O retorno de Romain Grosjean à F1

Romain Grosjean
Romain Grosjean desbancou Bruno Senna e está e volta à F1 em 2012

A novela envolvendo o companheiro de Kimi Raikkonen na Renault terminou, pois a equipe francesa anunciou a promoção de Romain Grosjean, atual campeão da GP2, para a vaga de titular.

Grosjean batalhava com Bruno Senna e Vitaly Petrov por esse segundo posto. Era o preferido tanto do chefe de equipe, Eric Boullier, quanto da Gravity, mas esbarrava na falta de dinheiro, algo que os outros dois candidatos poderiam trazer – e muito – para o time de Enstone. O francês, então, conseguiu fechar um acordo com a Total, fornecedora de combustíveis, que bancou a chegada à F1. Alguns outros patrocinadores do piloto, mas estes em menor escala, também contribuíram para a titularidade.

Independentemente da questão do dinheiro, Grosjean era o melhor nome entre os três. De todos, é o único que já conseguiu títulos na carreira (três desde que deixou a F1 em 2009) e foi mais rápido na pista durante os treinos livres de sexta-feira.

Torcer para Bruno Senna, que também um piloto muito bom, não deve impedir o torcedor de enxergar as qualidades do francês. Até porque Senna e Grosjean são bons amigos e até mesmo foram cunhados durante alguns anos.

O principal atributo do novo titular da Renault é, sem dúvidas, ter recuperado a carreira ao ser dispensado pela Renault ao final de 2009. Desde então, passou por GT1, AutoGP e GP2. Nos carros de turismo, venceu a corrida de estreia na categoria e estava na vice-liderança do campeonato quando resolveu voltar aos monopostos.

Na AutoGP, debutou com o campeonato já na terceira rodada e acabou conquistando o título com uma etapa de antecipação – correu metade das corridas, portanto. Por fim, retornou à GP2 e papou as taças tanto da versão asiática quanto da europeia em 2011. Foi essa recuperação vencedora que o colocou como queridinho da Gravity na briga por um lugar na F1.

Por fim, tem gente que rejeita o francês na F1 dizendo que ele já teve a chance dele – ao correr apenas sete corridas em 2009 – e não ter aproveitado. Mas esse argumento também pode ser usado para justificar a saída de Bruno Senna e de Vitaly Petrov da Renault. Afinal, o brasileiro disputou oito GPs (!!) e o russo teve direito a duas temporadas.

P.S.: é curioso ver a mudança do próprio Grosjean em dois anos. Quando ele chegou à F1 pela primeira vez, tinha aquela juba característica, que assustava os velhinhos mais conservadores da categoria. Agora, em 2012, o visual do piloto realmente remete a filho de algum grande banqueiro suíço. Alguém, digamo$, confiável.

P.S.2: abaixo você pode matar a saudade da juba do Grosjean

Wild Romain Grosjean

Romain Grosjean GP2

2 comentários sobre “O retorno de Romain Grosjean à F1

  1. Sem duvidas. Tecnicamente, a Lotus apostou no melhor piloto dos três. Não sei se Bruno voltará a pilotar na próxima temporada, mas tive a impressão que ele teria seria um belissimo piloto se tivesse uma carreira de verdade, até chegar na F1. Coisas da vida. Belissimo texto, aliás. Parabéns.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s