Carlos Sainz Jr
Carlos Sainz Jr foi o piloto dominante nos dois de treino

A F-Renault Eurocup realizou dois dias de testes no Motorland Aragón, em Alcaniz, como preparação para a renovada temporada 2011 da categoria. Se nos últimos anos, o certame foi dominado por uma ou duas equipes – Epsilon Euskadi e Motorpark Academy – esse ano a disputa deverá ser maior. Além da atual campeã Koiranen Bros, que agora conta com o apoio da Red Bull, times como ART Grand Prix, Josef Kauffmann e  Fortec, tradicionais nas divisões de acesso, se uniram ao certame.

Eu não vou me alongar muito neste post, porque ele é sobre os treinos e não é uma apresentação das equipes, mas é legal saber como os planteis foram formados para 2011. O mais importante é justamente a já mencionada parceria entre os energéticos e o time finlandês. E essa união aconteceu de uma forma tão inesperada, que mexeu em bastante coisa no automobilismo mundial.

Primeiro, Carlos Sainz Jr e Daniil Kyvat – do Red Bull Junior Team – não conseguiram conquistar o título da F-BMW europeia no ano passado. Na realidade, tirando algumas boas corridas do espanhol, a dupla foi bastante mal e olha que eles corriam pela equipe Eurointernational, campeã da temporada 2009 com o também então novato (embora não oficialmente) Felipe Nasr. O desempenho do duo foi o suficiente para questionar o investimento dos energéticos neles, mas a decisão da cúpula rubrotaurina acabou sendo continuar com eles por mais um ano, afinal eram muito jovens.

O fraco desempenho dos dois – explicado pela inexperiência – também alterou o andamento da F3 Inglesa. Como eles não estavam prontos para um pulo para a F3, a equipe Carlin ficou sem um carro apoiado pela Red Bull, o que deixou a temporada 2011 do certame britânico totalmente em aberto, visto que nos últimos três anos um piloto apoiado pelos energéticos foi o campeão da categoria.

Voltando a Sainz/Kyvat, eles não tinham mais a F-BMW para correr em 2011, porque a categoria acabou. A Red Bull então optou por colocá-los na F-Renault, categoria em que os rubrotaurinos tinham um longo histórico anteriormente. Obviamente todas as equipes se animaram com a possibilidade de dois bons pilotos, além de um incentivo a mais ($). A Epsilon Euskadi, que já teve nomes como Daniel Ricciardo e Jaime Alguersuari nos carros, foi preterida pela surpreendente Koiranen Bros, que tinha conquistado o título de 2010 com o estoniano Kevin Korjus.

Aliás, a Koiranen foi a grande surpresa da temporada anterior. Se a disputa se anunciava entre Tech 1 e Epsilon – além do brasileiro André Negrão – a vitória de Kevin Korjus, da forma dominante que foi, serviu para colocar os finlandeses no mundo e, consequentemente, na visão da Red Bull.

A união Red Bull + equipe campeã tem tudo para dar certo. Por exemplo, nos dois dias de treino, Sainz foi o piloto a ser batido. Nesta terça-feira, dia 8, ele resolveu chutar o balde, colocou 0s6 no segundo colocado. Este, por uma ironia do destino, foi o holandês Robin Frijns, campeão da F-BMW em 2010, e que portanto derrotou justamente a dupla da Red Bull.

Frijns até sondou uma possivel transferência para a GP3, mas optou por acompanhar a equipe Josef Kauffmann na transição F-BMW -> F-Renault. Companheiro do holandês, o colombiano Óscar Tunjo teve um bom desempenho também e encerrou na quinta colocação, atrás de Kyvat e de Karl-Oscar Liiv, também piloto da Koiranen, mas sem o apoio da Red Bull.

A ART, que eu falei lá em cima, não foi bem. Competindo com a alcunha de R-ACE GP, o time teve Norman Nato, na 20ª colocação, como melhor representante. Come Ledogar foi o 25º e Pieter Schothorst, o 29º. A Fortec não fez tão feio ao colocar Will Stevens em 12º, embora o inglês tenha tido um desempenho melhor nos outros dias.

Para terminar, os brasileiros. Foram dois: Henrique Martins, que retorna com a Cram para 2011, e João Jardim, que correu na F-Future em 2010. Martins foi melhor e teve como melhor colocação 13º posto no último dia, apesar de ter andado no ritmo de Jardim no restante dos treinos. O novato, por sua vez, correndo pela Interwetten, terminou em 24º.

Os tempos dos treinos coletivos da F-Renault, na totalidade, você pode ver clicando aqui.