Carl Edwards contra o Chase

Carl Edwards
Carl Edwards está deixando os chefões da Nascar de cabeça para baixo

A direção da Nascar começa a se preocupar com a possibilidade de Carl Edwards conquistar o título da temporada 2011. Não que a categoria torça pelo hexacampeonato de Jimmie Johnson, pelo contrário, quanto mais rostos novos, melhor, mas o problema é que o piloto da Roush-Fenway venceu apenas uma vez em 2011.

O triunfo de Edwards ocorreu logo na terceira etapa do campeonato, em Las Vegas, disputada no distante mês de março. A partir daí, o piloto se destacou pela regularidade, liderou boa parte do campeonato durante as primeiras 26 provas, mas perdeu a ponta da tabela com resultados fora do top-35 em Pocono, Daytona e Michigan.

No Chase não está sendo diferente, Edwards é o único participante que terminou no TOP 10 nas cinco corridas disputadas até aqui. Dessa forma, assumiu a liderança do campeonato com uma vantagem de cinco pontos para Kevin Harvick. Caso consiga manter o retrospecto, o piloto do carro número 99 pode ser campeão apenas com o triunfo de Vegas.

O problema para a Nascar é que o Chase foi criado em 2004 justamente para diminuir as chances de um piloto ser campeão sem vencer. No anterior à implantação dos playoffs, Matt Kenseth conquistou o título por antecipação tendo vencido apenas uma vez no ano, mas os constantes TOP 5 aliados aos raros abandonos garantiram a taça no final da temporada.

O Chase não foi a única medida de uma Nascar cada vez mais preocupada com a briga pela vitória. Nos últimos anos, a categoria modificou a pontuação dando cada vez mais pontos para o piloto que ganhe a corrida. Além disso, as próprias regras da fase final mudaram para beneficiar as vitórias. Por exemplo, a pontuação após a corrida de Richmond antes era definida respeitando as posições finais da temporada regular, agora é de acordo com o número de vitórias nessas primeiras provas.

Para entrar no Chase, o regulamento também passou a premiar os vencedores. Além dos dez primeiros do campeonato, os dois pilotos que tiverem mais triunfos e ocupem entre a 11ª e a 20ª colocação na tabela de pontos entram na fase final.

Apesar de todas essas mudanças, Edwards está cinco corridas distante de garantir o título com apenas um único triunfo.

O que pode ajudar a Nascar nesse momento é justamente o bom desempenho do piloto nas corridas que faltam. Das cinco provas restantes, Edwards tem grandes chances no Texas, já que os motores da Ford estão rendendo bem em pistas de 1,5 milha. Em 2010, o piloto venceu tanto em Phoenix quanto em Homestead-Miami, portanto, também é possível repetir o triunfo esse ano nesses locais.

A próxima etapa, no entanto, é em Talladega, onde o piloto não costuma ir bem. Por outro lado, entre os Chasers, Brad Keselowski e Kevin Harvick são os favoritos. Vale lembrar, também, que Jimmie Johnson é o atual vencedor da corrida no super-oval do Alabama. Além deles, destaco Matt Kenseth. A corrida de Talladega vai ser interessante para ver como as equipes vão privilegiar os pilotos que brigam pelo campeonato no sistema draft-lock. Já que ter uma parceria competitiva é um requisito obrigatório para a vitória.

5 comentários sobre “Carl Edwards contra o Chase

  1. Eu acredito que a Nascar pode se dar ao luxo de fazer o Chase porque tem um campeonato de 36 corridas no ano. Assim, nas 26 primeiras o objetivo é se classificar para o chase e teoricamente o piloto pode se arriscar mais depois de conseguir uma margem na pontuação. Foi assim que Kyle Busch e Harvick conseguiram suas vitórias na primeira fase.

    No chase, são 10 corridas que definem o campeão, eu esperava que a regularidade fosse o fator mais decisivo mesmo. 1 abandono geralmente complica muito e 2 abandonos, o piloto já pode desistir do campeonato. Pra mim o regulamento promove mais briga pela vitória na temporada regular e não no chase.

    A Stock Car que é ridícula. 12 corridas é muito pouco pra dividir o campeonato em temporada regular e chase. Além disso, surge a aberração de se descartar o pior resultado dos playoffs. Ou seja o piloto pode fazer um campeonato de mediano, se classificar na ultima vaga do chase, vencer duas corridas na fase final e ser campeão.

    Curtir

  2. Claro, justiça deve ser necessariamente suplantada pelo entretenimento a qualquer custo! Viva o irracionalismo de fórmulas mirabolantes e absurdas para atrair o populacho. Realmente, é patético.

    Curtir

  3. A NASCAR é um show e é um esporte profissional e por isso pouco importa pra ela se o piloto campeão ganhou o titulo com justiça ou não, o importante é o entretenimento do publico e isso eles conseguiram com o CHASE que na minha opinião é ótimo, porque sem publico nenhum esporte profissional sobrevive, temos que para com essa mania de falar que os campeonatos profissionais tenham que ser justos.

    Curtir

  4. O chase é uma anomalia esportiva para artificializar a competição. E parece que a organização da categoria consegue tornar as coisas ainda mais patéticas, ao gerar uma obsessão pela vitória. E, como sempre, há os patéticos colonizados que insistem em copiar soluções estapafúrdias.
    A tendência de negar a capacidade dos pilotos de serem constantes e, por isso mesmo, competentes, dá origem a uma forma injusta de decidir o título.
    E pouco me importa que a Nascar seja um sucesso de público.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s