A agenda cheia de Takuma Sato em 2012

Takuma Sato
Takuma Sato sabe que terá muito trabalho em 2012

Meio sem querer, Takuma Sato foi pivô da grande contratação da Indy para a temporada de 2012. O japonês estreou na categoria norte-americana, dois anos atrás, quando a Honda viu uma boa oportunidade de atrair ainda mais o interesse do público nipônico pela categoria.

Na época, a montadora era a única fornecedora de motores do campeonato, mas para marcar presença entre os japoneses era obrigada a apoiar pilotos de qualidade questionável como Kousuke Matsuura, Roger Yasukawa e Hideki Mutoh. Assim, até mesmo na etapa de Motegi, a torcida local era obrigada a vibrar pelos pilotos ocidentais.

Para tentar melhorar um pouco as coisas, os diretores da Honda resolveram apostar em uma contratação de peso: Takuma Sato. O bom desempenho do japonês na F1 – ainda que nada extraordinário – tinha sido o suficiente para criar uma torcida apaixonada e fiel pelo atleta. Mas esses torcedores acabaram órfãos quando Takuma foi substituído por Rubens Barrichello na equipe da F1.

Na ideia de convencer Sato a correr nos Estados Unidos, o piloto foi levado à Indy 500 de 2009. Assistiu à corrida, gostou do que viu e começou a negociar com a KV para o ano seguinte. O contrato foi fechado e ele correu por duas temporadas pela equipe de Jimmy Vasser e Kevin Kalkhoven, onde acumulou duas pole-position, diversos acidentes e o sabor amargo de ter perdido a vitória no Brasil por um erro da equipe na estratégia nos boxes.

Para 2012, o piloto foi obrigado a procurar outro lugar para correr, já que a KV escolheu os motores Chevrolet, que retornam à categoria esse ano. Como Sato segue ligado à Honda, o jeito foi negociar com equipes que optaram pela montadora nipônica. Assim, em alguns meses, o acordo com a Rahal Letterman – que retorna à Indy de forma integral – foi costurado.

Foi dessa forma que Sato se tornou personagem da grande contratação da Indy. É verdade que o acordo com a Rahal Letterman é insignificante, mas acabou abrindo espaço para a chegada de Rubens Barrichello, que acertou com a KV, onde vai substituir o nipônico em uma equipe pela segunda vez na carreira.

Se engana, no entanto, quem pensa que Sato saiu cabisbaixo ao ver a antiga sendo a mais comentada da categoria nesse momento de pré-temporada. Profissional, o japonês seguiu o plano da Honda e já está treinando duro na nova equipe.

Mas a história não para por aí. Sato, enfim, também conseguiu chegar ao estrelato. O piloto é a grande novidade do automobilismo japonês em 2012, pois recebeu um convite da Mugen – equipe oficial da Honda – para disputar duas ou três etapas do campeonato da F-Nippon.

Mugen F-Nippon Naoki Yamamoto
A Mugen não foi bem na temporada 2011 da F-Nippon, mas será a grande atração do novo campeonato com a chegada de Takuma Sato

Essa será a primeira oportunidade que a torcida japonesa de ver um dos maiores ídolos dos últimos anos competindo em um certame no país. Lembrando que ele participou normalmente do GP do Japão enquanto esteve na F1, além das etapas de Motegi nesses dois anos de Indy. Também não é coincidência que esse convite chegou justamente quando a categoria americana abandonou a etapa japonesa para pilotar na China.

Só que essa primeira experiência de Sato no automobilismo japonês não deve ser essa moleza toda. A Mugen não foi bem em 2011. Contando com Naoki Yamamoto, a equipe conseguiu a pole-position para a etapa de abertura do campeonato, mas parou por aí. Depois disso, a única vez que chegou aos pontos foi com o quinto lugar em Autopolis, logo na segunda corrida.

A Honda ainda não anunciou em quais etapas Sato estará presente, mas obviamente será em alguma que não houver conflito de data com a Indy.

Para encerrar, é possível chegar a duas conclusões. A primeira é que dificilmente veremos um piloto top brasileiro participando de algum campeonato por aqui. Ano passado, Felipe Massa esteve em alguns treinos do Trofeo Linea e, neste ano, Augusto Farfus pode competir em algumas corridas do GT Brasil devido à chegada da BMW ao campeonato. Ainda assim, parece pouco.

A outra é que a Mugen deveria ficar de olho em Rubens Barrichello. Bom, o brasileiro já substitui Sato na F1 e agora também na Indy, então nunca se sabe, não é?

Um comentário sobre “A agenda cheia de Takuma Sato em 2012

  1. A Fórmula Nippon e um ótimo campeonato, ótimos carros com um grnade envolvimento das montadoras infelizmente sua notoriedade na midias caiu nos últimos anos . Seria muito bom se pintasse outro brasileiro além do já campeão Joâo Paulo De Oliveira .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s