Números da ARCA em 2011

 

Frank Kimmel ARCA 2011
O número 44 continua com Frank Kimmel em 2011, já os demais...

Para celebrar o início da temporada 2011 da ARCA, nesta sábado, dia 12, o World of Motorsport faz um breve guia sobre a categoria. Quem acompanha o blog, já viu os posts sobre as corridas da F1 que têm um nome parecido – no caso “números da F1 no Brasil”, ou algo assim – dependendo da pista.

Para a ARCA, as regras são um pouco diferentes. Ao invés de pegar curiosidades sobre a categoria e numerá-las, vou pegar o números dos carros dos dez primeiros na temporada 2010,  falar onde estes dez pilotos vão correr este ano e quem irá, se for o caso, ser o substituto na ARCA.

10) #11 Bryan Silas – 4140 pontos – 7 TOP 10

A expectativa era de que Bryan Silas brigasse pelo título da ARCA em 2010, o que não acabou acontecendo. Como a equipe de Andy Hillenburg, para qual compete, enfrentou dificuldades financeiros, o plano do piloto em se preparar para fazer a transição para a Nascar Truck Series – onde disputou poucas corridas em 2009 e 2010 – não acabou acontecendo. Em 2011, ao que tudo indica, Silas retorna à ARCA para um quarto ano na categoria, onde espera poder usar a experiência como trunfo na briga pelo título e por uma inédita vitória. Uma eventual conquista pode ser o combustível certo para que a carreira na Nascar deslanche de vez.

9) #31 Tim George Jr. – 4215 pontos – 2 TOP 5 e 5 TOP 10

Apesar da nona colocação para um segundanista, a temporada 2010 de Tim George Jr deixou a desejar, ainda mais que o piloto teve a disposição equipamento da RCR. Os fracos resultados fizeram aparecer boatos sobre uma possível não renovação do contrato do piloto vindo da GrandAM, o que não se concretizou. Richard Childress manteve George no programa de jovens pilotos da equipe que conduz e, para melhorar o desempenho do nova iorquino em 2011, agora ele também terá um companheiro: Ty Dillon, neto do próprio dono da equipe e franco-favorito ao título de 2011.

Antes de seguirmos ao próximo piloto, só uma correção: nem toda a temporada 2010 de Tim George Jr pode ser considerada fraca. Além da já esperada facilidade para correr em circuitos mistos, por ter vindo da GrandAM, o piloto se mostrou bastante habilidoso em superspeedways, onde quase venceu em Talladega. Para Daytona, podendo trabalhar com Dillon e com Joey Coulter, George é um dos favoritos.

8) #16 Joey Coulter – 4535 pontos – 1 vitória, 7 TOP 5 e 10 TOP 10

Depois de um surpreendente terceiro lugar em 2009, era esperado que Joey Coulter disputasse o título de 2010. No entanto, uma série de acidentes nas etapas iniciais deixaram o jovem piloto longe da briga pelo campeonato. No restante do ano,Coulter conseguiu se recuperar e conquistou a Bill France Four Crown – prêmio dado ao maior pontuador em quatro corridas que a ARCA faz em quatro pistas com características diferentes -, mas nada que o colocasse mais próximo dos líderes.

A decepção pela campanha pífia deu lugar à alegria quando Coulter foi anunciado como companheiro de Austin Dillon, na Nascar Truck Series, onde irá ser um novato em 2011, competindo pela RCR. Richard Childress afirmou que o desempenho de Joey, que corria em uma equipe familiar, chamou a atenção da organização e que logo ele foi contratado. Para o restante do ano, o piloto fará cinco corridas na ARCA, incluindo em Daytona, e pode dar ao spotter, Randy Renfrow, a oportunidade de participar de algumas provas. No mais, é um assento vazio para o restante do ano.

7) #22 Dakoda Armstrong – 4705 pontos – 2 vitórias, 5 TOP 5 e 12 TOP 10

Para um novato, a temporada 2010 de Dakoda foi muito boa. O piloto da Penske conseguiu duas vitórias e 12 TOP 10 em 20 corridas, mesmo ficando de fora da briga pelo título. O problema é a comparação com os antecessores no programa da Penske. Em 2010,o  então novato Parker Kligerman foi vice-campeão ao ficar apenas cinco pontos atrás de Justin Lofton, com direito a nove vitórias ao longo do ano. Antes, Justin Allgaier conquistara o título de 2008. Com a Penske dando mais tempo para Armstrong – já que o programa de jovens pilotos anda meio estagnado – um possível segundo ano na ARCA pode ser fundamental para que o piloto conquiste o título e comece a ganhar espaço na Nascar.

6) #32 Justin Marks – 4710 pontos – 1 vitória, 7 TOP 5 e 13 TOP 10

Em 2010, Justin Marks chegou a liderar o campeonato até a metade, mas alguns abandonos nas corridas finais fizeram com que o piloto enterrasse as chances de título. O que foi bastante curioso, já que ele tinha tudo para seguir a dinastia dos Justins na ARCA (Justin Allgaier foi o campeão de 2008 e Justin Lofton, o de 2009). Ainda assim, a temporada de Marks foi bastante produtiva e o piloto acabou acertando com a Turn One racing para correr na Nascar Truck Series em 2011.

No carro número 32 da Win-Tron Racing, na ARCA, Matt Merell irá competir na etapa de Daytona e deve participar de mais algumas provas. O piloto, no entanto, não deve fazer a temporada completa por falta de patrocínio.

5) #25 Mikey Kile – 4740 pontos – 1 vitória, 7 TOP 5 e 15 TOP 10

Se levarmos em conta que Kile entrou na temporada 2010 como favorito e acabou não conquistando o título, então o resultado foi bastante frustrante. No entanto, o resultado final – com 15 TOP 10 em 20 corridas – parece bem animador. Só que essa campanha não foi o suficiente para manter o piloto na equipe Venturini, que em 2011 aposta em Hal Martin e Kyle Fowler. Kile, por sua vez, ainda não anunciou planos, mas deve procurar na Nascar onde correr.

O carro número 25 está inscrito para o canadense Steve Arpin, que buscar o inédito título na categoria. Arpin ficou de fora de duas provas em 2010 por estar competindo para Dale Earnhardt Jr na Nascar Nationwide Series. No ‘vestibular’ para 2011, acabou perdendo para Aric Almirola a vaga na equipe. Sem a certeza de fazer a temporada completa da ARCA, Arpin quer provar que seria candidato ao título da temporada passada se não tivesse se ausentado. As três vitórias no último ano – mais que qualqer outro piloto – pesam a favor do amigo de Dale Jr.

4) #44 Frank Kimmel – 4785 pontos – 7 TOP 5 e 14 TOP 10.

É estranho ver Frank Kimmel tão atrás. Depois de ganhar dez títulos na categoria, o experiente piloto deixou a equipe para qual competia e, em 2008, abriu o time próprio. Não deu certo. Mesmo com o patrocínio da Menards e da Ansell, Kimmel nunca mais foi campeão e só venceu duas vezes desde então. Em 2010 parecia que ele iria ser campeão pela regularidade – ou pela falta dela nos outros concorrentes -, mas acidentes nas etapas finais frustraram qualquer plano. Em 2011, Kimmel está de volta no #44 de sua própria equipe.

3) #77 Tom Hessert III – 4860 pontos – 1 vitória, 10 TOP 5 e 15 TOP 10

Quando Tom Hessert foi anunciado como substituto de Parker Kligerman, em 2010, muita gente torceu o nariz. No entanto, o intinerante piloto fez uma temporada muito sólida – mesmo com só uma vitória – e ficou na briga pelo título até as etapas finais, quando perdeu terreno por conta de uma punição, mas por muito pouco acabou não sendo o campeão. A expectativa era que Hessert fosse para a Nascar Truck Series, mas Justin Lofton acabou vencendo a disputa pela vaga restante na Germain Racing. Agora, Hessert retorna à ARCA no número 52, da equipe de Ken Schrader, e espera conquistar o título que deixou escapar.

O número 77 da Cunningham-Penske será ocupado pelo novato Joey Licata Jr, que já mostrou um bom desempenho nos treinos em Daytona, mas ainda não anunciou se irá fazer a temporada completa de 2011.

2) #81 Craig Goess – 4945 pontos – 1 vitória, 10 TOP 5 e 15 TOP 10

A exemplo de Hessert, Goess por muito pouco não foi campeão em 2010. O piloto da equipe de Eddie Sharp assumiu a condição de favorito e, sempre muito constante, ficou na briga até o final. Mesmo com o vice-campeonato, Goess agradou ao chefe e irá seguir com Sharp na disputa da Nascar Truck Series, onde brigará pelo posto de novato do ano no truck de número 46. Como o número 81 era uma exigência do piloto, a equipe voltará a utilizar a numerção característica e os pontos acumulados por Craig devem passar para o carro de número 6, que terá Jason Bowles, vencedor do Toyota All Star Showdown, a bordo em Daytona. A Eddie Sharp Racing ainda terá Kevin Swindell, no oval da Flórida, no número 98. A dupla não descartou voltar à equipe em futuras oportunidades ainda que não façam o campeonato completo.

1) #60 Patrick Sheltra – 4965 pontos – 2 vitórias, 12 TOP 5 e 17 TOP 10

Patrick Sheltra foi campeão da ARCA em 2010 com todos os méritos. O experiente piloto soube usar o que aprendera nos anos anteriores para que na última temporada só não conseguisse terminar entre os dez primeiros em três corridas. Com o título, correndo em equipe própria, Sheltra tentou negociar com Richard Childress uma vaga na Nascar, mas, ao que tudo indica, não teve sucesso nesse objetivo. Ainda assim, ele pode surpreender e aparece na lista de inscritos da Nationwide na última hora. Quanto à ARCA, o campeão, no entanto, não deve defender o título.

Ironicamente, Sheltra vai aproveitar os pontos conquistados em 2010 para inscrever um carro para a etapa de Daytona. Na máquina do atual campeão estará a venezuelana Milka Duno, que faz sucesso pelo desempenho único na Indy.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s