Frederic Vervisch Team Luxemburg
O veloz Frederic Vervisch será o piloto do Team Luxemburgo na temporada 2011 da F-Superleague

A temporada 2011 da F-Superleague começou neste sábado, dia 4, na pista holandesa de Assen, com 14 participantes. Ao contrário dos anos anteriores, quando o foco eram os times de futebol, esse ano a disputa será entre países e apenas seis equipes do esporte estão presentes.

Há uma discussão geral para saber se a ideia de Superleague em fazer uma disputa entre países acabou afugentando as equipes de futebol – que perderam espaço de exposição –, ou uma eventual debandada dos times forçou a categoria a apostar nos países para não ter um grid tão curto. Embora a ideia de um desmanche geral, motivado pelo fim de contrato com a patrocinadora Sonangol, seja a mais forte, esse não será o assunto do post.

O motivo de tudo isso é para elogiar a escolha de um determinado representante europeu. Como a categoria está sofrendo para conseguir a adesão dos principais pólos mundiais, ela está pegando quem se mostrar interessado. Por isso, teremos times relevantes como Nova Zelândia e China, que desempenham um papel fundamental no cenário futebolístico e automobilístico mundial.

Mas claro que essas escolhas parecem bem normais perto do pequeno país de Luxemburgo.

Vanderlei Luxemburgo

Não esse Luxemburgo. Falo do pequeno pedaço de terra próximo a Bélgica e Holanda, que só conhecemos por ter dado nome a um técnico do futebol brasileiro GP de F1 na década de 90 e formar o BENELUX, ancestral da União Europeia.

Mas sejamos sinceros. Encaixou perfeitamente na F-Superleague, não acha? Quer dizer, o Flamengo até ano passado tinha um time na categoria, o Corinthians até cinco dias atrás, também. Só que Vanderlei Luxemburgo superou os dois. Mesmo trabalhando no rubro-negro carioca, ele é o primeiro treinador a dar nome a uma equipe do certame.

Para ficar ainda melhor, só faltou Frederic Vervisch, piloto da seleção Luxemburguesa, ter falado em desenvolver um projeto de longo prazo na F-Superleague. Aí a situação ia estar completa.

Só que para azar do belga, caso o time realmente fosse comandado por Vanderlei, creio que ele não teria chances no cockpit. Imagino que o selecionador brasileiro poderia escolher alguém mais capacitado como Maldonado, Alonso, Pique ou Senna. Evidentemente, falo do volante do Flamengo, além de Xabi Alonso, Pique (o zagueiro do Barcelona, que pega a Shakira) e Marcos Senna. Ah sim, e, é claro, o time teria suporte de Williams, grande roubador de bola do time carioca.

Com Luxemburgos devidamente apresentados, vale ver quem vai chegar ao final do ano na frente. Vervisch? Flamengo? Vanderlei? Nenhum?