O sucesso de Felipe Nasr e Daniel Juncadella em Macau

F3 em Macau
No belo Circuito da Guia, 30 carros alinharam para a disputa da tradicional prova de F3. (clique para ampliar a imagem)

A tradicional corrida de Macau da F3 foi realizada, neste domingo, dia 20. A prova, como sempre, é sensacional, pois as características da pista variam de um primeiro setor considerado uma Monza transformada em circuito de rua, para um segundo trecho tão travado nas encostas da cidade que fazem a curva Loews, de Mônaco, parecer brincadeira de criança.

Agora some a isso um bando de garotos entre 17 e 23 anos, loucos para mostrarem serviço e tremendamente inconsequentes. O resultado são disputas fantásticas, batidas e safety-car.

A corrida do domingo teve tudo isso. A primeira volta começou com acidente na largada, depois a corrida chegou a ter quatro carros lado a lado na briga pela liderança e terminou com o carro de segurança mais uma vez sendo acionado.

Quem levou a melhor nisso tudo foi o espanhol Daniel Juncadella – apresentado pelo Leandro Verde como o segundo melhor piloto do Cazaquistão. Tomando emprestado o que o colega nipo-sustentável disse, Juncadella pode ser conhecido por tudo menos pela regularidade nos resultados.

Daniel Juncadella
Até Macau, Daniel Juncadella era um piloto de pouco destaque na carreira. Agora ele é o campeão

Em Macau, no entanto, o catalão venceu justamente por ter sido o mais regular ao longo do final de semana. Com um carro bom, Daniel fez o suficiente para largar em sexto na corrida principal. Depois, se aproveitou dos acidentes de Roberto Merhi e de Valtteri Bottas para avançar posições e, por fim, ultrapassou de uma vez só Felipe Nasr, Marco Wittmann e Yuhi Sekiguchi. Não podemos falar que ele não mereceu, portanto.

Quanto a Nasr, a segunda colocação é um excelente resultado. Ao longo de 2011, bati na tecla de que faltava no desenvolvimento do brasileiro como piloto um grande resultado contra adversários também considerados muito acima da média. Se na F3 Inglesa – principalmente em Spa – esses resultados não vieram tão facilmente, em Macau, o brasileiro mostrou que mesmo não tendo o melhor carro, por muito pouco não conquistou a vitória.

E não adianta dizer que ele só terminou em segundo porque Merhi e Bottas abandonaram. Esses dois, assim como o brasileiro, tiveram as mesmas condições de disputar a vitória na etapa desde os treinos realizados ainda na quinta-feira. Se por determinados motivos eles não conseguiram triunfar, isso não desmerece o resultado de Nasr.

A corrida ainda teve Lucas Foresti terminando na sétima colocação e Pietro Fantin, em 11º. Este último ainda precisa de mais tempo para se desenvolver como piloto, por isso um retorno à F3 Inglesa em 2012 é uma ótima opção, mesmo que ele não tenha chances de ser campeão.

Para que esse meu brilhante comentário não fique sendo algo vago, no vídeo abaixo você pode conferir na íntegra como foi essa sensacional corrida.

P.S.: Se o uso do vácuo em Macau é tão fundamental para ganhar posições, não seria uma ideia melhor para os pilotos trabalharem em parcerias semelhantes às da Nascar em Daytona e Talladega – só que sem haver contato entre os carros, evidentemente – ao invés de brigarem feito loucos por posições?

Um comentário sobre “O sucesso de Felipe Nasr e Daniel Juncadella em Macau

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s