Felipe Massa
Felipe Massa precisa vencer retrospecto negativo para dar a volta por cima na temporada 2011 da F1

O futuro de Felipe Massa na Ferrari deve ser decidido nas próximas quatro etapas da categoria. O brasileiro, que ainda tem um ano de contrato com o time italiano, é constantemente envolvido em especulações para deixar o time.

Em Mônaco, Massa completou três corridas seguidas sem pontuar. O brasileiro finalizou em 11º o GP da Turquia – quando viveu um inferno astral nos boxes – e abandonou o GP de Espanha e a prova no Principado, por problemas no câmbio e por um acidente, respectivamente.

Assim, nada melhor que as próximas corridas para que Felipe possa se recuperar no campeonato, onde ocupa uma péssima oitava colocação com cerca de 1/3 dos 69 pontos conquistados pelo companheiro Fernando Alonso.

Entretanto, os próximos GPs não são muito animadores para o brasileiro. A última vez em que Felipe havia deixado de pontuar por três corridas seguidas tinha sido entre os GPs do Canadá e da Inglaterra de 2010. E adivinhe quais são as próximas três etapas da F1? É claro que esta é uma previsão pessimista e Massa tem todas as condições de buscar bons resultados e dar a volta por cima.

Outro ponto positivo é que o GP da Alemanha é a etapa logo em seguida dessa fila e Felipe sempre andou bem nessa prova, seja em Hockenheimring, seja em Nurburgring. Como o final da temporada europeia da F1 coincidindo com as férias de verão, é positivo para o brasileiro estar em alta na hora de negociar a renovação com a Ferrari ou iniciar conversas com outros times.

Até porque, Felipe Massa vive uma fase semelhante a atravessada por Heikki Kovalainen na McLaren. Entre 2008 e 2009, o finlandês apenas em raras oportunidades conseguiu acompanhar o ritmo dos carros da Ferrari, McLaren (e até mesmo BMW Sauber, Alonso e Vettel) e acabou sendo substituído por Jenson Button. Curiosamente, o último boato sobre Maranello é de um interesse do time italiano justamente pelo inglês campeão do mundo de 2009.

Kovalainen, como todos sabem, só conseguiu se manter na categoria ao assinar contrato com a então novata Lotus. Embora a estadia na equipe malaia tenha feito o finlandês ressurgir para a F1 como um dos poucos (para não dizer único) destaques das novatas, Kovalainen sequer conseguiu pontuar nesse ano e meio. Uma realidade assim está bem longe dos planos de Felipe.