A reconstrução do Kentucky

Kentucky
Quem foi ao Kentucky na etapa da Nascar, em julho, teve dificuldades para chegar à pista

Em 2011, a Sprint Cup realizou pela primeira vez uma etapa no Kentucky, no início do mês de julho. A corrida foi bem chata, tendo poucas disputas pela liderança, mas o que marcou aquele final de semana foi um congestionamento monstruoso que impediu boa parte dos fãs de chegar à pista.

Na ocasião, a pista do Kentucky – acostumada a eventos bem menores como a Nationwide e a Indy – não estava preparada para receber um público da Sprint Cup, que costuma lotar os circuitos. Assim, não tinha vaga de estacionamento para todo mundo, o que obrigou muita gente a improvisar na hora de parar o carro para assistir à prova.

Essa improvisação bloqueou algumas vias e criou o congestionamento monstruoso, que impediu mais e mais gente de chegar perto do local da corrida. Após a etapa, a SMI, que controla as pita do Kentucky, havia anunciado um esquema de reembolso dos torcedores, além de medidas para evitar os problemas em 2012.

Nesta semana, a SMI começou as obras para a próxima etapa na Nascar no local. A empresa, pasme, anunciou que vai investir US$ 7,5 milhões em melhorias estruturais.

A primeira medida foi a compra de um terreno de 143 acres usado para plantação de tabaco, que será transformado em estacionamento. A estimativa é a criação de cerca de 30 mil vagas no local. Além da pavimentação do terreno, a empresa também será responsável para instalar toda a infra-estrutura do estacionamento, como as câmeras de segurança, por exemplo.

Mas as medidas não pararam por aí. Ao lado do governo local, que vai investir US$ 3,6 milhões, as estradas que levam ao circuito do Kentucky ganharão faixas extras, além de faixas preferenciais para quem está se dirigido à pista. Além disso, haverá a criação de um túnel para os pedestres irem dos estacionamentos ao circuito.

Bom, enquanto isso a gente viu o tempo que levou para fazer uma simples chicane em uma determinada pista do calendário da F1.

P.S.: como o assunto desse post foi uma das pistas da Nascar, vale um detalhe curioso. Por conta dos recentes terremotos na Costa Leste dos Estados Unidos e do furacão Irene, os organizadores das próximas etapas da Nascar nas áreas atingidas, como Richmond, New Hampshire e Dover, precisaram fazer verificações às pressas para confirmar à categoria que as corridas podem ser realizadas. Todas as pistas foram aprovadas, mas os relatórios eram como ‘a pista está debaixo d’água e não tem luz, mas a corrida pode ser realizada’. Obviamente, ninguém vai correr submerso, mas o importante era que nenhum dano foi causado na estrutura dos locais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s