Williams F1 2012 FW34
Mesmo com a contratação de Mike Coughlan, a Williams foi bastante conservadora para criar o FW34

A primeira bateria de treinos coletivos para a temporada 2012 da F1 vai chegando ao fim. Após nove lançamentos de carros e quatro dias de atividades de pista é possível chegar a alguma conclusão: os novos carros são feios.

Meio decepcionante, não? Se ainda não dá para se empolgar ao saber quem é quem na disputa pelo título, o visual dos novos modelos não ajuda muito a melhorar a animação para o novo campeonato. Desse jeito, talvez a melhor coisa seja desvendar os segredos das equipes para esquentar um pouco as coisas.

Em posts anteriores – os links estão lá embaixo –, as primeiras impressões dos carros da Red Bull, Ferrari, McLaren, Lotus, Caterham e Force India já foram expostas. Agora é vez da Williams, Sauber e Toro Rosso, quando finalmente será possível responder quais chances Bruno Senna terá na F1 em 2011.

Ao analisar o carro da Williams, não são muitas, na realidade. Mesmo com a equipe tendo passado por uma revolução dentro do departamento técnico, com a substituição de Sam Michael e Patrick Head por Mike Coughlan, o FW34, o carro de 2012, não parece ter correspondido a essa mudança drástica.

Williams F1 2012 FW34
A traseira curta, com bastante espaço para o ar, é um dos destaques do novo carro da Williams para a F1 2012

O novo modelo, na verdade, parece uma evolução do carro de 2011. A primeira impressão é que a Williams manteve tudo o que deu certo e resolveu mudar o resto. Só que o resultado na pista sugere que o time ainda vá sofrer no novo campeonato, embora os primeiros treinos não signifiquem muita coisa.

O primeiro destaque do FW34 é a asa dianteira ser presa na pontinha do suporte do bico, o que possivelmente significa a falta do duto frontal. Depois, o modelo segue a tendência do bico de ornitorrinco, para aumentar o fluxo de ar para o difusor. O degrau é similar ao da Ferrari, sendo bastante conservador.

O restante do modelo – sidepods, entrada de ar e tampa do motor – continua bastante similar ao carro de 2011. A grande inovação do carro do ano passado (e que não deu certo) foi a caixa de câmbio reduzida. Dessa vez, parece que esse artifício foi novamente utilizado, deixando a parte traseira muito curta.

A tampa do motor termina muito cedo – com os escapamentos posicionados em posição mais conservadora e apontados para a asa traseira – a asa, aliás, também fica presa na pontinha, a exemplo da peça dianteira. O resultado é ter muito espaço para que o ar flua e chegue ao difusor.

Há alguma expectativa em relação às principais inovações da Williams serem invisíveis, isto é, por baixo da carroceria. Sendo assim, fica difícil analisar qualquer coisa após um único teste.

Sauber F1 2012 C31
Nessa foto fica bem claro o buraco após o degrau e a posição dos escapamentos do novo carro da Sauber apra a F1 2012

Sauber C31:

Indo direto ao ponto no carro da Sauber, o C31 apresenta três maiores inovações: bico, entrada de ar e escapamento. Menos importante que essas partes vem a pintura. É óbvio que layout não ganha corrida, mas carro mais feio que o da equipe suíça não há.

Heh, indo ao que interessa, o bico da Sauber é um dos mais curiosos. Comparado ao das outras equipes, ele é bastante avantajado. Parece ser um dos bicos mais longos até agora e, ao contrário dos rivais, os suíços optaram por colocar a câmera quase na metade da peça.

A justificativa para essas escolhas é direcionar o fluxo de ar para o restante do carro. O grande problema do degrau parece ser a turbulência que ele causa, fazendo com que o ar não siga junto ao carro, prejudicando a geração da downforce. Além do bico, a grande inovação é um buraco – assim como a Red Bull – após o desnível. No entanto, ao invés da equipe austríaca, o buraco é localizado após o degrau, pouco antes do monocoque.

Sauber F1 2012 C31
A Sauber apareceu em Jerez com uma nova tampa do motor, com o escapamento, digamos, escondido

Seguindo até a entrada de ar, a exemplo da Ferrari – ou da Force India em 2011 – o Sauber C31 tem a entrada principal, ovalada, além de um segundo buraco para a refrigeração do equipamento, localizado logo abaixo.  O restante do equipamento é bastante similar ao do ano passado.

O último ponto é a tendência da Sauber em colocar a saída do escapamento encoberta pela tampa do motor, sem o bocal para fora. Essa é uma escolha que outras equipes ainda devem se utilizar. Por fim, o escapamento da Sauber segue de forma tradicional, apontando para a asa traseira.

Toro Rosso F1 2012 STR7
Depois de investir pesado no final de 2011, a Toro Rosso manteve muitos dos novos componentes no STR7

Toro Rosso STR7:

Como a equipe satélite da Red Bull foi um dos times que mais investiu no final de 2011, já era esperado que eles mantivessem muitas das atualizações. A aerodinâmica, por exemplo, é praticamente a mesma, salvo o degrau no bico, que apresenta uma borda em ‘V’, para tentar amenizar os efeitos da turbulência.

O bico de ornitorrinco, evidentemente, também é uma novidade. No restante, o carro é bastante similar ao do ano passado. A base dos sidepods manteve o corte para melhorar o fluxo de ar, enquanto a peça – assim como a tampa do motor – é mais longa que o da Red Bull.

Apesar disso, o carro tem algumas novidades. Assim como a Sauber,  há duas entradas de ar na parte de cima: a principal, além de uma localizada logo abaixo. E o outro destaque é o escapamento localizado próximo ao duto do freio da roda traseira, para aumentar a downforce.

Com o bom desempenho da Toro Rosso no final da temporada passada, a adição de uma dupla mais habilidosa que a anterior e inovações não tão conservadoras, a equipe italiana pode ser uma forte candidata ao quinto lugar no Mundial de Construtores.

Toro Rosso F1 2012 STR7 3DPara ver a apresentação do carro da Caterham para a F1 2012 basta clicar aqui. E para ver a apresentação do MP4/27, o novo carro da McLaren para a F1 2012, basta clicar aqui.  Os carros da Ferrari e da Force India na F1 2012 é só clicar aqui. Agora, se você estiver procurando sobre o novo carro da Red Bull é só clicar aqui. A Lotus está aqui. Para encerrar as equipes grandes, clique aqui para ver a nova Mercedes. Já as sempre atrasadas Marussia e HRT estão aqui.