Nelsinho Piquet
Nelsinho Piquet terminou em segundo em Nashville

Para quem só bater o olho no título desse post vai parecer um tanto óbvio. Afinal, Nelsinho Piquet terminou em segundo a etapa de Nashville da Nascar Truck Series, na última sexta-feira (22) e, evidentemente, não ganhou a corrida. Só que por algum motivo, tem gente querendo apressar as coisas e já vem com papo de que o ex-piloto só não ganhou a prova porque o vencedor foi Kyle Busch, que não soma pontos na divisão de acesso.

Isso é verdade. O brasileiro só não venceu a corrida porque alguém chegou na frente dele. Parece óbvio né? Nesse caso, não adianta argumentar que Busch é um piloto da Sprint Cup então Nelsinho foi o vencedor moral e etc. O americano vai correr em 15 das 25 etapas da Truck Series este ano. Quer dizer que apenas nas outras Piquet tem chance de vencer? E nessas 15 vamos ter sempre esse mesmo papo de piloto mais merecedor? Besteira tudo isso. Quem quer ganhar corrida não pode escolher adversário. Que é uma covardia o que Kyle Busch faz nas divisões de acesso, não há dúvidas, mas a Nascar permite, então, agora, que vençam ele.

Apenas para desmentir as coisas. Nelsinho não ganhou em Nashville. Independente do que acontecer, ele jamais será declarado o vencedor da corrida. Ele não subiu ao pódio justamente porque na Nascar não tem pódio. Ele não ganhou os pontos do vencedor. Kyle Busch não soma pontos e o brasileiro ganhou normalmente a pontuação do segundo lugar.

Aliás, seria bom para Piquet se ele tivesse ganhado os quatro pontos a mais pela vitória. Antes da etapa de Nashville, ele sequer tinha posicionamento garantido na corrida, porque o carro estava fora dos 25 melhores no campeonato de donos de equipe. Com o segundo lugar, ele ganhou umas dez posições nesse campeonato e está certo em Dover. De qualquer forma, para o brasileiro, é melhor se afastar o quanto antes dessa posição de corte. Afinal, sem posicionamento garantido, um problema mecânico no treino é o suficiente para tirá-lo  do final de semana.

Mas nem tudo é crítica para o desempenho de Nelsinho. É evidente que ele mandou bem na corrida, caso contrário não teria chegado em segundo. Durante a prova, o piloto da KHI andou com bastante desenvoltura na parte de cima da pista de Nashville, onde não é tão simples fazer isso. É o oposto do comportamento dos novatos, que optam pela linha interna, mais segura, mas também mais lenta. E essa foi uma das chaves para o melhor resultado dele na carreira.

Outro ponto a destacar foi a maturidade do piloto. Nelsinho não ficou ansioso em fazer ultrapassagens, o que normalmente causa acidentes. Pelo contrário, foi passando os rivais com bastante naturalidade. É o oposto do que acontece com Cole Whitt, por exemplo. O piloto da Red Bull é mais rápido que o brasileiro, mas acaba se envolvendo em toques bobos durante as corridas por uma certa afobação em ganhar posições.

Esses pontos fortes, mostram que Piquet está se adaptando bem aos circuitos mais técnicos da Nascar, mas isso não esconde o fato de ele ainda estar muito mal em ovais curtos. Nas primeiras cinco etapas do ano, o brasileiro se envolveu em acidentes em três. É claro que um bom resultado como esse ajuda a ganhar confiança no restante do campeonato, mas ainda há muitos pontos em que o piloto precisa melhorar. O próprio Piquet falou na entrevista pós-corrida que para ele o campeonato começa agora. É muito bom ver a motivação do brasileiro, mas paras os outros caras, o ano teve início faz dois meses ou cinco etapas. A pontuação vale para todas as provas, assim como os critérios de premiação.

Apesar das críticas, Piquet teve um grande resultado e torci para caramba por ele no fim da prova. Repito, melhor que o resultado é ver que nos fundamentos de uma corrida (como o traçado utilizado, relargadas, paradas nos boxes, etc) o desempenho do brasileiro foi impecável. Tá aí algo mais útil para se espelhar do que o blábláblá de vencedor moral e essas coisas.

A próxima etapa da Nascar é em Richmond. Já falei semana passada, mas digo de novo. Vai ser uma batalha entre pilotos da Gibbs contra pilotos da Hendrick, com Kevin Harvick e a trupe da RCR correndo por fora. Na Nationwide, a prova deve ser muito legal porque não vai ter Kyle Busch nem Joey Logano. Assim, aposto em vitória de Carl Edwards, com Denny Hamlin e Brad Keselowski se tirando da corrida.