F1 2011 na Bélgica

Spa-Francorchamps
Spa-Francorchamps é o local do início da segunda metade da temporada 2011 da F1

A F1 chega à Bélgica para a disputa da 12ª etapa, que marca o início da segunda metade da temporada 2011 após quatro semanas de férias de verão. Durante essa pausa, não aconteceu muita coisa. Sebastian Vettel foi fazer wakeboard com Bernie Ecclestone, Tony Fernandes comprou um time de futebol e Michael Schumacher comemorou 20 anos de F1.

A grande história veio da Renault, que terá Bruno Senna no GP da Bélgica. As chances de o brasileiro retornar à F1 iniciaram no início da semana, quando Eddie Jordan – agora repórter da BBC – cravou a substituição de Nick Heidfeld pelo brasileiro. No dia seguinte, os representantes do alemão disseram que caso o piloto perdesse a vaga ele poderia acionar a justiça. E aí o impasse foi criado.

Apesar de a confirmação oficial só ter vindo no meio da tarde desta quarta-feira em um curto comunicado, a Renault, sim, queria colocar Bruno Senna para correr na Bélgica desde o início. Caso eles não tivessem esse interesse e fosse apenas invenção de Jordan, alguém (Bruno, Heidfeld, Eric Boullier, Gerard Lopez) teria logo desmentido a história. Como o impasse durou bastante tempo, significa que a equipe francesa esperou o momento certo para fazer o anúncio.

Aí entram duas questões: a rescisão de Heidfeld e a chegada do brasileiro. Pode ser que o impasse tenha sido criado pelo contrato do alemão prever – e evitar – dispensas no meio da temporada. Portanto, seria um problema jurídico que o time anglo-francês precisou contornar. No caso da vinda de Senna, um patrocinador pode estar esperando uma entrevista coletiva ou um evento promocional para confirmar o acordo. Por isso, ninguém tinha falado nada até agora. Evidentemente, com Bruno chegando à Bélgica e Heidfeld não, a Renault não pôde segurar o suspense por muito tempo.

Mesmo com  a confirmação, a perspectiva de Senna em Spa não é das melhores. Embora a Renault tenha pontuado de forma consistente durante o ano, o brasileiro terá concorrência de Mercedes, Force India, Toro Rosso e Sauber – além das equipes grandes – para chegar entre os dez primeiros. Ainda que Bruno não seja pior piloto que os das equipes citadas, certamente está menos adaptado ao carro e ao time. O brasileiro pode torcer, por exemplo, para que chova. Aí com uma boa atuação e alguns abandonos pode até terminar relativamente bem colocado. Do contrário, imaginar que ele chegue ao Q3 e pontue é uma expectativa muito otimist e deveras complicada.

Sem o mesmo drama que a escolha do companheiro de Vitaly Petrov, as equipes grandes entram na segunda metade da temporada da F1 com o objetivo de parar Sebastian Vettel e a Red Bull. Em Spa-Francorchamps, o time austríaco não é o favorito, já que a pista exige pouca downforce e o carro rubro-taurino é construído justamente para maximizar essa característica.

Assim, tanto a Bélgica quanto a Itália são duas boas etapas para que os demais times tentem uma tardia reação na tabela de pontos. Aliás, vale lembrar que a Red Bull não vence faz quatro etapas. Dessa maneira, McLaren e Ferrari são as favoritas em Spa-Francorchamps, com o duelo devendo ser entre Lewis Hamilton e Fernando Alonso, caso não chova.

No meio do pelotão, a Force India conquistou o melhor resultado da história há dois anos, quando Giancarlo Fisichella, sem KERS, foi pole-position e terminou a corrida em segundo. O carro da equipe indiana teve uma considerável evolução nas últimas provas, sendo bastante rápido em velocidade final de reta, o que é bastante importante na pista belga.

Entre as equipes do fim do grid, a Hispania aposta nas duas próximas corridas para conseguir melhores resultados. O time espanhol, na realidade, enfrenta uma realidade diferente da Red Bull. Enquanto os rubro-taurinos têm um equipamento baseado em downforce, o da HRT é marcado pela sua completa falta. Em uma pista que exige menos, portanto, a chance de eles se aproximarem de Virgin e Lotus é um pouco maior.

Com ou sem Bruno Senna, o meu palpite furado para a corrida em Spa-Francorchamps é Hamilton, Alonso e Button.

Um comentário sobre “F1 2011 na Bélgica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s