Felipe Nasr
Mesmo sem ser o piloto dominante, Felipe Nasr conseguiu mais uma atuação digna de campeonato

Felipe Nasr está caminhando a passos largos rumo ao título da F3 Inglesa. Após a etapa de Nurburgring, realizada entre os dias 2 e 3 de julho, o brasileiro detém uma vantagem de 75 pontos no campeonato em relação ao companheiro Lucas Foresti.

O segredo do brasileiro da Carlin está sendo uma consistência impressionante nos resultados – já vista na F-BMW –, se aproveitando também dos erros dos adversários.

Na etapa alemã, por exemplo, Nasr não foi o piloto mais rápido na pista. Essa tarefa coube a Kevin Magnussen, que não só conquistou a pole-position para as duas corridas da etapa como também venceu a primeira prova. O dinamarquês, porém, só conseguiu o sexto posto na segunda corrida, além de ter um problema mecânico nas últimas voltas do embate final.

Assim, Magnussen somou 34 pontos durante o final de semana, enquanto o brasileiro, sem o melhor carro, levou 42. E olha que o filho de Jan Magnussen já está praticamente descartado da briga pelo título. O garoto chegou à Alemanha 93 pontos atrás do companheiro de equipe – agora está 101 – sendo que a pontuação máxima por etapa são 54 pontos.

Felipe ainda teve outra vantagem em Nurburgring: a presença de Antonio Félix da Costa e Pedro Nunes. Como esses dois não disputam o campeonato, mas não entraram como convidados, eles pontuaram normalmente. Isto é, eles roubaram pontos preciosos em relação aos competidores regulares. Na corrida do domingo, por exemplo, Nasr venceu e Félix da Costa foi o segundo. O brasileiro, então, abriu oito pontos em relação a Carlos Huertas, o terceiro, e não somente os cinco que separam os dois primeiros.

Kevin Magnussen
Quando Kevin Magnussen teve problemas, Felipe Nasr estava no lugar certo para herdar a vitória

Como vimos, Nasr somou 42 pontos ante a 34 de Magnussen, que não está na briga pelo título. Contra os rivais diretos, o desempenho do brasileiro foi ainda mais avassalador. Lucas Foresti, o vice-líder, marcou 11; Carlos Huertas, 12 e Jazeman Jaafar 16. Talvez você esteja se perguntando para onde foram os demais pontos, já mostro: Félix da Costa estreou somando 26 – aí que eu falo dele ter roubado pontos importantes –, Rupert Svendsen-Cook obteve 18, enquanto Harry Ticknell marcou 17. Jack Harvery levou 16 e William Buller, 12.

Talvez o grande elogio a Felipe Nasr tenha sido a capacidade de superar um resultado ruim. O brasileiro conquistou somente a quarta colocação no grid de largada para a segunda corrida depois de deter a pole provisória no início do treino classificatório. Ainda assim, o piloto conseguiu reverter a fraca colocação no grid de largada e transformá-la em vitória, ainda que por conta da falha de Magnussen, mas nada que alterasse o panorama geral da pontuação. Outro exemplo foi a segunda corrida. Mesmo largando em sétimo por conta do grid invertido, Felipe conseguiu terminar a prova na quarta colocação.

Com esse forte desempenho em Nurburgring e tendo pela frente duas etapas onde é o favorito – Spa-Francorchamps e Rockingham – parece que a questão agora é quando o brasileiro vai conquistar matematicamente o campeonato e não mais se ele será campeão.

Apesar de ter falado de Spa e Rockingham acima, a próxima etapa da F3 Inglesa é nos dias 16 e 17 de julho em Paul Ricard. Só depois que a categoria viaja para a Bélgica.

Apesar de ser um post sobre o resultado de Felipe Nasr, vale ressaltar a grande vitória de Jack Harvey na segunda corrida. O britânico é um piloto que tem uma adaptação muito demorada por onde passa, mas é dono de um progresso impressionante. Nas primeiras doze corridas, ele somou oito pontos, na Alemanha marcou 16. Harvey pode ser um dos favoritos ao título de 2012 caso ele continue na categoria.

A classificação completa da F3 Inglesa você pode ver clicando aqui.