Nico Hulkenberg F1 2012 Williams
Nico Hulkenberg foi o responsável pelo maior triunfo recente da Williams: a pole-position no GP do Brasil de 2010

O site da versão americana do Speed Channel – que não se chama Fox Sports – afirmou que a Williams estuda substituir Rubens Barrichello por Adrian Sutil ou Nico Hulkenberg na próxima temporada da F1.

Eu não quero me estender nos motivos que podem ter levado a Williams a tomar essa decisão, mas, para não deixar passar, caso a substituição realmente aconteça, embora eu ache que seja um tremendo erro do time inglês, deve pesar o péssimo desempenho em 2011, quando a equipe só somou quatro pontos até agora, todos com Barrichello.

Só que o piloto foi contratado em 2010 para liderar a equipe, que deve ter seguido algumas sugestões dele na hora de construir o novo modelo. Além disso, deve pesar que Barrichello não é um piloto tão barato. Eu acho besteira dispensar – como foi com Hulk no último ano –, mas não sou eu que tomo essa decisão.

Voltando aos dois alemães, eu descartaria Sutil. O trunfo dele é a experiência de quatro temporadas na F1, aliada ao fato de cometer poucos erros. Fora isso, Adrian tem alguns patrocinadores que injetam dinheiro na Force India e podem fazer o mesmo na Williams. O problema aqui é que o piloto está muito queimado (ops) com a Gravity. Depois de espancar Eric Lux com um copo, os investidores não querem nem ouvir o nome dele.

Qual o problema nisso? A Gravity, que é uma empresa nos mesmos moldes da Traffic no futebol, conta com uma extensa carta de pilotos começando por promessas como Kevin Korjus, passando por Christian Vietoris e chegando a Romain Grosjean. O francês deve conquistar o título da GP2 neste ano e vai voltar à F1 no ano que vem. A Renault o quer, mas para isso precisa se livrar de Vitaly Petrov, que tem contrato.

Uma opção seria emprestar Romain para Williams em 2012 – o que também serviria para resolver a desconfiança em relação à primeira passagem do francês pela F1 –, já que os ingleses terão motor Renault, e depois avaliar o que fazer com ele, dependendo do desempenho que tiver. Aí não é bom para a Williams fazer inimizade com a Gravity ao levar Sutil.

Nico Hulkenberg
Alemão, cara de mau ao comemorar, indicador em riste. Alguma dúvida de quem será o escolhido?

A outra opção é Nico Hulkenberg, que ganha em qualquer situação. Se a Williams escolher Sutil, adivinha quem será o titular da Force India em 2012? Pois é, Hulk. Com isso, ele vai disputar de igual para igual com Paul Di Resta (os dois estarão no segundo ano na categoria) uma possível vaga de titular na Mercedes em 2013 – caso o mundo não acabe antes – com a nova aposentadoria de Schumacher.

Por outro lado, Hulk ganha a chance de voltar à Williams, com um carro muito mais competitivo do que teve à disposição em 2010, graças aos motores Renault. Vale lembrar que a estrutura do time naquele ano foi construída pensando no desenvolvimento do alemão como um futuro campeão (não que Barrichello tenha funcionado como um mentor, o brasileiro era o melhor nome no mercado, seria burrice de qualquer equipe não contratá-lo. De quebra, serviu como um ótimo parâmetro para o então novato). A dispensa no final do ano se deu por uma emergência de falta de dinheiro.

De qualquer forma, sem a PDVSA a Williams ainda está sem dinheiro e se Nico voltar, claramente o time inglês demonstra que se arrependeu em manter Barrichello.

Ainda assim, caso o alemão menor seja o escolhido, a equipe de Grove estará colocando o carro de 2012, com os potentes motores Renault, na mão de dois pilotos muito rápidos, mas que não tiveram tempo para mostrar nada na F1: Pastor Maldonado e Hulkenberg. Parece ser um risco muito grande deixar a responsabilidade para dois segundanistas. Apesar disso, não é algo novo para os ingleses. Eles apostaram em David Coulthard no pós-Senna e, recentemente, tiveram Nico Rosberg/Kazuki Nakajima como dupla, embora o alemão já tivesse alguma experiência.

A verdade é que se a escolha da Williams se limitar a esses dois pilotos, ela pouca importa. Hulk já é o vencedor.