2012: Stoffel Vandoorne e a guerra entre McLaren e Red Bull

Stoffel Vandoorne
Com um carro amarelo, era possível reconhecer Stoffel Vandoorne à distância

Por mais que ainda seja cedo para antecipar qualquer coisa, há uma ansiedade muito grande para ver se Felipe Nasr será o próximo piloto brasileiro a chegar à F1. Entretanto, essa não é uma situação exclusiva do Brasil, os belgas também vivem a expectativa de ver um garoto do pequeno país tentar alcançar a categoria máxima. Esse piloto é Stoffel Vandoorne.

Apesar de ser conhecida como a ‘irmã menor da Holanda’, a Bélgica tem uma história muito rica no automobilismo. Por exemplo, o país conta com duas pistas históricas, que são presença obrigatória no calendário de quase toda categoria: Zolder e Spa-Francorchamps

Talvez inspirados por esses dois circuitos, os garotos do país conseguem se destacar no automobilismo internacional. Nos últimos anos surgiram nomes como Frédéric Vervisch (campeão da F3 Asiática e da F3 Alemã), Laurens Vanthoor (da F3 Alemã), Bertrand Baguette (da World Series by Renault) e, por fim, Jérôme D’Ambrosio, o único a chegar até à F1.

Mas mesmo com tantos títulos, os belgas não conseguiram se fixar na categoria principal. Vervisch apostou na F-Superleague e padeceu junto com o certame, Baguette não está confirmado na Indy, Vanthoor deve correr na World Series depois de não conseguir bons resultados em dois anos de F3 Euro Series e D’Ambrosio foi limado da F1 após um ano de pouquíssimo destaque na Virgin.

Enquanto esses pilotos iam ficando pelo caminho, surgiu Stoffel Vandoorne. Nascido em 1992, o garoto estreou no automobilismo em 2010 competindo na F4 Francesa. Entre todos os competidores, era praticamente o único não nascido na França. Sem problemas. Mesmo correndo ‘fora de casa’, o piloto venceu seis vezes e conquistou o título ao superar Norman Nato por 36 pontos.

Stoffel Vandoorne
Stoffel Vandoorne é dono de títulos como o vice-campeonato mundial de kart e a F4 Francesa

A F4 geralmente serve como uma categoria de acesso para os pilotos que querem competir na F-Renault. E foi esse caminho que Vandoorne seguiu em 2011. Aproveitando o retorno da equipe belga KTR ao certame europeu, o piloto assinou contrato para competir por ela tanto na versão europeia quanto na norte-europeia.

É verdade que havia alguma expectativa pelo desempenho de Vandoorne, mas outros nomes mereciam mais atenção em 2011. Por exemplo, a temporada da F-Renault contaria com Robin Frijns, campeão da F-BMW, Carlos Sainz Jr e Daniil Kyvat – ambos da Red Bull –, além da chegada de times como a ART e a Fortec.

Na pista, Vandoorne começou mal e só foi pontuar pela primeira vez na sexta corrida de 2011. Depois, em nove provas, conquistou um pódio – e pontuou em todas as demais, sendo presença constante no top-5 – para terminar o ano em uma excelente quinta colocação na classificação final. Atrás apenas do campeão Frijns e de Sainz Jr, Kyvat e Will Stevens.

Para 2012, Vandoorne até foi sondado para pular de categoria, mas o piloto optou por permanecer na F-Renault, onde vai substituir Frijns na equipe Josef Kaufmann. Evidentemente, por entrar na equipe campeã e pelo bom desempenho ao longo da carreira, o belga deixou de ser surpresa para se tornar o favorito absoluto ao título.

Apesar disso, a vida do garoto não vai ser fácil. Vandoorne vai iniciar 2012 no meio do fogo cruzado entre Red Bull e McLaren, já que cada uma das equipes da F1 deve ter dois representantes do programa de jovens pilotos competindo na categoria.

Ainda assim, o piloto tem alguns motivos para ficar otimista. Em primeiro lugar, mesmo com pilotos da Red Bull em 2011, Frijns levou o título para a Kauffmann. E, em segundo, ao contrário dos garotos das equipes da F1, que estão estreando no certame, Vandoorne vai para o segundo ano na campeonato, portanto não vai precisar se adaptar às pistas.

Assim, bater os concorrentes mclarianos e rubro-taurinos seria a forma de Stoffel Vandoorne colocar de vez o nome na história das categorias de base e, de quebra, entrar na lista das demais equipes da F1. Afinal, até agora, a única experiência do piloto é ter participado da Academia de Jovens Pilotos da FIA.

Para ler os demais textos da série Promessas de 2012, que aponta os jovens pilotos que terão um ano decisivo na próxima temporada, basta clicar aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s