Johnny Cecotto Jr
Pode parecer brincadeira, mas como faz para explicar quem é Johnny Cecotto Jr sem citar o pai do garoto?

Ah, o treino dos novatos da F1! Certamente, um dos dias mais aguardados do ano por… ninguém. Bom, dito isso, vamos ao que interessa. Um dos maiores problemas para quem trabalha com automobilismo é explicar para o público quem são esses caras que vão testar. Afinal, ninguém é obrigado (embora deveria ser) a saber que Adrian Quaife-Hobbs é um piloto inglês que curiosamente fez a carreira na Alemanha ou Alexander Rossi é o único americano com uma superlicença válida.

Identificar quem é quem não é algo tão difícil, na verdade, mas sempre tem alguém para piorar as coisas. Dessa vez foi a Force India. Nesta sexta-feira, dia 11, os indianos anunciaram que Johnny Cecotto Jr testará pela equipe ao lado de Max Chilton.

Cecotto é um caso estranho. Como o nome indica, ele é filho do venezuelano Johnny Cecotto, que correu de moto e na F1 entre o final da década de 1970 e início de 1980. Ele conquistou um título nas 350cc e um terceiro lugar nas 500cc, resultados deveras respeitáveis.

Aí você pensa, se o garoto é filho de Johnny Cecotto só pode ser venezuelano. E se é venezuelano, é bancado pela PDVSA e pelo governo local. Pois é, Junior nasceu em Augsburg, na Alemanha, mas corre com a nacionalidade sul-americana do pai. E ele também não tem suporte da empresa estatal petrolífera.

Por ter nascido na Alemanha, JCJR fez carreira por lá. Correu na F-BMW, na F3 Alemã e na F3 Euro Series. Também excursionou pela Itália, onde correu na antiga F-Master e na F-Renault local no início da carreira. Depois de um honroso terceiro lugar na F3 Alemã, Cecotto Jr foi para a GP2, onde já disputou duas temporadas e somou apenas três pontos em 2010. Em resumo, não é um piloto de lá muito destaque.

Pois bem, não dá para chamar o garoto de venezuelano. Nem de ‘novo Maldonado’, pois não é apoiado pelo governo local nem conseguiu resultados promissores. Também não é possível chamá-lo de ‘campeão’, já que ele nunca ganhou nada na carreira. Então, qual o grande feito de JCJR? Ser filho de Johnny Cecotto.

Por uma coincidência do destino, Johnny Ceccoto foi companheiro de Ayrton Senna na F1, em 1984, quando o brasileiro estreou na categoria pela Toleman. Então qual é o jeito encontrado para explicar quem é JCJR? Chamando-o de filho do ex-companheiro de Senna.

É claro que para o próprio JCJR é chato ficar conhecido dessa forma. Mas sendo sincero, não tem do que chamar ele. Até hoje o garoto não provou que tem a mesma capacidade do pai. Tirando na F3 Alemã, ele jamais conseguiu grandes resultados, então sobra o quê? Eu acho que está certo chamá-lo assim.

Mas é claro que o leitor privilegiado do World of Motorsport agora já sabe tudo do Johnny Cecotto Jr. Se alguém te perguntar, diga que ele é o mais alemão entre os venezuelanos e não é apoiado pela PDVSA.