JR Hildebrand
JR Hildebrand teve uma surpresa quando chegou na reunião de emergência da Panther

Desde a saída de Sam Hornish ao final de 2003, a Panther vive uma espécie de crise na Indy. Desde então, a equipe americana, praticamente única remanescente da IRL, trocou de pilotos uma série de vezes e só conseguiu alguma estabilidade financeira desde a saída da Pennzoil ao acertar com a National Guard.

Para 2011, a equipe tentou uma tática tão diferente quanto arriscada. Para o lugar de Dan Wheldon, que já foi campeão da categoria, o time trouxe o novato JR Hildebrand, que desde o título da Indy Lights pilotara apenas algumas vezes tanto na F1 quanto na Indy.

O resultado creio que todo mundo já sabe. Hildebrand assumiu a liderança nas voltas finais das 500 Milhas de Indianápolis, liderou até o último giro e bateu no muro da reta de chegada, destruindo a parte direita do carro, entregando a vitória ironicamente a Dan Wheldon e mantendo o jejum de conquistas do time americano.

Talvez fosse até natural pensar que John Barnes, dono do time, pudesse ter ficado chateado com o desempenho do novato. Aliás, até Hildebrand deve ter pensado isso quando foi intimado a uma reunião emergencial de teor altamente secreto nesta semana na sede da Panther. Ao lado dos engenheiros, JR foi chamado à sala do chefão da equipe apenas tendo ouvido que Barnes não estava de bom humor.

Evidentemente, Barnes estava rindo a toa. Mesmo com a falta de resultados em comparação à época de Sam Hornish, o dirigente percebeu a evolução do time nos últimos anos. Hildebrand conquistou 4 TOP 10 até o momento na temporada de estreante na Indy. Com folga o piloto lidera a disputa para ser o novato do ano contra o eterno rival James Hinchcliffe, da Newman/Haas e, além disso, o garoto foi responsável para atrair uma série de novos torcedores para a Panther – e recrutas para a Guarda Nacional – depois do desempenho em Indianápolis.

Chevelle de JR Hildebrand
E então JR Hildebrand ganhou um novo carro para competir no restante da temporada 2011 da Indy (ou algo assim)

Para comemorar esse renascimento, Barnes enganou JR Hildebrand ao dizer que estava de bom humor e, na realidade, ofereceu uma pilotagem de exibição em um dos carros clássicos da equipe que fica exposto no hall da fábrica. Só que esse John Barnes é realmente um troll por natureza. Mais uma vez ele mentiu ao piloto americano.

Na realidade, não tinha nada de exibição. Sabendo da paixão de Hildebrand por carros antigos, Barnes deu ao funcionário um Chevelle 396 de 1966. O piloto comemorou a nova conquista e, talvez, finalmente conseguiu relaxar desde a batida na última volta de Indianápolis.