Indy em São Petersburgo 2011
As relargadas garantiram emoção à etapa de São Petersburgo da Indy

A abertura da temporada 2011 da Indy, neste domingo, dia 27, em São Petersburgo, mostrou que as modificações nas regras e a agitada pré-temporada foram grandes acertos da categoria. As relargadas em fila dupla, o push-to-pass (que já existia) e a rivalidade entre Penske e Ganassi foram os ingredientes para a grande corrida de abertura do campeonato.

Para começar, as relargadas cumpriram muito bem o objetivo de trazer emoção à categoria. Veja bem, o acidente inicial da largada teria acontecido com ou sem alteração na regra, afinal a corrida estava começando ali. Na sequência, as bandeiras amarelas que surgiram por pequenos incidentes foram causadas por afobação de pilotos inexperientes, como Sebastian Saavedra.

E foram justamente essas muitas relargadas que deram movimentação à prova. Com o pelotão constantemente reagrupado, a batalha entre Dario Franchitti, Will Power, Tony Kanaan agitou a corrida, que seria naturalmente chata sem muitas mudanças de posição. Aliás, até Simona de Silvestro entrou na briga pelos primeiros postos, mas muito por ter sobrevivido aos acidentes e ter conseguido se posicionar corretamente nas bandeiras verdes.

As críticas dos pilotos quanto ao perigo das relargadas em fila dupla – que podem proporcionar ainda mais acidentes – passa a ser injusta a partir do momento que depende apenas deles mesmo evitar batidas. Na própria etapa da Flórida, por exemplo, quando todo mundo se comportou, todos saíram ilesos.

Além disso, se engana quem imagina uma prova disputada em São Petersburgo se não fossem os acidentes. Muito provavelmente seria uma fila indiana entre um ou outro representante de Penske, Ganassi e Andretti, onde o prudência pensando nos pontos no campeonato tomaria o lugar da agressividade na busca pela vitória.

Aliás, disputa pela liderança aconteceu, sim, na corrida. Dario Franchitti precisou superar Will Power antes de poder passear pela Flórida. E foi justamente esse embate – decidido na pista – que serviu como tira-teima entre Ganassi e Penske, afinal Helio Castroneves, Ryan Briscoe (ou seria Bryan Riscoe?), Scott Dixon, Graham Rahal e Charlie Kimball ficaram logo na largada, ou em incidentes em seguida.

 

Budweiser
Depois de não se classificar na Austrália, o carro da Hispania apareceu na pista de São Petersb.... opa, não é nada disso essa é a tradicional Parada da Budweiser, ou Budweiser Clydesdales

Destaque:

Um belo empate entre Tony Kanaan e Simona de Silvestro. Enquanto o brasileiro estreou na KV com um excelente terceiro lugar e apostando em uma ousada tática envolvendo os pneus macios, a suíça quase conseguiu tomar do próprio Tony o lugar no pódio. Ela obteve o melhor resultado da carreira, ele, um dos mais significativos dos últimos anos.

Aliás, quanto a Kanaan, agora que ele está mais velho, parece até mais forte. É possível dizer que com a mudança de equipe ele está livre, como uma bandeira ondulando. (P.S.: esse é o melhor trocadilho da história do blog, eu acho)

Em tempo, Tony terminou na frente de todos os pilotos da Andretti. Tá certo que três abandonaram e a outra é a Danica, mas…

Decepção:

É covardia citar aqui qualquer um que saiu no acidente da largada, pois mal tiveram tempo para desenvolver o trabalho. Vou com Will Power, que aceitou de forma tão passiva a vitória de Dario Franchitti, além de só ter conseguido escapar de Kanaan nas voltas finais.

Ernesto Viso, pelo conjunto da obra também vale mençao honrosa. Aliás, no caso não da para considerar decepção né? Já é esperado mesmo.

Head 2 Head:

Em 2011, o World of Motorsport vai fazer uma competição diferente entre os pilotos da Indy. Eles foram sorteados de uma forma extremamente imparcial e pareados em chaves de duelos. A regra é simples. Quem terminar na frente na corrida avança para a próxima fase, até chegarmos a uma final.

Haverá chaveamento tanto para ovais quanto para circuitos mistos. Assim, no final chegaremos a um campeão dos mistos e um dos ovais. Na corrida seguinte, eles se enfrentam para definir quem será o campeão do World of Motorsport Indy Head 2 Head 2011.

Começando em São Petesburgo, o Head 2 Head trouxe o principal confronto – por conta do resultado da prova – sendo Dario Franchitti x Simona De Silvestro, com o escocês saindo-se vencedor por ter ganhado a corrida. O agurdado duelo entre Mike Conway e Marco Andretti durou apenas uma curva e teve o britânico triunfando. Outra briga interessante foi Scott Dixon x Tony Kanaan, que se saiu vencedor, já que o rival também ficou no acidente inicial.

Além disso, para fechar 32, seis pilotos saíram como cabeças de chave: os cinco de numeração mais baixa, além de Sebastian Bourdais, que não correu. Para Barber, o grande duelo será entre Dario Franchitti e Will Power. Fora a chave brasileira, com Helio x Vitor Meira e Tony x Bia. (clique na imagem para aumentar)