey inicia o segundo ano na F3, enquanto o companheiro de equipe é um novato. O favoritismo, claro, agora é do espanhol, mas o inglês tem todas as condições de surpreender novamente.

Por fim, ainda falando da Carlin, se Fantin não fez uma boa temporada, o mesmo não pode ser dito de Harry Tincknell. O quinto piloto do time foi um dos mais constantes dos treinos do inverno europeu e corre por fora na briga pelo título. Tincknell fará de tudo para encerrar um jejum de título dos ingleses na F3 local, que já dura desde 2006, quando Mike Conway foi campeão.

Nas demais equipes, a única que pode ameaçar a Carlin é a Fortec. O time de Richard Dutton aposta em Alex Lynn, atual campeão da F-Renault UK, para superar os carros da equipe rival. Para você ter uma ideia da rivalidade entre essas duas escuderias, no press release oficial da confirmação dos pilotos para 2012, Dutton disse a palavra ‘Carlin’ mais do que a própria palavra ‘Fortec’. O dirigente tá com sanguenozóio para acabar com a supremacia da adversária.

Além de Lynn, o time ainda conta com Pipo Derani, contratado da Double R, e Hannes Van Asseldonk, que veio da F3 Alemã com status de sucessor de Kevin Magnussen – que havia trilhado o mesmo caminho na carreira – mas acabou decepcionando na pré-temporada. O quarto piloto é o porto-riquenho Felix Serralles, conhecido pela regularidade e pela consistência.

Nick McBride
Nick McBride conta com o apoio da Nissan para tentar vencer Carlin e Fortec em 2012

Para finalizar as últimas equipes, chegou a hora de falar dos australianos. Em 2012, a F3 Inglesa terá um sotaque típico de Down Under, já que quatro pilotos da terra dos cangurus vão tomar parte do certame. É a maior delegação de 2012, vencendo até mesmo os ingleses, que têm três representantes.

Nick McBride e Spike Goddard vão competir pela T-Sport, enquanto Geoff Uhrhane e Duvashen Padayachee são os atletas da Double R. Os quatro vão tentar seguir os passos de Will Power e de Daniel Ricciardo, que disputaram a F3 Inglesa antes de fazerem sucesso no mundo do esporte ao motor.

Para não falar de cada um deles de forma isolada, cito algumas curiosidades gerais. McBride é o único dos 14 pilotos confirmados a correr com motores Nissan. Aliás, além dele, Uhrhane e Goddard vieram direto da F-Ford inglesa, enquanto Padayachee correu na F-BMW do Pacífico. Esses dois últimos, aliás, são os únicos concorrentes da National Class.

O outro piloto que disputa a F3 Inglesa em 2012 é Fahmi Ilyas, que correrá pela Double R.

Para finalizar, existe a possibilidade de a CF, comandada pelo ex-piloto Hywel Lloyd entrar no campeonato com dois carros da National Class. A ideia era já estar presente em Oulton, mas, ao que tudo indica, o time ainda não conseguiu fechar com algum piloto.

Para ver o calendário completo da F3 Inglesa basta clicar aqui.

10 comentários sobre “Preview da F3 Inglesa 2012

  1. Achei bem estranha a pré-temporada do Fantin. Ano passado ele praticamente estreou no automobilismo já na F3 Britânica (antes tinha feito umas 3 corridas na própria Inglaterra e outras 3 aqui no Brasil), e ainda na pré-temporada chegou a liderar várias sessões numa “equipe não Carlin”. No campeonato propriamente dito venceu uma prova e conquistou alguns pódios.
    Quando foi anunciado pela Carlin pensei de imediato que levaria o caneco com imensa facilidade. Sim, eu sei que a equipe volta a ter um piloto Red Bull, que historicamente é favorecido internamente. Mas mesmo assim, pelo potencial que mostrou achava o Fantin favorito. Ah, e o Sainz Jr é fraco. Costuma ter o melhor equipamento e fazer muita m… Nem a F-Renault 2.0bconseguiu vencer.
    Enquanto todo mundo ficava falando do Nasr durante o campeonato passado eu ficava pensando, “Deixa o Fantin pegar um pouco mais de experiência e sentar nesse carro da Carlin.
    Vai fazer melhor, tem mais talento puro. É só desenvolver o potencial”.
    Fiquei mesmo bem surpreso pela pré-temporada modesta, digamos assim. Vamos ver o que acontece a partir de agora.

    Curtir

  2. Fico pensando no Cunha, que apos passar o ano todo no fim do grid da F3, já pulou para a wsbr…pode se dar mal o rapaz…e acabou de perder o titulo da f3 de 2010…por falar nisso, felipe, o bruno andrade abandonou as pistas?

    Curtir

  3. Se fosse construir um ranking do nivel das melhores F 3 pelo mundo quais seriam elas , claro depois da inglesa , porque a alema cai tanto , hoje nem se comenta tanto?

    Curtir

  4. ainda existe a F 2 por curiosidade ? torna se piloto com a meta de alcançar a formula 1 a cada ano que se passa torna se mais caro . Se eu tivesse um filho com o sonho de ser piloto de formula 1 tentaria converser ele a se torna piloto profissonal , ou seja , piloto de turismo ou de prototipo lá parece que a questão berço não e tão importante mais do mesmo jeito teria que fazer uma boa base , mas não precisaria gastar tanto dinnheiro , se o garoto for muito corajo e obestinado por monoposto vai tentar ser aventureiro no Japão ou nos EUA.

    Curtir

    1. Eu sonhava em ter um filho piloto. Mas além de ser pai de uma menina (o que dificulta muito nesse Clube do Bolinha), desanimei quando vi que uma temporada de kart custa em torno de R$ 100 mil!
      Fala sério! Quantas pessoas no país tem 100 conto pra gastar do bolso com o esporte do filho??? E patrocínio tá difícil até em F1, que dirá em kart!
      Ou seja… Nem vou incentivar minha filha (ou um futuro filho) com isso. Melhor mandar ele(a) jogar bola!!!

      Curtir

    1. Acho que tem um pouco de inspiração sim. É vontade da Dallara de que os jovens pilotos se acostumem com aerodinâmica e downforce desde o início da carreira.

      Mas eu gostei do bico, acho que é realmente diferente do antigo, mas não é tão bizarro quanto o da F1

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s