Longe da aposentadoria

Rubens Barrichello
Após ser preterido na F1, Rubens Barrichello resolveu desbravar o velho caminho rumo à Indy

Falar sobre a F1 é algo complicado. Todos os dias milhares de histórias sobre a categorias são lançadas. Entretanto, elas ficam velhas muito rapidamente. Comentar sobre Sergio Pérez na Malásia, sobre os fracos resultados de Felipe Massa ou sobre os toques de Sebastian Vettel e Jenson Button em Narain Karthikeyan já é coisa do passado.

Assim, o grande factoide do campeonato, ao menos nesta sexta-feira (30), é a escolha de Jaime Alguersuari como companheiro de Lucas Di Grassi na Pirelli. Isto é, a partir de agora os dois pilotos vão dividir a tarefa do desenvolvimento dos novos compostos. Pode não ser o emprego dos sonhos, mas é bastante digno, visto com os dois devem ganhar salário para pilotar um carro, algo que não acontece necessariamente na F1.

Com a contratação de Alguersuari, praticamente todos os pilotos que deixaram a F1 em 2012 já estão empregados. O World of Motorsport fez uma breve lista para você saber que há vida no automobilismo mesmo depois da F1.

Adrian Sutil – O funcionário número Zero da Force India deixou a F1 no final do ano passado envolvido no inquérito policial por causa de uma briga em uma boate em Xangai. Após o GP da China, o alemão tinha acertado Eric Lux – dono da empresa que controla a Renault – com uma garrafa. O dirigente ficou ensopado de sangue e processou o atleta.

Em janeiro, Sutil foi condenado a 18 meses de condicional e obrigado a pagar uma multa de 200 mil euros, que foi destinada à caridade. Na F1, dizem que o problema com a polícia o impediu de assinar com a Williams para o novo campeonato. Ainda assim, o alemão não desistiu da categoria máxima e já afirmou, nesta semana, que adoraria pilotar para a Sauber caso Sergio Pérez fosse puxado para a Ferrari.

Nick Heidfeld – Se arrastando pelo grid desde a saída da BMW, no final de 2009, o alemão finalmente parece ter desistido da F1. A passagem pela Renault na última temporada não foi boa e Quick Nick não conseguiu permanecer na categoria. Para 2012, o alemão já assinou com a Rebellion Racing, uma das maiores equipes de endurance do mundo, abaixo apenas dos grandes times de fábrica.

Pilotando ao lado de Neel Jani e Nicolas Prost, Heidfeld não teve uma boa estreia no Mundial de Endurance, abandonando as 12 Horas de Sebring.

Jaime Alguersuari – Dispensado pela Toro Rosso, Alguersuari logo ganhou o estrelato. Primeiro, o espanhol criticou a forma com que a Red Bull trata os jovens pilotos e depois revelou ter recusado uma proposta da equipe austríaca para seguir como piloto de testes. O interesse do catalão estava longe das pistas, ao menos era o que parecia.

Conhecido na noite de Ibiza como DJ Squire, Alguersuaria planejava se dividir entre a música e a tarefa de comentarista para a BBC. Como DJ, até que deu certo, afinal, hoje em dia, tudo o que ele precisa fazer é conectar o iPod e apertar play. Já a tarefa de comentarista deixou a desejar. No primeiro furo dado, o ex-piloto da Toro Rosso afirmou que Robert Kubica não conseguia segurar um copo de água, quanto mais dirigir. Menos de cinco dias depois o polonês publicou uma foto pilotando um carro de rali e rebatendo o antigo colega de profissão.

Apesar da fama, Alguersuari não conseguiu ficar muito tempo longe das pistas e foi anunciado como piloto de testes da Pirelli ao lado de Lucas Di Grassi.

Jaime Alguersuari DJ Squire
Longe da F1, Jaime Alguersuari ganha a vida como DJ na noite de Ibiza e outros locais badalados do Mediterrâneo

Sébastien Buemi – Assim como Alguersuari, o piloto suíço também foi chutado sem dó nem piedade dos confins da Toro Rosso. Para piorar, assim que soube da decisão, Buemi reclamou que tinha estado em Milton Keynes, onde trabalhara no simulador rubro-taurino poucas horas antes da fatídica notícia.

Apesar de ter choramingado por aí, Buemi foi contatado pela Red Bull, que ofereceu o posto de piloto reserva, algo prontamente aceitado pelo suíço. Satisfeito com a nova vaga, o piloto de apenas 23 anos logo descobriu que a primeira escolha do time tinha sido Alguersuari, mas o catalão havia recusado a proposta.

Assim, o eterno número 2 da Toro Rosso estará desfilando beleza em todos os GPs do ano, torcendo para que Sebastian Vettel ou Mark Webber se machuquem e, enfim, ele ganhe a oportunidade de pilotar um carro de ponta na F1. Ao mesmo tempo, Buemi acertou com a Toyota para a disputa das 24 Horas de Le Mans.

Rubens Barrichello – O brasileiro era o único piloto da F1 que havia participado de todas as temporadas da categoria desde a criação, em 1950. Ok, na verdade ele estreou em 1993, mas nada que o torne menos veterano. No entanto, toda essa experiência não foi capaz de convencer Frank Williams a mantê-lo na equipe.

Barrichello, então, caçou patrocinadores no Brasil todo e fechou com a BMC, para tentar permanecer na categoria principal. Mesmo com o dinheiro, a Williams optou por Bruno Senna, mandando o veterano direto para a Indy.

Na única corrida em que disputou até agora, Barrichello não conseguiu acertar uma boa estratégia de corrida e perdeu tempo durante as paradas nos boxes. Em São Petersburgo, finalizou em 17º, com duas voltas de atraso e com direito a pane seca.

Jarno Trulli – Eterno segundo piloto da Lotus, o italiano achava que ia disputar a temporada 2012 da F1. No entanto, aos 46 do segundo tempo, Vitaly Petrov ligou para Tony Fernandes e ofereceu uma boa grana e um grandioso estoque de vodka, Lada e russas, que foi prontamente aceito pelo dirigente.

Assim, Trulli foi chutado e o russo se tornou companheiro de Heikki Kovalainen. Enquanto o italiano ainda não se acertou – não seria surpresa se disputasse ao menos as etapas em circuito misto da Nascar – , Petrov conseguiu em duas corridas o que o veterano jamais havia feito: andar na frente de Heikki Kovalainen.

Nick Heidfeld
A ironia da vida! Depois de ser dispensado pela Lotus, Nick Heidfeld compete no Mundial de Endurance com um carro em preto e dourado

Vitantonio Liuzzi – Outro italiano com contrato dispensado. Assim como Trulli, Liuzzi também tinha um papel escrito que ele ia competir em 2012, mas parece que na F1 as pessoas não se importam muito com esse tipo de coisa.

Como não foi oficialmente dispensado pela HRT, Liuzzi tem vivido o dia a dia da equipe espanhola, em um posto totalmente decorativo. O time, claro, quer evitar pagar a multa pela rescisão do contrato, então todo mundo finge que está feliz.

Além de ocupar o cargo de aspone na HRT, Liuzzi fechou com a Mercedes para a disputa do principal campeonato italiano de turismo, a Superstars Series.

Jérôme D’Ambrosio – Depois de disputar apenas uma temporada pela Marussia, o belga não agradou. Sendo constantemente mais lento que Timo Glock e aparecendo tanto na televisão quanto o avião invisível da Mulher Maravilha, D’Ambrosio foi chutado sem dó nem piedade do time russo, que escolheu Charles Pic como otá… substituto para 2012.

O desempenho de Pic é tão relevante quanto o do belga, ou seja, até agora ele não fez nada. Mas isso não é algo que Jérôme possa se orgulhar. Nosso amigo defenestrado já declarou que preferia seguir na Marussia a assistir às corridas do lado de fora da pista.

Pelos contatos que tem com a Gravity, empresa que controla a equipe Lotus na F1, o belga assumiu o posto de piloto reserva do time. Assim, torce para algum infortúnio de Kimi Raikkonen ou de Romain Grosjean para voltar a correr.

Karun Chandhok – Ao contrário do compatriota Narain Karthikeyan, Chandhok esnobou a Hispania na hora de seguira na F1. Depois de pilotar para a equipe espanhola, em 2010, o indiano recusou retornar ao time, buscando algo diferente na última temporada. Acertou com a Lotus, onde foi piloto reserva ao longo do ano e competiu no GP da Alemanha.

Chandhok até tentou um acordo para correr na Índia, mas não deu certo. Enquanto ainda tente restabelecer a carreira, o piloto fechou com a JRM, para a disputa do Mundial de Endurance. Ao lado dos experientes David Brabham e Peter Dumbreck, foi um dos destaques dos treinos em Sebring, mas não conseguiu terminar a corrida de 12 de duração.

Um comentário sobre “Longe da aposentadoria

  1. “e aparecendo tanto na televisão quanto o avião invisível da Mulher Maravilha” a melhor do blog até agora, a do Lux encharcado, de sangue, foi boa também!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s