F3 Classic
Carros de Riccardo Patrese e Alain Prost correndo em Mônaco (todas as fotos estão em alta, basta clicar para ampliar)

Umas das primeiras coisas que a gente aprende quando começa a se interessar por algo é que, por mais que estude, pesquise e leia sobre, nunca vai saber tudo sobre tal assunto. Com automobilismo não é diferente. Com certa modéstia, eu me acho acho que conhece bastante sobre o tema. Os diversos assuntos abordados aqui pelo blog com riqueza de detalhes provam isso. Mas todo dia tem novidade. Pois então, perdoem a minha ignorância, mas descobri, por acaso, que existe um campeonato de carros clássico de F3.

Caso você compartilhe da mesma surpresa que eu quanto a este campeonato, explico. A F3 Classic é um torneio que acontece na França, em que alguns dublês de piloto pegam máquinas que marcaram época na categoria e correrm um contra o outro em pistas como Mônaco, Pau, Spa-Francorchamps, Magny-Cours e Brand Hatch. Então, no caso, o cara com o carro do Alain Prost – o original intacto, sendo que nem mesmo o nome do piloto foi trocado – corre contra o carro do Senna, do Patrese e por aí vai.

O campeonato existe desde 1998 quando foi criado por Michael Delannoy e nos primeiros dois anos era disputado por corridas anuais, acontecendo em um só final de semana. Desde 2000, porém, o campeonato cresceu e se profissionalizou. O aspecto amador ficou para trás e o certame ganhou um regulamento técnico em que divide os carros por potência. De uma forma geral, os carros de F3 competem entre si, enquanto os de F-Renault e de outros campeonatos ficam em divisões separadas.

Falo hoje de F3 Classic porque neste final de semana a F3 Internacional disputou em Pau a terceira corrida (vencida por Marco Wittmann) do fraco campeonato 2011. Um dos campeonatos preliminares foi justamente a competição entre carros clássicos. E o vencedor em questão não foi nem o dublê de Senna, tampouco o de Prost. Um piloto italiano com o March usado por Teo Fabi triunfou ante a outros 31 adversários (!). O dobro de inscritos da F3 Internacional para se ter uma ideia.

É bem legal ver que o campeonato clássico de F3 seja um sucesso, já que esses certames para carros históricos não costumam ter vida longa. A F-Masters, por exemplo, ficou pouco mais de uma temporada no auge antes de sumir completamente, enquanto a EuroBoos, que prometia reunir carros da F3000, GP2, World Series e outros campeonatos não tão antigos, precisou ser cancelada por falta de participantes depois que apenas três ou quatro pessoas – incluindo Andy Zuber, que esteve na GP2 até recentemente – se inscreviam com alguns carros mais atualizados.