Pietro Fantin
Pietro Fantin é um dos brasileiros na temporada 2011 da F3 Inglesa

Pronto. A pré-temporada da F3 Inglesa terminou nesta semana, em Snetterton, com os pilotos podendo testar na nova configuração da pista – chamada de 300R – que recebe a terceira etapa do campeonato.

Mais importante que conhecer o traçado de uma das rodadas foi poder acertar o carro para toda a temporada. Afinal, na F3 Inglesa não há treinos livres nos finais de semana de corrida. Isso significa que os pilotos chegam às pistas e já caem no treino classificatório. Por isso a importância da pré-temporada e dos treinos coletivos ao longo do ano.

Pelo que pode ser visto até agora, o ano parece ser muito bom para os brasileiros. Tirando Felipe Nasr e Yann Cunha, os demais foram sempre mais velozes que os companheiros de equipe, o que é algo muito positivo para um início de campeonato.

Começando pelo próprio Nasr, a situação dele é um pouco diferente das dos compatriotas. O brasiliense compete pela Carlin, principal equipe do campeonato, que inscreve nada menos que seis carros na categoria – fora os três da GP3, os dois da GP2 e da World Series. Assim, ficar atrás dos companheiros não é algo tão grave.

 

Felipe Nasr
Felipe Nasr aposta na consistência para levar o título de 2011

Nasr liderou os treinos em Rockingham, foi superado por Carlos Huertas em Oulton e voltou a ficar atrás do colombiano e também de Kevin Magnussen em Snetterton. Apesar de não ter mantido o desempenho dominante, o brasileiro ficou sempre entre os primeiros em todas as sessões que participou.

Em 2009, foi justamente na consistência que Felipe se tornou campeão da F-BMW europeia. Então correndo pela Eurointernational, o brasileiro não foi o piloto que mais venceu ao longo do ano, mas terminou todas as etapas, menos duas, entre os dois primeiros. Repetir o desempenho pode significar título levando em conta que o rendimento dos carros da Carlin não é tão diferente.

Yann Cunha, por sua vez, não tem conseguido fazer bons tempos. Pode ser dificuldade de adaptação ou até mesmo alguma preferência da equipe pelo companheiro do brasileiro, Menasheh Idafar. Entretanto, o fato é que Yann constantemente fechou a tabela de tempos.

Entre os demais brasileiros, Pipo Derani, da Double R, é o que apresenta melhor chance de brigar pelo título. A antiga equipe de Kimi Raikkonen foi a que mais se aproximou da Carlin durante os testes, com Scott Pye, aliás, liderando um dos dias de treinos em Oulton. Fora essa ocasião, o brasileiro superou constantemente o companheiro.

Esse rendimento pode fazer Pipo enfim conseguir alavancar a carreira nos monopostos. Se há três anos Derani era considerado o principal kartista brasileiro, desde a transição para os carros de fórmula ele jamais conseguiu repetir bons resultados, com temporadas razoáveis na F-Renault Norte-europeia e na F3 Alemã.

 

Jack Harvey
Jack Harvey é um dos desafiantes dos brasileiros ao título da F3

Pietro Fantin é uma grata surpresa para o automobilismo brasileiro. Depois de passar um ano treinando pela Hitech e fazendo corridas tanto no Brasil quanto na Inglaterra, o paranaense vai disputar a primeira temporada completa no automobilismo. Com a experiência adquirida, assumiu o posto de líder da equipe inglesa e até agora não fez feio, sendo sempre mais rápido que Riki Christodoulou, quarto colocado no campeonato de 2009 do certame.

O último dos brasileiros na F3 Inglesa é Lucas Foresti. Entrando no segundo ano na categoria e terceiro no automobilismo, o brasileiro divide a Fortec com os ingleses Harry Ticknell e William Buller. Embora na pré-temporada não tenha sido tão unanimidade como líder do time, Lucas evoluiu bastante durante os treinos e tem tudo para fazer uma temporada melhor que a de 2010.

No geral, ainda bato na tecla de que essa parece ser a melhor geração do automobilismo brasileiro desde aquela que revelou Antonio Pizzonia, Ricardo e Rodrigo Sperafico, Ricardo Maurício, Enrique Bernoldi, Jaime Melo e João Paulo de Oliveira um tempo atrás. No entanto, como esses pilotos da F3 Inglesa ainda são muito jovens, é difícil afirmar qualquer coisa em relação ao futuro.

Outro ponto interessante é levarmos em conta que sempre que uma grande – de tamanho, não de qualidade – geração de pilotos brasileiros se forma em uma categoria, é comum histórias de que um acaba tirando o outro durante as corridas. Não falo aqui de rivalidade, mas sim de incidentes de corrida. A solução é torcer para que os pilotos de agora tenham cabeça fria na pista.

De resto, a F3 Inglesa começa no dia 16 de abril, em Monza, e o World of Motorsport acompanha todas as etapas.

Em tempo: a F3 Inglesa divulgou a lista de inscritos para a primeira etapa, na Itália, nesta sexta-feira com a adesão de dois pilotos que não participaram dos testes coletivos. O malaio Fahmi Ilyas, vindo da F-BMW europeia, estreia pela Fortec, enquanto o espanhol Bruno Mendez compete pela Hitech depois de participar da AutoGP e da World Series. A lista completa você pode conferir clicando aqui.