Nick Heidfeld e Robert Kubica
O maior problema para Nick Heidfeld, na Renault, é a sombra de Robert Kubica

Demorou seis corridas ou três meses, mas a Renault começou a perceber que Nick Heidfeld não é Robert Kubica. O alemão, escolhido a dedo para substituir o polonês, que se recupera de um grave acidente em um rali disputado no início do ano, já recebe as primeiras críticas pelo trabalho na equipe anglo-francesa.

Oficialmente, a desconfiança da equipe de Eric Boullier em relação a Heidfeld se dá pelo fato de o melhor resultado obtido pelo alemão nas quatro últimas etapas ter sido um sétimo lugar no GP da Turquia. Muito pouco para quem havia brigado pelo pódio nas primeiras corridas do ano.

Na realidade, o que acontece dentro da Renault é uma conta bem simples. Todas as vezes que Nick comete um erro ou termina a corrida lá atrás, os dirigentes pensam ‘o que Kubica teria feito nessa prova?’ Assim, Heidfeld não só precisa vencer os 23 concorrentes na pista, como também superar o virtual desempenho da sombra Robert Kubica.

A situação, claro, ficou pior após o GP de Mônaco, quando o alemão terminou na oitava colocação depois de largar em 16º. A Renault tinha uma grande expectativa para essa prova pelo fato de o polonês ter sido o piloto dominante na edição de 2010. Então, se houvesse uma pista em que eles poderiam vencer era no Principado.

O que a equipe anglo-francesa precisa entender o quanto antes é que o alemão não é um dublê do polonês. Heidfeld era o melhor nome disponível no mercado para substituir um Kubica acidentado, então, criar uma pressão em cima do alemão não parece a melhor escolha, afinal, não há uma opção para sucedê-lo.

Enquanto Robert Kubica é conhecido por ser extremamente arrojado em algumas provas, mas sumido em outras, Heidfeld é dono de uma consistência impressionante. Assim, enquanto o polonês brilha por levar carros mais fracos à briga pela vitória, ao mesmo tempo em que faz provas extremamente apagadas, o alemão anda naquele mesmo ritmo todos os dias e ninguém percebe. Só que nos três anos em que foram companheiros de BMW Sauber, Heidfeld surrou o parceiro em dois. Mesmo sem brilho, o alemão provou que é uma boa escolha a longo prazo.

A favor de Nick ainda pesa o fato de a própria Renault ter caído nesse início de temporada. Depois dos dois pódios conquistados nas duas primeiras corridas, o melhor resultado do time nas quatro provas seguintes foi justamente o sétimo lugar do alemão. Isso quer dizer que Petrov também não está conseguindo fazer um bom trabalho, o que corrobora para mostrar que as críticas ao tedesco vieram cedo demais.

No entanto, a Renault tem todo direito de exigir que Heidfeld tenha um desempenho melhor nos treinos classificatórios, o que foi apontado pela equipe como causa dos fracos resultados. A única coisa é que a melhor maneira de dar o recado ao alemão talvez não fosse via imprensa. Enquanto Nick vive nessa panela de pressão, ele ocupa a sexta posição na tabela de pontos, superando a dupla de Mercedes e Felipe Massa.