Os possíveis destinos de Kurt Busch e da Penske

Kurt Busch
O futuro de Kurt Busch é desconhecido. Assim como o nome do seu substituto

O mercado de pilotos para a temporada 2012 da Nascar, que parecia razoavelmente resolvido, voltou a ganhar força com a demissão de Kurt Busch da Penske. Afinal, agora há um ex-campeão da categoria livre no mercado, e um carro competitivo – que chegou ao Chase em 2011 – e com patrocinador garantido sem a vaga preenchida.

Os principais rumores apontam que Kurt Busch está negociando com a equipe de Richard Petty, enquanto a Penske cogita a contratação de David Ragan, Brian Vickers ou David Reutimann, além da promoção de Sam Hornish Jr. Nesse cenário, Ragan é o favorito.

A realidade é que tanto Busch quanto Roger Penske não têm muitas opções disponíveis para 2012, visto que a brusca separação aconteceu com a temporada já encerrada. O World of Motorsport, assim, aponta algumas opções do mercado para ajudar essa decisão ser tomada.

Quando a Shell trocou a equipe de Richard Childress pela Penske no início de 2011, a empresa exigiu que o piloto escolhido fosse alguém que tivesse chances de ser campeão. Por isso Kurt Busch deixou o patrocínio da Miller Lite, passando-o para Brad Keselowski, ao invés de apenas mudar o investidor do outro carro.

Na própria Nascar não há muitos pilotos com chances de título, menos ainda estão disponíveis no mercado. Na realidade, além de Kurt Busch, só há um nome livre: Matt Kenseth.

Kenseth tem contrato com a Roush para 2012, mas o piloto perdeu o patrocínio da Crown Royal e, até o momento, a equipe não encontrou um novo investidor. Tirar o piloto da Roush-Fenway seria uma operação bastante cara para os cofres da Shell e da Penske, mas seria a única alternativa de ter alguém comprovadamente competitivo, ao invés de fazer uma aposta em algum jovem piloto.

Pesa contra, o fato de Kenseth ter feito a carreira toda na Roush. Uma elevada multa de rescisão também seria problema, já que não se sabe se a Shell/Penske terá que arcar com a demissão de Kurt Busch.

A outra opção envolveria uma troca com a equipe de Richard Petty. Em 2011, a RPM contou com Marcos Ambrose e AJ Allmendinger. O americano tinha o patrocínio da rede Best Buy, que ainda não acertou a renovação do contrato. Trocar AJ por Kurt Busch – um piloto com chances de vitória – pode ser o impulso necessário para manter o patrocinador. Allmendinger, por sua vez, assumiria o carro 22 da Penske, onde poderá demonstrar a evolução apresentada nos últimos anos em um equipamento melhor.

Apesar de serem soluções bastante interessantes para Kurt Busch e para a Penske, esses dois cenários não devem acontecer. O mais provável é que David Ragan seja o segundo piloto da Penske, enquanto o destino de Kurt Busch ainda é incerto, mas com a RPM aparecendo como uma boa opção. O que pode inviabilizar esse acerto seria um possível poder de veto de Jack Roush em relação a Kurt Busch na RPM.

Roush vende carros e motores para a RPM e é um antigo desafeto de Busch. O piloto competiu para o americano até 2005, mas deixou a equipe brigado mesmo tendo conquistado um título.

P.S.: Se a Penske não tem um substituto dentro da própria equipe acontece por um erro de planejamento nos últimos anos. O time de Roger Penske recebeu uma série de elogios nas últimas temporadas por ter assinado com pilotos promissores como Keselowski, Justin Allgaier, Parker Kligerman e Dakoda Armstrong, que estão em diferentes níveis de desenvolvimento.

Salvo Keselowski, que deu certo, os demais foram esquecidos. Allgaier foi chutado sem patrocinador ao final de 2010, enquanto a equipe manteve um carro na Nationwide para Kese, que sequer marcava pontos na categoria. Kligerman foi queimado na Nationwide logo de cara ao participar de corridas pelas pífias equipes de Brian Keselowski e do Team 42, sendo obrigado a cair para a Truck Series neste ano.

Armstrong, por fim, disputou a ARCA em 2010, então é considerado muito cru ainda. De qualquer forma, ele mal correu neste ano, tendo feito apenas algumas provas pela Thorsport, na Truck Series. Enquanto isso, Sam Hornish foi outro que não teve a preparação certa, embora tenha mostrado evolução em 2011 ao vencer em Phoenix.

Se a escolha é entre os pouco animadores Ragan, Vickers e Reutimann, a Penske fez por merecer.

P.S.2: Uma possibilidade que ganhou força na noite desta quarta-feira é uma troca com a Furniture Row. Regan Smith iria para a Penske, enquanto Kurt Busch assumiria o lugar vago. Todos saíriam ganhando nessa. Smith teria uma equipe competitiva onde poderia brigar por resultados melhores, enquanto a Furniture Row poderia se desenvolver tendo um ex-campeão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s